Três brasileiros disputam o título do QS 6000 de Sydney

Marco Fernandez won his Round 5 Heat at the Australian Open of Surfing in the dying seconds

Marco Fernandez (Foto: Tom Bennett – WSL)
By João Carvalho

Os paulistas Jessé Mendes e Alex Ribeiro e o baiano Marco Fernandez, passaram pelas duas fases realizadas no sábado de condições desafiadoras em Sydney, com muita chuva e mar mexido com ondas de 5-6 pés em Manly Beach. Eles garantiram maioria brasileira nas quartas de final que abrem o domingo decisivo do QS 6000 Australian Open of Surfing. Dois confrontos Brasil x Austrália vão definir os primeiros semifinalistas. Marco Fernandez enfrenta Julian Wilson na primeira bateria e Alex Ribeiro entra na segunda com Mitch Crews. E Jessé Mendes, que tirou o primeiro lugar no ranking do WSL Qualifying Series do catarinense Yago Dora, vai fechar as quartas de final com um concorrente direto pela liderança, o francês Jorgann Couzinet, da Ilha Reunião.

Logo Marco Fernandez acha outra esquerda e faz duas manobras fortes com velocidade para ganhar 7,83 e liderar a bateria. Mas, o surfista da Costa Rica também surfa uma boa onda e recebe 7,33, abrindo 5,83 pontos de vantagem nos 5 minutos finais. Faltando 3 minutos, Marco escolhe uma direita que abre para fazer três manobras potentes de frontside e vai destruindo a onda até o inside. Os juízes repetem a nota 7,83 e Noe Mar McGonagle ainda pegou uma esquerda nos últimos segundos, mas sem potencial para conseguir a virada no placar, que acabou encerrado em 15,66 a 13,66 pontos.A primeira classificação para o último dia do Australian Open foi conquistada por Marco Fernandez. Ele barrou o paulista Marcos Correa no primeiro confronto do dia, vencido por Julian Wilson. Depois das oitavas de final femininas, o baiano enfrentou o costa-ricense Noe Mar McGonagle, que começou mais ativo na bateria e largou na frente com nota 6,33. O mar estava bem balançado, sem chuva, mas com ventos fortes e grandes intervalos entre as séries. O brasileiro só pegou a sua primeira onda quando restavam 12 minutos, mandando um batidão de backside numa esquerda que rendeu nota 5,50.

Publicidade

“Essa bateria foi muito cansativa e eu estou exausto”, disse Marco Fernandez. “Não deu para relaxar nenhum minuto, pois a correnteza estava muito forte e tinha que ficar remando o tempo todo, mas estou feliz por ter conseguido achar duas ondas para vencer a bateria. Sei que agora vou enfrentar o Julian (Wilson) amanhã (domingo) e já estou ansioso para disputar uma bateria com ele, que é um dos meus surfistas favoritos. Eu só espero pegar boas ondas de novo para mostrar o meu surfe e fazer o que venho fazendo aqui até agora”.

Logo após a vitória de Marco Fernandez, Alex Ribeiro enfrentou o taitiano Mihimana Braye e começou bem a bateria, massacrando sua primeira onda para ganhar nota 8,17. Mas, seu adversário respondeu com um 7,00 e chegou a liderar quando conseguiu somar um 5,67. Isso até o brasileiro achar uma direita para mandar uma batida explosiva numa junção cavernosa que valeu 7,33. Com ela, Alex Ribeiro atingiu 15,50 pontos contra 12,67 de Mihimana Braye.

Mitch Crews (Foto: Tom Bennett - WSL)
Mitch Crews (Foto: Tom Bennett – WSL)

RECORDES DO DIA – Na disputa seguinte, o australiano Mitch Crews fez os recordes do dia com o mesmo ataque de duas manobras potentes de backside em duas esquerdas com muita energia que surfou contra o português Frederico Morais. Na primeira delas, recebeu nota 8,17 e na outra ganhou 9,40 para totalizar 17,57 pontos, superando os 17,43 de Julian Wilson na abertura das oitavas de final. Mitch Crews será o adversário de Alex Ribeiro na segunda quarta de final e o novo top do CT, Frederico Morais, terminou em nono lugar no Australian Open.

Quem também ultrapassou a barreira dos 17 pontos foi Hiroto Ohhara, no duelo com o brasileiro Luel Felipe. O japonês mostrou um surfe muito agressivo de backside nas esquerdas de Manly Beach, manobrando forte com velocidade para aumentar o recorde de nota no sábado para 9,83. Dois dos cinco juízes deram nota máxima para ele nessa onda. O pernambucano chegou a liderar a bateria quando completou as duas ondas computadas. Mas, a segunda do japonês valeu 7,50 para aplicar uma “combination” de 17,33 pontos no brasileiro. Campeão do US Open of Surfing em 2015, Hiroto Ohhara só esperou acabar a bateria e Luel Felipe se despediu do Australian Open em nono lugar.

