Uruguaio Marco Giorgi vence final com Thiago Camarão no QS 3000 de Portugal

Marco Giorgi (URY) placed 1st in the final at Santa Cruz Pro 2017

Marco Giorgi (Foto: Poullenot – WSL)
By João Carvalho

Uma final sul-americana fechou o QS 3000 Pro Santa Cruz apresentado pela Oakley neste domingo (30) na Praia da Física, em Santa Cruz, Portugal. Marco Giorgi festejou a primeira vitória do Uruguai no Circuito Mundial da World Surf League, derrotando Thiago Camarão na terceira decisão de título do brasileiro em três domingos consecutivos. E ele quase consegue a terceira vitória no placar encerrado em 12,67 a 12,27 pontos a favor do uruguaio. Com os 3.000 pontos, Marco Giorgi saltou de 256 para 23 no ranking do WSL Qualifying Series e Thiago Camarão subiu da 122.a para a 21.a posição após as 26 etapas completadas em Portugal.

Os dois são muito amigos e nasceram no mesmo ano de 1988. Marco Giorgi completou seu 29.o aniversário durante a semana em Portugal (dia 26) e não poderia desejar um presente melhor do que a vitória no QS 3000 Pro Santa Cruz. As finais aconteceram em condições difíceis nas ondas mexidas e irregulares de 3-5 pés, afetadas pelos ventos do domingo na Praia da Física. O uruguaio achou uma boa direita quando restavam 5 minutos para o término da bateria e acertou duas manobras fortes que valeram nota 7,17. Thiago Camarão tentou a vitória até o fim, mas dessa vez não conseguiu virar o placar nas últimas ondas que surfou.

Publicidade

“É a minha primeira vitória no Circuito Mundial e estou muito emocionado, é muito louco tudo isso que estou sentindo”, vibrou Marco Giorgi, que está competindo sem um patrocinador principal esse ano. “É um trabalho muito duro, os campeonatos são longos e você tem que manter o foco sempre para ir passando as baterias. Hoje (domingo) foi o meu dia e estou muito feliz, nem posso acreditar. Este resultado me permitirá participar dos QS 10000 a partir de agora, mas não foi fácil conseguir isso começando a temporada do zero no início do ano”.

Até a inédita vitória uruguaia em Portugal, o melhor resultado de Marco Giorgi em 2017 era o 25.o lugar no QS 3000 Volcom Pipe Pro em Pipeline, no Havaí. Ele também disputou as duas primeiras etapas do QS 6000 esse ano, mais decisivas na briga pelas dez vagas do WSL Qualifying Series para a elite dos top-34 que disputa o título mundial da World Surf League. No entanto, não passou nenhuma bateria na Austrália e despencou no ranking, só voltando a competir agora no QS 3000 de Portugal. Marco Giorgi mora em Garopaba (SC) e é o único representante do Uruguai no Circuito Mundial da World Surf League.

Thiago Camarao (Foto: Poullenot – WSL)

“Eu e o Marco (Giorgi) crescemos juntos e foi super legal fazer essa final com ele aqui, então fiquei feliz por ele também”, disse Thiago Camarão. “Eu fiz o melhor que pude nas ondas que vieram para mim e não foi suficiente dessa vez. Mas, estou feliz com o meu surfe e com tudo que está acontecendo na minha vida agora. Eu vou continuar feliz, sorrindo, ficar saudável e treinar bastante para pensar mais seriamente sobre a qualificação (para o CT) novamente”.

Thiago Camarão também viveu a falta de um patrocinador principal no ano passado e ficou em 113.o lugar no ranking, fora do grupo com participação garantida nas etapas do QS 6000 e QS 10000, as mais decisivas do WSL Qualifying Series. Nesse ano, estreou o novo patrocínio vencendo o QS 1500 Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata, largando na frente na corrida do título sul-americano da WSL South America. Uma semana depois, outra vitória na abertura do Circuito Paulista valendo pontos pelo título brasileiro. Em Portugal, decidiu seu terceiro título consecutivo e subiu para a 21.a posição no ranking com aproveitamento de 83,3% dos pontos disputados no QS esse ano, faltando três resultados ainda para completar os cinco computados.

