Três brasileiros passam para as oitavas na Austrália

MARGARET RIVER, WESTERN AUSTRALIA - JUNE 1: Italo Ferreira of Brazil advances to Round 4 of the 2019 Margaret River Pro after winning Heat 1 of Round 3 at The Box on June 1, 2019 in Margaret River, Western Australia. (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images)

Três brasileiros passam para as oitavas de final do Margaret River Pro na Austrália

By João Carvalho

O sábado foi mais um dia para ficar marcado na história do World Surf League Championship Tour, com o icônico pico The Box bombando tubos incríveis, enormes, para a disputa pelas vagas nas oitavas de final do Margaret River Pro na Austrália. O primeiro tubaço foi surfado por Italo Ferreira, na primeira onda que pegou em The Box na sua vida. Caio Ibelli também achou os tubos para vencer o duelo brasileiro com Gabriel Medina e Peterson Crisanto ganhou a sua bateria quando o evento retornou para as ondas de Main Break. Na 13.a e última em The Box, Jadson André sofreu uma queda terrível e abandonou a disputa, mas está bem. O destaque do dia foi o australiano Jack Robinson, que fez os recordes do campeonato na vitória sobre Filipe Toledo, eliminado em 17.o lugar junto com mais sete brasileiros no sábado.

Italo Ferreira (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

O dia começou com The Box bombando séries pesadas de 8-10 pés e com Italo Ferreira completando um tubo sensacional de backside na primeira onda que surfou em The Box na sua carreira. O potiguar saiu na baforada com uma nota 8,17 e ainda pegou outro bom tubo que valeu 6,83 para vencer fácil o australiano Soli Bailey por 15,00 a 3,50 pontos. Na segunda bateria, o taitiano Michel Bourez não deu qualquer chance para Yago Dora e avançou para enfrentar Italo Ferreira na disputa pela primeira vaga para as quartas de final em M-River.

Publicidade

Depois veio o único duelo brasileiro da terceira fase e Caio Ibelli já saiu pegando um tubo atrás do outro, enquanto Gabriel Medina parece ter preferido aguardar pelas maiores das séries. Só que elas não vinham e Ibelli construiu uma boa vantagem com as notas 7,50 e 6,17 das suas duas primeiras ondas. Medina ainda pegou um tubão, o maior da bateria, ficou entocado lá dentro de grabrail e saiu na baforada para receber 7,83 dos juízes. Ele ainda pegou outro que valeu 5,40, mas precisava de um pouco mais para reverter o placar, encerrado por uma pequena diferença de 13,67 a 13,23 pontos do bicampeão mundial.

Italo Ferreira (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

“Para mim, o Gabriel (Medina) é o melhor surfista do mundo, o mais completo, muito bom em qualquer tipo de onda”, destacou Caio Ibelli. “Ele tem um backhand incrível e quase me venceu no final. Ganhar dele foi muito especial para mim e estou feliz por ter passado para as oitavas de final aqui neste lugar incrível que é The Box. Mesmo eu caindo no recife naquela minha segunda onda, eu me diverti bastante e estou muito empolgado para esse evento”.

Depois de passar pelo bicampeão Gabriel Medina, Caio Ibelli terá outro teste de fogo nas oitavas de final com o onze vezes campeão mundial, Kelly Slater. O maior ídolo do esporte em todos os tempos, não teve dificuldades para vencer o defensor do título do Margaret River Pro, Willian Cardoso, por 10,06 a 7,34 pontos. A bateria seguinte não foi disputada, porque o italiano Leonardo Fioravanti contundiu o ombro e deixou o caminho livre para o sul-africano Jordy Smith. Na sequência, vieram quatro eliminações brasileiras.

A série de derrotas começou com Jessé Mendes sendo batido pelo norte-americano Conner Coffin por 12,33 a 9,20 pontos. Na seguinte, o surfista local de Margaret River, Jack Robinson, deu um show, surfando os melhores tubos do dia para fazer os recordes do campeonato. Ele já venceria com as notas 8,50 e 7,60 das duas primeiras ondas, mas trocou essas por 9,30 e 9,27 para fazer o maior placar do ano, 18,57 contra apenas 6,73 pontos do brasileiro.

Jadson André (Foto: Kelly Cestari / WSL via Getty Images)

O cearense Michael Rodrigues também foi eliminado em 17.o lugar no Margaret River Pro pelo havaiano Seth Moniz, sem conseguir surfar bem em The Box, assim como o potiguar Jadson André, que sofreu uma queda terrível nas pedras e abandonou a bateria com cortes nas costas, mas ele está bem. O australiano Julian Wilson passou para as oitavas de final por 7,47 a 4,30 nesse último confronto disputado em The Box no sábado.

