Veterano sofre acidente no Hawai e tem morte cerebral confirmada

Leonard Tom, de 64 anos, era amigo dos locais em Sunset. Foto Divulgação

Especialista em Sunset sofre acidente em Makaha, fica em coma e tem morte cerebral confirmada por médicos

Publicidade

A bruxa está solta aqui em Oahu no Hawaii. Após menos de uma semana do acidente em que levou o lendário Own Chapman a quebrar a perna em Sunset Beach, um outro acidente trágico aconteceu na praia de Makaha no ultimo final de semana

Um surfista veterano de Sunset chamado Leonard Tom, de 64 anos, muito conhecido pelos locais mais antigos de Sunset, sofreu um acidente surfando ondas grandes na famosa praia de Makaha, na costa Oeste de Oahu, durante a manhã do último sábado, quando o maior swell da temporada havaiana estava em declínio após atingir o pico durante a madrugada.

Leo tomou uma pancada na cabeça de sua gun que o fez apagar e ficar submerso por mais de 5 minutos. Clark Abbey, um renomado surfista havaiano o encontrou e com a ajuda de outro amigo o levou para a praia e tentaram reanimá-lo com manobras de RCP, sem sucesso.

Leo foi levado ao hospital e permanece em coma até a noite de hoje (domingo).  Um amigo de Leo, que também é meu grande amigo, Tracy Yamato postou na sua pagina do Facebook que a família tomou a decisão em desligar a maquina que o mantém vivo após os médicos confirmarem uma morte cerebral.

Leo é muito querido e um surfista extremamente educado no outside.  Eu tive o prazer de surfar e conversar com ele inúmeras vezes na água em Sunset, até compartilhamos ondas juntos. Leo é um verdadeiro “Sunseteiro” e sempre está presente sempre quando mar sobe no North Shore. Seu estilo é simplesmente puro, deslizando em ondas grandes com classe e talento.

Um outro incidente aconteceu no dia anterior em Waimea durante a subida do mesmo swell. Nesse caso a surfista brasileira Suelen Naraisa, irmã do surfista profissional Wiggolly Dantas, tomou a maior série do dia toda na cabeça e acabou torcendo o joelho fortemente.

John Crittenden dropando e Suelen Naraísa tomando na cabeca. Foto: Gary Miyata.

Suelen Naraísa sendo resgatada. Foto: Gary Miyata.

Suelen me disse hoje que remou na primeira onda de uma série servida de 18 pés havaianos, não conseguindo entrar na onda, quando olhou para trás viu a muralha que vinha em sua direção. Suelen não teve outra coisa a fazer a não ser hiperventilar, soltar a prancha e tentar mergulhar mais profundo possível. Foram no total 8 ondas na cabeça, inclusive são as ondas que estão nas fotos do fotógrafo Gary Miyata nessa matéria. Ela tentou inflar seu colete inflável da Quicksilver mas a força da água foi tão bruta que destruiu seu colete.

Suelen não foi a única que tomou a série toda. Um outro amigo americano que já participou dos meus cursos de apneia e sobrevivência, remou e caiu na segunda onda da mesma série, e quase ficou de baixo de duas ondas. Assim que ele conseguiu subir da primeira vaca, colocou a cabeça para fora d’água e nem chegou a encher o pulmão de ar quando foi pego pela terceira onda da série. Ele estava sem colete.

Eu pude trabalhar com a Suelen no último curso que ministrei aqui em Oahu na semana passada.  Ela veio ao Hawaii para disputar o primeiro campeonato de mulheres realizado em Waimea Bay. Trabalhamos exatamente os exercícios de respiração que ajudam a aumentar o foco e oxigenar a corrente sanguínea, no qual também ajuda a elevar o tempo de apeéia da atleta. Treinamos muito tipos de apneia estática, dinâmica e com stress.

Ambos surfistas disseram ter lembrado do exercícios específicos que treinamos para esse tipo de situação durante o caldo, onde o surfista tem muito pouco tempo para respirar antes de ter que ir para o fundo de novo, mantendo a calma segurando a vontade de respirar enquanto há um acumulo muito grande de CO2 nos pulmões, o que dá a vontade insuportável de ter que expirar, levando o surfista ao pânico.  Com muito treino é possível controlar e prolongar esse sentimento.

Eu esperei o swell subir completamente para cair em Waimea no fim de tarde junto com os amigos Daniel Skaf e Sylvio Mancusi, mas acredito que todos estavam com essa ideia, pois o mar ficou muito crowd. As séries estavam muito inconstantes e em cada onda eram 4 ou 5 que desciam juntos. Veja o video dá sessão que foi filmado por minha esposa Amanda Taveira.

Sei que a Suelen estará de volta em breve, ela é uma garota forte e muito determinada.  Já nosso amigo Leo fará parte dos surfistas queridos que se foram. Podem até me chamar de hipócrita, mas na minha opinião ele teve a morte mais bela. Morreu fazendo o que mais ama na vida e foi sem dor e sem sofrimento, as luzes apenas se apagaram para ele. Se eu pudesse escolher como eu partiria um dia, escolheria ir dessa forma. Tristeza para a familia que fica.  RIP Leo.

A maior onda do dia, Waimea Bay. Foto: Gary Miyata.

Ricardo Taveira em Waimea Bay. Foto: Gary Miyata.

* Ricardo Taveira é surfista, mergulhador profissional, instrutor de apnéia e proprietário da Hawaii Eco Divers & Surf Adventures, empresa de mergulho, surfe e ecoturismo no North Shore de Oahu. A Hawaii Eco Divers oferece serviços de viagem completo, incluindo acomodações, transporte, atividades turísticas e total assistência aos brasileiros que pretendem viajar ao Hawaii. Para saber mais, acesse Hawaii Eco Divers.

* Gary Miyata é fotógrafo profissional de surf e surfista aposentado da geração dos Waikiki Beach Boys. Já aos 63 anos a paixão dele é  fotografar surf, principalmente quando Waimea está quebrando.  Para conhecer mais o trabalho do Gary conheça o site www.garymescreations.com

Fonte ricosurf.com.br