No último dia do QS 3000 Pro Santa Cruz, Marco Giorgi conseguiu a maior nota do domingo – 8,5 – para derrotar o veloz Hiroto Ohhara na primeira semifinal. O japonês está em quarto lugar no ranking do QS e ainda tirou um 7,5 numa boa onda, porém não impediu a primeira vitória do uruguaio por 15,23 a 13,33 pontos. Na outra bateria, o português Frederico Morais construiu uma sólida vantagem com notas 6,33 e 7,50, mas Thiago Camarão reagiu no final e apresentou suas armas em três ondas seguidas na casa dos 7 pontos para derrotar o top do CT por 14,50 a 13,83 pontos.

Victor Mendes nota 10 na Praia da Física (Foto: Poullenot – WSL)

PARTICIPAÇÃO SUL-AMERICANA – Outros sul-americanos já vinham se destacando durante a semana em Santa Cruz. Na quinta-feira, o jovem Victor Mendes, irmão do líder do ranking, Jessé Mendes, conseguiu sua primeira nota 10 da carreira na World Surf League nas ondas da Praia da Física. No dia seguinte, ele não conseguiu repetir a ótima atuação e ficou em último na bateria que outro paulista se classificou em segundo lugar, Robson Santos. O campeão Marco Giorgi ganhou a primeira bateria dessa rodada dos 32 que passaram pela fase de estreia dos principais cabeças de chave, mas o paraibano Samuel Igo perdeu a briga pela segunda vaga e ficou em 17.o lugar no QS 3000 de Portugal.

Na terceira bateria, o português Tiago Pires, ex-top do CT, bateu três sul-americanos e o chileno Manuel Selman passou em segundo, superando os brasileiros Victor Bernardo e Krystian Kymerson, vice-campeão na final contra Thiago Camarão no QS 1500 Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata. Depois, Camarão derrotou o atual português do CT, Frederico Morais, pela primeira vez em Santa Cruz. Yago Dora passou em segundo na penúltima bateria, mas o peruano Miguel Tudela ficou em último na que fechou a lista dos dezesseis classificados para disputar vagas para as quartas de final.

FASES DECISIVAS – Marco Giorgi entrou junto com o chileno Manuel Selman na primeira e passou em segundo no confronto vencido pelo japonês Hiroto Ohhara. O norte-americano John Mel ficou em terceiro e Manuel Selman em quarto, terminando em 13.o lugar no QS 3000 Pro Santa Cruz, com 840 pontos no ranking. Na terceira batalha por vagas nas quartas de final, deu dobradinha brasileira de Yago Dora e Thiago Camarão para acabar com a invencibilidade de Gony Zubizarreta na “perna europeia”, pois o espanhol ganhou o QS 1000 disputado em Portugal semanas atrás e o QS 1500 de Zarautz no País Basco.     

Yago Dora (Foto: Poullenot – WSL)

O português Frederico Morais era a grande estrela do CT no evento e superou o brasileiro Robson Santos na disputa pela última vaga para as quartas de final. Depois, barrou o catarinense Yago Dora, número 3 do ranking, antes de ser derrotado por Thiago Camarão nas semifinais. Já o campeão Marco Giorgi despachou o outro top do CT nas quartas de final, o norte-americano Kanoa Igarashi, por uma pequena vantagem de 14,23 a 13,96 pontos. Kanoa, Yago Dora e os franceses Jorgann Couzinet e Marc Lacomare, ficaram em quinto lugar no campeonato e receberam 1.260 pontos no ranking do WSL Qualifying Series.

