Wavegarden sera construída em condomínio de luxo

 

Acabou o mistério: Depois de especulação e boato sobre onde e qual seria a primeira piscina de ondas do Brasil, a KSM Realty anuncia a chegada da Wavegarden (tecnologia Basca) em Itupeva (SP), a 50 km da capital paulista.

Em um dos condomínios de campo mais luxuosos do país, na Fazenda da Grama, a piscina de ondas será parte do complexo da “Praia da Grama”. Como o nome indica haverá uma praia artificial, exclusiva aos moradores e convidados.

“O projeto vai muito além de um espaço para prática do surfe. É uma verdadeira praia, onde toda a família vai estar reunida para viver novas experiências e desfrutar das diversas opções de lazer, esportes, relaxamento e gastronomia”, explica Oscar Segall, fundador da KSM.

Publicidade

Além da Wavegarden, capaz de produzir ondas de diferentes tamanhos (0,5 a 1,95m) e formatos (mais ou menos “cavadas”) em intervalos entre 08 a 24 segundos, o complexo abrigará quadras esportivas, spa, restaurantes, bares, academia e piscina coberta. O valor investido é de R$ 110 milhões e a entrega prevista para 2020.

Maquete eletrônica do projeto assinado pela dupla Gui Matos e Benedito Abbud; arquiteto e paisagista. Foto: Divulgação/Grupo TV1

Por que a Wavegarden e quanto custa cada onda?

“Entre os fatores que nos levaram a escolher a tecnologia Wavegarden está o baixo consumo de energia em relação a outras disponíveis no mercado. Essas características, além de tornar o projeto mais interessante do ponto de vista econômico, também representa um menor impacto no meio ambiente.” Conta Oscar Segall, da KSM Realty.

Ainda de acordo com o empresário, a possibilidade de estimar os custos de funcionamento com detalhes permitiu estabelecer os valores precisos da operação.

“O valor não varia de acordo com o tamanho ou tipo de onda, mas sim de acordo com a frequência das mesmas.”

“São mil ondas por hora, sob medida para os mais experientes no esporte e para os que estão surfando suas primeiras ondas, sejam adultos ou crianças”, detalha.

Segundo Oscar, com relação ao preço da onda infelizmente não é possível estimar. “São muitas as variáveis que influenciam esse valor.”

Quem vai ‘cuidar’ das ondas?

Cuidar de piscina dá certo trabalho. Imagina essa? De acordo com o porta-voz, a Wavegarden será responsável pela instalação e monitoramento (remoto); também trará um profissional, uma vez por ano.

Na fase de implantação, a equipe de fora treinará dois profissionais brasileiros que farão a manutenção diária do sistema gerador de ondas surfáveis.

Bem, por enquanto nós, “meros mortais”, ainda teremos que aguardar mais um pouco até a chegada de alguma piscina de ondas aberta ao público…

por Janaína

Fonte origemsurf.com.br