A terceira fase foi encerrada nas ondas mais calmas de Main Break e a mudança foi boa para o paranaense Peterson Crisanto. O estreante na “seleção brasileira” do CT despachou Joan Duru por uma pequena vantagem de 14,23 a 14,10 pontos. O francês quase consegue a virada em sua última onda, que valeu 7,43. Mas, o brasileiro também somou o 6,90 da sua última apresentação com o 7,33 que já havia conseguido, para seguir para enfrentar o vice-campeão mundial Julian Wilson nas oitavas de final.

Peterson Crisanto (Foto: Kelly Cestari / WSL via Getty Images)

Na bateria seguinte, o outro novato na elite do CT este ano, Deivid Silva, não conseguiu achar boas ondas e foi barrado pelo australiano Ryan Callinan por 10,83 a 7,63 pontos. Depois da terceira fase masculina, foram realizadas as três baterias que faltavam para fechar as oitavas de final femininas e a primeira chamada do domingo será as 7h20 para um possível início em Main Break ou The Box as 7h40 na Austrália, 20h40 do sábado no Brasil.

O Margaret River Pro está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo e pelo Facebook Live da World Surf League.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.320 pontos e US$ 14.100:

1.a: Italo Ferreira (BRA) x Michel Bourez (TAH)

2.a: John John Florence (HAV) x Sebastian Zietz (HAV)

3.a: Kelly Slater (EUA) x Caio Ibelli (BRA)

4.a: Jordy Smith (AFR) x Conner Coffin (EUA)

5.a: Seth Moniz (HAV) x Jack Robinson (AUS)

6.a: Kolohe Andino (EUA) x Owen Wright (AUS)

7.a: Julian Wilson (AUS) x Peterson Crisanto (BRA)

8.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Ryan Callinan (AUS)

TERCEIRA FASE – 17.o lugar com 1.330 pontos e US$ 10.500:

1.a: Italo Ferreira (BRA) 15.00 x 3.50 Soli Bailey (AUS)

2.a: Michel Bourez (TAH) 12.17 x 4.27 Yago Dora (BRA)

3.a: John John Florence (HAV) 11.83 x 9.16 Jack Freestone (AUS)

4.a: Sebastian Zietz (HAV) 13.87 x 4.93 Jeremy Flores (FRA)

5.a: Caio Ibelli (BRA) 13.67 x 13.23 Gabriel Medina (BRA)

6.a: Kelly Slater (EUA) 10.06 x 7.34 Willian Cardoso (BRA)

7.a: Jordy Smith (AFR) x w.o Leonardo Fioravanti (ITA)

8.a: Conner Coffin (EUA) 12.33 x 9.20 Jessé Mendes (BRA)

9.a: Jack Robinson (AUS) 18.57 x 6.73 Filipe Toledo (BRA)

10: Seth Moniz (HAV) 12.77 x 2.14 Michael Rodrigues (BRA)

11: Owen Wright (AUS) 15.40 x 5.50 Ezekiel Lau (HAV)

12: Kolohe Andino (EUA) 13.20 x 12.00 Griffin Colapinto (EUA)

13: Julian Wilson (AUS) 7.47 x 4.30 Jadson André (BRA)

14: Peterson Crisanto (BRA) 14.23 x 14.10 Joan Duru (FRA)

15: Ryan Callinan (AUS) 10.83 x 7.63 Deivid Silva (BRA)

16: Kanoa Igarashi (JPN) 14.83 x 11.10 Ricardo Christie (NZL)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 4.745 pontos e US$ 18.000:

1.a: Courtney Conlogue (EUA) x Tatiana Weston-Webb (BRA)

2.a: Caroline Marks (EUA) x Sally Fitzgibbons (AUS)

3.a: Carissa Moore (HAV) x Brisa Hennessy (CRI)

4.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Lakey Peterson (EUA)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 2.610 pontos e US$ 14.100:

——-fecharam o sábado em Main Break:

6.a: Brisa Hennessy (CRI) 12.00 x 3.66 Malia Manuel (HAV)

7.a: Stephanie Gilmore (AUS) 10.57 x 6.00 Bronte Macaulay (AUS)

8.a: Lakey Peterson (EUA) 15.17 x 10.13 Nikki Van Dijk (AUS)

——-fecharam a sexta-feira em Main Break:

1.a: Courtney Conlogue (EUA) 11.44 x 6.33 Silvana Lima (BRA)

2.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) 12.50 x 6.30 Coco Ho (HAV)

3.a: Caroline Marks (EUA) 17.60 x 11.10 Paige Hareb (NZL)

4.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 14.10 x 9.20 Johanne Defay (FRA)

5.a: Carissa Moore (HAV) 14.34 x 8.17 Keely Andrew (AUS)