BRASIL NO G-10 – Mesmo sem competir desde a vitória no QS 6000 de Sidney, na Austrália, ninguém conseguiu tirar a liderança de Jessé Mendes no ranking do WSL Qualifying Series. O francês Jorgann Couzinet é o segundo colocado e o catarinense Yago Dora permanece em terceiro, com o capixaba Rafael Teixeira em sétimo e o baiano Bino Lopes em décimo, fechando a lista dos dez indicados pelo QS para a elite dos top-34 do CT no momento. O QS 3000 Pro Santa Cruz não provocou mudanças de nomes no G-10, mas os finalistas chegaram mais perto da zona de classificação.

O português Frederico Morais está entre os top-22 mantidos no CT pelo ranking principal, mas subiu para 16.o no QS com o terceiro lugar em Santa Cruz. O vice-campeão Thiago Camarão assumiu a 21.a colocação e o campeão Marco Giorgi ganhou mais de duzentas posições, passando a ser o 23.o no ranking das 26 etapas completadas em Portugal. Acima deles e mais próximos do G-10, estão o paulista Alex Ribeiro em 13.o e o catarinense Alejo Muniz em 14.o lugar. A próxima batalha pelas dez vagas será no terceiro QS 6000 do ano, o Ichinomiya Chiba Open, nos dias 21 a 28 de maio no Japão.

Marco Giorgi e Thiago Camarão no pódio (Foto: Poullenot – WSL)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 3000 PRO SANTA CRUZ:

Campeão: Marco Giorgi (URU) por 12,67 pontos (7,17+5,50) – US$ 12.000 e 3.000 pontos no QS

Vice-campeão: Thiago Camarão (BRA) com 12,27 (6,17+6,10) – US$ 6.000 e 2.250 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 1.680 pontos e US$ 4.000 de prêmio:

1.a: Marco Giorgi (URU) 15.23 x 13.33 Hiroto Ohhara (JPN)

2.a: Thiago Camarão (BRA) 14.50 x 13.83 Frederico Morais (PRT)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – após a 26.a etapa em Portugal:

1.o: Jessé Mendes (BRA) – 10.980 pontos

2.o: Jorgann Couzinet (REU) – 8.810

3.o: Yago Dora (BRA) – 8.445

4.o: Hiroto Ohhara (JPN) – 7.835

5.o: Soli Bailey (AUS) – 6.680

6.o: Keanu Asing (HAV) – 5.800

7.o: Rafael Teixeira (BRA) – 5.110

8.o: Mitch Coleborn (AUS) – 5.100

9.o: Ian Crane (EUA) – 5.080

10.o: Julian Wilson (AUS) – 4.870 – top-22 do CT

10.o: Bino Lopes (BRA) – 4.870

———próximos sul-americanos entre os top-100:

13: Alex Ribeiro (BRA) – 4.755 pontos

14: Alejo Muniz (BRA) – 4.300

21: Thiago Camarão (BRA) – 3.750

23: Marco Giorgi (URU) – 3.705

26: Santiago Muniz (ARG) – 3.610

31: Peterson Crisanto (BRA) – 3.335

35: Luel Felipe (BRA) – 3.115

36: Willian Cardoso (BRA) – 3.050

40: Miguel Tudela (PER) – 2.980

42: Deivid Silva (BRA) – 2.860

43: Robson Santos (BRA) – 2.825

44: Lucas Silveira (BRA) – 2.820

45: Adriano de Souza (BRA) – 2.810

46: Marco Fernandez (BRA) – 2.770

52: Mateus Herdy (BRA) – 2.580

64: Hizunomê Bettero (BRA) – 2.420

68: Michael Rodrigues (BRA) – 2.280

68: David do Carmo (BRA) – 2.280

81: Lucca Mesinas Novaro (PER) – 2.070

85: Thiago Guimarães (BRA) – 2.010

86: Flavio Nakagima (BRA) – 1.985

90: Leandro Usuna (ARG) – 1.885

96: Victor Mendes (BRA) – 1.805

97: Manuel Selman (CHL) – 1.800

101: Victor Bernardo (BRA) – 1.755

102: Jean da Silva (BRA) – 1.730

104: Krystian Kymerson (BRA) – 1.725

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NOS OUTROS DIAS DO QS 3000 DE PORTUGAL:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 1.260 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