Jessé Mendes entrou no duelo seguinte podendo tirar a liderança do WSL Qualifying Series de Yago Dora se passasse para as quartas de final. Seu adversário era o marroquino Ramzi Boukhiam, que teve um início melhor com nota 7,50, contra 5,67 do brasileiro. Depois, ambos surfaram algumas ondas fracas e Jessé pega uma esquerda mais limpa há 3 minutos do fim, que abre a parede para fazer três manobras. Ele precisava de 5,77 para vencer e os juízes deram nota 7,17 para fechar o placar em 12,84 a 11,43 pontos.

LIDERANÇA DO QS – Com a classificação para as quartas de final, Jessé Mendes assumiu o primeiro lugar no ranking e terá um confronto direto pela ponta com o francês Jorgann Couzinet, que derrotou o norte-americano Patrick Gudauskas no último duelo do dia. Para ultrapassar o brasileiro, o surfista da Ilha Reunião precisa chegar na final do Australian Open. O japonês Hiroto Ohhara também tem chance de sair de Sydney na frente, se vencer o campeonato.

Com os resultados do sábado atualizados no ranking, a lista provisória dos dez indicados pelo QS para completar a elite dos top-34 da World Surf League tem três brasileiros no momento, Jessé Mendes em primeiro lugar, Yago Dora em segundo e o também catarinense Alejo Muniz em oitavo. Alejo perdeu na primeira rodada do sábado, para o marroquino Ramzi Boukhiam e o norte-americano Patrick Gudauskas. Com isso, ele pode sair do G-10 no domingo.

Entre os que ameaçam sua vaga estão os outros dois brasileiros que passaram para as quartas de final. O paulista Alex Ribeiro, que fez parte da elite mundial no ano passado junto com Alejo Muniz, chegou em Sydney em 111.o lugar no ranking e agora aparece em 12.o, bem próximo da zona de classificação para o CT 2018. E o baiano Marco Fernandez já saltou de 364 para 18 e entra no G-10 se conseguir passar pelo grande favorito ao título do Australian Open, Julian Wilson.

MAIORIA BRASILEIRA – Os brasileiros começaram o sábado com oito surfistas entre os 24 que disputaram a primeira rodada do dia e a maioria foi mantida, com três avançando para disputar o título do QS 6000 de Sydney no domingo, contra dois australianos, um norte-americano, um francês e um japonês. Mas, os donos da casa ganharam as duas baterias com participação dupla do Brasil. Na primeira, Julian Wilson bateu Marco Fernandez e o paulista Marcos Correa foi eliminado. E Adam Melling derrotou Luel Felipe o capixaba Rafael Teixeira, que também terminou em 17.o lugar no Australian Open.

Na mesma posição, ficaram o paulista Deivid Silva e o catarinense Alejo Muniz. Deivid perdeu para Noe Mar McGonagle e o australiano Dion Atkinson na segunda bateria do dia. E na sétima, Alejo foi barrado pelo marroquino Ramzi Boukhiam e o californiano Patrick Gudauskas. Nesta primeira rodada, Alex Ribeiro conquistou a única vitória verde-amarela, contra o português Frederico Morais e o australiano Mikey Wright. Marco Fernandez passou em segundo com Julian Wilson e Jessé Mendes avançou atrás do francês Jorgann Couzinet.

Silvana Lima (Foto: Tom Bennett - WSL)
Silvana Lima (Foto: Tom Bennett – WSL)

QS 6000 FEMININO – Depois da quarta fase masculina, foram iniciadas as oitavas de final do QS 6000 Girls Make Your Move Women´s Pro e a única sul-americana a chegar no sábado foi eliminada na primeira bateria. O mar estava muito difícil para as meninas competirem e a brasileira Silvana Lima só conseguiu surfar uma onda boa, sendo derrotada pela australiana Philippa Anderson por um baixo placar de 9,44 a 9,17 pontos. Não fosse isso, todas as oito classificadas para as quartas de final seriam integrantes da atual elite do CT feminino.

Phillipa Anderson foi a única exceção e vai encarar a favorita ao título do QS 6000 de Sydney, a campeã mundial Tyler Wright. A segunda semifinalista sairá do duelo entre outra australiana, Sally Fitzgibbons, com a havaiana Malia Manuel. Na terceira bateria, a francesa Johanne Defay enfrenta a australiana Keely Andrew. E a havaiana Tatiana Weston-Webb, namorada do novo líder do QS, Jessé Mendes, fecha as quartas de final com a francesa Pauline Ado.

