Brasil vai pro tudo ou nada em Snappers Rocks

Thomas Hermes (SC) (@WSL / Ed Sloane)

Brasileiros tentam a repescagem na Austrália

Gabriel Medina será o primeiro a tentar a segunda chance de classificação em Gold Coast, na segunda bateria contra o mesmo italiano Leonardo Fioravanti, da interferência. O pernambucano Ian Gouveia entra na terceira com o australiano Matt Wilkinson, campeão na Gold Coast em 2016 e vice na final do ano passado com Owen Wright. Na quarta, o campeão mundial Adriano de Souza, que só conseguiu pegar duas ondas em sua bateria, enfrenta o americano Patrick Gudauskas.

No duelo seguinte, uma das novidades da “seleção brasileira” no CT esse ano, o cearense Michael Rodrigues, terá um grande teste pela frente, o experiente campeão mundial Joel Parkinson, que tem duas vitórias no Quiksilver Pro Gold Coast. Depois, o Brasil só volta a disputar vaga para a terceira fase na oitava bateria, com outro novato na elite, Willian Cardoso, enfrentando o português Frederico Morais. Willian estreou junto com Adriano de Souza e estava vencendo sua primeira bateria até os últimos minutos, quando o australiano Adrian Buchan fez uma boa onda para conseguir o primeiro lugar.

Publicidade

Depois do já experiente Willian Cardoso, mais dois estreantes de Santa Catarina vão tentar suas primeiras vitórias na divisão de elite. O mais jovem, Yago Dora, está na nona bateria com Kanoa Igarashi, que decidiu competir representando o Japão a partir deste ano e não mais os Estados Unidos, como desde o início da sua carreira. Na sequência, acontece um duelo verde-amarelo entre o paulista Caio Ibelli e Tomas Hermes, que garante um classificado para a terceira fase, mas um será eliminado.

Jessé Mendes (SP) (@WSL / Ed Sloane)

Isso deve ocorrer mais vezes durante a temporada, pois os brasileiros agora são maioria entre os top-34 do World Surf League Championship Tour 2018. É a primeira vez na história, que um país consegue superar a Austrália, que sempre teve mais surfistas disputando o título mundial desde a criação de uma divisão de elite em 1992. Outro novato, Jessé Mendes, vai fechar a participação brasileira na repescagem contra o francês Joan Duru.

Jessé estava ansioso para a sua estreia como top mundial, contra duas grandes estrelas do esporte. Foi mais uma bateria fraca de ondas, mas o tricampeão mundial Mick Fanning achou duas suficientes para vencer. O australiano vive o penúltimo capitulo da sua história no Circuito Mundial, pois anunciou que a próxima etapa, em Bells Beach, será a última da sua carreira como competidor. Kelly Slater completava esta bateria, mas ainda estava viajando para a Austrália no domingo e tenta chegar a tempo de disputar a repescagem.

Por João Carvalho/ WSL