2.a: Marco Giorgi (URU)  14.23 x 13,96 Kanoa Igarashi (EUA)

3.a: Frederico Morais (PRT) 12.73 x 9.26 Yago Dora (BRA)

4.a: Thiago Camarão (BRA) 16.80 x 13.47 Marc Lacomare (FRA)

QUINTA FASE – 3.o=9.o lugar (US$ 1.500 e 900 pontos) e 4.o=13.o lugar US$ 1.250 e 840 pts):

1.a: 1-Hiroto Ohhara (JPN), 2-Marco Giorgi (URU), 3-John Mel (EUA), 4-Manuel Selman (CHL)

3.a: 1-Yago Dora (BRA), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Gony Zubizarreta (ESP), 4-Adrien Toyon (FRA)

4.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Frederico Morais (PRT), 3-Robson Santos (BRA), 4-Maxime Huscenot (FRA)

QUARTA FASE – 3.o=17.o lugar (US$ 1.000 e 600 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 750 e 555 pts):

1.a: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Vicente Romero (ESP), 3-Samuel Igo (BRA), 4-Pedro Henrique (PRT)

3.a: 1-Tiago Pires (PRT), 2-Manuel Selman (CHL), 3-Krystian Kymerson (BRA), 4-Victor Bernardo (BRA)

5.a: 1-Thiago Camarão (BRA), 2-Frederico Morais (PRT), 3-Jonathan Gonzalez (CNY), 4-Parker Coffin (EUA)

6.a: 1-Gony Zubizarreta (ESP), 2-Robson Santos (BRA), 3-Paul Cesar Distinguin (FRA), 4-Victor Mendes (BRA)

7.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Yago Dora (BRA), 3-Jake Marshall (EUA), 4-Reo Inaba (JPN)

8.a: 1-Maxime Huscenot (FRA), 2-Adrien Toyon (FRA), 3-Nomme Mignot (FRA), 4-Miguel Tudela (PER)

TERCEIRA FASE – 3.o=33.o lugar (US$ 550 e 360 pts) e 4.o=49.o lugar (US$ 450 e 330 pts):

1.a: 1-Samuel Igo (BRA), 2-Hiroto Ohhara (JPN), 3-Miguel Blanco (PRT), 4-Marlon Lipke (PRT)

2.a: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Timothee Bisso (GLP), 3-Kaito Ohashi (JPN), 4-Ruben Gonzalez (PRT)

3.a: 1-Aritz Aranburu (ESP), 2-Pedro Henrique (PRT), 3-Ian Costa (BRA), 4-Charly Quivront (FRA)

4.a: 1-Jorgann Couzinet (FRA), 2-Vicente Romero (ESP), 3-Nic Von Rupp (PRT), 4-Peterson Crisanto (BRA)

5.a: 1-Victor Bernardo (BRA), 2-John Mel (EUA), 3-Makai McNamara (HAV), 4-Felipe Teixeira (BRA)

6.a: 1-Krystian Kymerson (BRA), 2-Jordy Collins (EUA), 3-Andy Criere (FRA), 4-Pedro Neves (BRA)

7.a: 1-Seth Moniz (HAV), 2-Manuel Selman (CHL), 3-Kiron Jabour (HAV), 4-Luke Dillon (ING)

8.a: 1-Kanoa Igarashi (EUA), 2-Tiago Pires (PRT), 3-Dimitri Ouvre (FRA), 4-Halley Batista (BRA)

9.a: 1-Frederico Morais (PRT), 2-Paul Cesar Distinguin (FRA), 3-Mateus Herdy (BRA), 4-Titouan Boyer (FRA)