O QS 6000 Australian Open of Surfing e o QS 6000 Girls Make Your Move Women´s Pro estão sendo transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e as notícias destacando a participação sul-americana publicadas no www.wslsouthamerica.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

QUARTAS DE FINAL DO QS 6000 AUSTRALIAN OPEN OF SURFING:

——Vitória=Semifinais e Derrota=5.o lugar com 2.650 pontos e US$ 3.000 de prêmio:

1.a: Julian Wilson (AUS) x Marco Fernandez (BRA)

2.a: Alex Ribeiro (BRA) x Mitch Crews (AUS)

3.a: Nat Young (EUA) x Hiroto Ohhara (JPN)

4.a: Jessé Mendes (BRA) x Jorgann Couzinet (FRA)

QUARTAS DE FINAL DO QS 6000 GIRLS MAKE YOUR MOVE WOMEN´S PRO:

———–Vitória=Semifinais e Derrota=5.o lugar com 2.650 pontos e US$ 1.750 de prêmio:

1.a: Tyler Wright (AUS) x Philippa Anderson (AUS)

2.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Malia Manuel (HAV)

3.a: Johanne Defay (FRA) x Keely Andrew (AUS)

4.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) x Pauline Ado (FRA)

RESULTADOS DO SÁBADO NO QS 6000 DE SYDNEY EM MANLY BEACH:

OITAVAS DE FINAL DO QS 6000 AUSTRALIAN OPEN OF SURFING:

——Vitória=Quartas de Final e Derrota=9.o lugar com 1.550 pontos e US$ 2.500 de prêmio:

1.a: Julian Wilson (AUS) 17.43 x 8.00 Dion Atkinson (AUS)

2.a: Marco Fernandez (BRA) 15.66 x 13.66 Noe Mar McGonagle (CRI)

3.a: Alex Ribeiro (BRA) 15.50 x 12.67 Mihimana Braye (TAH)

4.a: Mitch Crews (AUS) 17.57 x 13.70 Frederico Morais (PRT)

5.a: Nat Young (EUA) 14.37 x 12.16 Adam Melling (AUS)

6.a: Hiroto Ohhara (JPN) 17.33 x 11.90 Luel Felipe (BRA)

7.a: Jessé Mendes (BRA) 12.84 x 11.43 Ramzi Boukhiam (MAR)

8.a: Jorgann Couzinet (FRA) 14.66 x 7.73 Patrick Gudauskas (EUA)

QUARTA FASE DO QS 6000 AUSTRALIAN OPEN OF SURFING:

——1.o e 2.o=Oitavas de Final e 3.o=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: 1-Julian Wilson (AUS)=15.27, 2-Marco Fernandez (BRA)=14.26, 3-Marcos Correa (BRA)=14.03

2.a: 1-Noe Mar McGonagle (CRI)=12.44, 2-Dion Atkinson (AUS)=12.00, 3-Deivid Silva (BRA)=7.93

3.a: 1-Alex Ribeiro (BRA)=11.73, 2-Frederico Morais (PRT)=11.00, 3-Mikey Wright (AUS)=10.66

4.a: 1-Mitch Crews (AUS)=14.00, 2-Mihimana Braye (TAH)=11.40, 3-Cam Richards (EUA)=11.20

5.a: 1-Adam Melling (AUS)=11.20, 2-Luel Felipe (BRA)=9.97, 3-Rafael Teixeira (BRA)=9.10

6.a: 1-Hiroto Ohhara (JPN)=14.93, 2-Nat Young (EUA)=14.90, 3-Ryan Callinan (AUS)=12.16

7.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR)=13.00, 2-Patrick Gudauskas (EUA)=12.34, 3-Alejo Muniz (BRA)=10.54

8.a: 1-Jorgann Couzinet (FRA)=13.93, 2-Jessé Mendes (BRA)=12.87, 3-Michael February (AFR)=11.26

OITAVAS DE FINAL DO QS 6000 GIRLS MAKE YOUR MOVE WOMEN´S PRO:

———–Vitória=Quartas de Final e Derrota=9.o lugar com 1.550 pontos e US$ 1.000 de prêmio:

1.a: Philippa Anderson (AUS) 9.44 x 9.17 Silvana Lima (BRA)

2.a: Tyler Wright (AUS) 16.44 x 7.50 Dimity Stoyle (AUS)

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 16.16 x 12.27 Claire Bevilacqua (AUS)

4.a: Malia Manuel (HAV) 11.83 x 10.70 Bronte Macaulay (AUS)

5.a: Keely Andrew (AUS) 9.16 x 8.20 Alessa Quizon (HAV)

6.a: Johanne Defay (FRA) 6.40 x 6.93 Brisa Hennessy (HAV)

7.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) 15.50 x 5.50 Isabella Nichols (AUS)

8.a: Pauline Ado (FRA) 9.83 x 5.47 Nikki Van Dijk (AUS)