10: 1-Jonathan Gonzalez (CNY), 2-Robson Santos (BRA), 3-Raul Bormann (BRA), 4-Imanol Yeregi (ESP)

11: 1-Gony Zubizarreta (ESP), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Nelson Cloarec (FRA), 4-Lander Davila (ESP)

12: 1-Victor Mendes (BRA), 2-Parker Coffin (EUA), 3-Lucas Silveira (BRA), 4-Thiago Guimarães (BRA)

13: 1-Reo Inaba (JPN), 2-Maxime Huscenot (FRA), 3-Alonso Correa (PER), 4-Luis Perloiro (PRT)

14: 1-Jake Marshall (EUA), 2-Miguel Tudela (PER), 3-Vasco Ribeiro (PRT), 4-Hodei Collazo (ESP)

16: 1-Adrien Toyon (FRA), 2-Yago Dora (BRA), 3-Guilherme Fonseca (PRT), 4-Medi Veminardi (FRA)

SEGUNDA FASE – 3.o=65.o lugar com 210 pontos e 4.o=81.o lugar com 180 pontos:

1.a: 1-Samuel Igo (BRA), 2-Ruben Gonzalez (PRT), 3-Arran Strong (ING), 4-Gatien Delahaye (FRA)

3.a: 1-Charly Quivront (FRA), 2-Peterson Crisanto (BRA), 3-Luan Carvalho (BRA), 4-Tomas Fernandes (PRT)

4.a: 1-Nic Von Rupp (PRT), 2-Ian Costa (BRA), 3-Yuji Mori (JPN), 4-Leon Glatzer (ALE)

5.a: 1-Felipe Teixeira (BRA), 2-Pedro Neves (BRA), 3-Ethan Egiguren (ESP), 4-Jeronimo Vargas (BRA)

7.a: 1-Manuel Selman (CHL), 2-Dimitri Ouvre (FRA), 3-Eduardo Fernandes (PRT), 4-Julen Egiguren (ESP)

8.a: 1-Halley Batista (BRA), 2-Luke Dillon (ING), 3-Jacome Correia (PRT), 4-Dylan Groen (ALE)

9.a: 1-Paul Cesar Distinguin (FRA), 2-Raul Bormann (BRA), 3-Gabriel Farias (BRA), 4-Alex Bauduin (CNY)

10: 1-Imanol Yeregi (ESP), 2-Mateus Herdy (BRA), 3-Tyler Gunter (EUA), 4-Joshua Moniz (HAV)

11: 1-Lander Davila (ESP), 2-Thiago Guimarães (BRA), 3-Pedro Coelho (PRT), 4-Eithan Egiguren (ESP)

12: 1-Victor Mendes (BRA), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Slade Prestwich (AFR), 4-Colt Ward (EUA)

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar com 60 pontos e 4.o=113.o lugar com 45 pontos:

3.a: 1-Charly Quivront (FRA), 2-Ian Costa (BRA), 3-Francisco Cruz (PRT), 4-Ugo Robin (FRA)

4.a: 1-Leon Glatzer (ALE), 2-Peterson Crisanto (BRA), 3-Kalani da Silva (CNY)

5.a: 1-Pedro Neves (BRA), 2-Gonzalo Gutierrez Vidal (ESP), 3-Francisco Duarte (PRT)

6.a: 1-John Mel (EUA), 2-Felipe Teixeira (BRA), 3-Jakob Lilienweiss (ALE)

8.a: 1-Halley Batista (BRA), 2-Julen Egiguren (ESP), 3-Renan Peres (BRA), 4-Jonas Bachan (AUT)

9.a: 1-Raul Bormann (BRA), 2-Tyler Gunter (EUA), 3-Enzo Poulat (FRA)

11: 1-Eithan Osborne (EUA), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Michael Zaugg (CHE)

16: 1-Francisco Alves (PRT), 2-Kairi Noro (JPN), 3-Luis Diaz (CNY), 4-Bruno de Andrade Maia (BRA)