Três brasileiros chegam as quartas de final na África do Sul

Willian Cardoso of Brazil advances to Round Five of The Ballito Pro presented by Billabong after winning Heat 8 of Round Four at Willard Beach, Ballito, South Africa.
Willian Cardoso (Foto: Kelly Cestari – WSL)
By João Carvalho

O Brasil segue firme na busca pela terceira vitória consecutiva nas etapas da “perna sul-africana” do WSL Qualifying Series. Alex Ribeiro ganhou as duas anteriores, o QS 3000 de Durban e o QS 1000 de Cape Town. Agora, a disputa é pelo título do evento mais importante da temporada e três brasileiros passaram para as quartas de final do QS 10000 Ballito Pro apresentado pela Billabong em KwaZulu-Natal. O líder do ranking e já com vaga confirmada no CT 2018 por antecipação, Jessé Mendes, foi o primeiro a se classificar. O segundo foi o também paulista Miguel Pupo e o terceiro o catarinense Willian Cardoso, que entrou no grupo dos dez indicados pelo QS para completar a elite dos top-34 da World Surf League.

O “power surf” de Willian Cardoso continuou arrancando boas notas dos juízes nas duas baterias que ele disputou na sexta-feira. Na primeira, derrotou o norte-americano Nat Young e despachou o número 7 do ranking, o australiano Cooper Chapman. Depois, ganhou o duelo brasileiro com o cearense Heitor Alves que fechou as oitavas de final e a sexta-feira do primeiro QS 10000 do ano na África do Sul. Essa última bateria não foi muito boa de ondas, mas Willian começou bem com nota 6,83, que acabou decidindo a vitória por 10,76 a 9,70 pontos.

Publicidade

Com os 5.200 pontos garantidos pela passagem para as quartas de final do QS 10000 Ballito Pro, Willian já saltou do 29.o para o quarto lugar no ranking liderado por mais dois brasileiros, Jessé Mendes e o catarinense Yago Dora. Além dele, o sul-africano Michael February, adversário do líder Jessé na disputa pela primeira vaga nas semifinais, também entrou na zona de classificação para o CT em KwaZulu-Natal. Eles acabaram tirando da lista o paulista Flavio Nakagima, que ficou em 17.o lugar na África do Sul ao ser derrotado pelo português Vasco Ribeiro e por Heitor Alves na quarta fase da competição.

Jesse Mendes (Foto: Kelly Cestari – WSL)

O próprio Vasco Ribeiro depois passou pelo californiano Nat Young na primeira rodada de baterias homem-a-homem e será o oponente de Willian Cardoso na última quarta de final. A primeira será entre Jessé Mendes e Michael February, que já venceu três provas do QS 1000 na África do Sul esse ano. O sul-africano barrou outro surfista que entrou no G-10 no primeiro QS 10000 do ano, o norte-americano Griffin Colapinto. Na disputa seguinte, Jessé conseguiu uma nota excelente – 9,10 – para despachar o havaiano Keanu Asing por 14,77 a 12,66 pontos.

Depois, os dois recordistas da quinta-feira em Ballito foram eliminados. O ídolo local, Jordy Smith, confirmou o favoritismo sobre o havaiano Joshua Moniz, assim como o também top do CT, Miguel Pupo, contra o marroquino Ramzi Boukhiam. Os dois agora farão um duelo da elite mundial nas ondas de Willard Beach na segunda quarta de final. Eles já se enfrentaram na última rodada de confrontos formados por quatro competidores e o brasileiro derrotou o sul-africano, que se classificou em segundo lugar.

Miguel Pupo (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Logo após a vitória de Miguel Pupo por 14,46 a 13,83 pontos sobre Ramzi Boukhiam, graças a nota 8,83 da sua melhor onda surfada na bateria, dois brasileiros perderam as baterias seguintes. O cearense Michael Rodrigues continuou usando os aéreos e acertou um que valeu nota 7,5. Porém, o australiano Wade Carmichael surfou duas ondas seguidas para receber 7,93 e 7,03 e vencer por 14,96 a 13,00 pontos. Já o vice-líder do ranking, Yago Dora, foi batido pelo novo recordista absoluto do campeonato, Mikey Wright, por 16,17 a 10,60.

RECORDISTA ABSOLUTO – O australiano fez os maiores placares e ganhou as maiores notas do dia nas boas ondas de Willard Beach na sexta-feira. Em sua primeira participação, completou um aéreo “full rotation” muito alto e com grande amplitude, para arrancar 9,87 dos juízes, com dois deles dando nota 10,00 para a manobra. Depois, surfou um tubaço espetacular que valeu 8,93 para totalizar impressionantes 18,80 pontos de 20 possíveis. Os recordes foram conseguidos na bateria da quarta fase, contra o brasileiro Michael Rodrigues e o norte-americano Parker Coffin.

Mikey Wright (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Na disputa seguinte, o português Vasco Ribeiro derrotou dois brasileiros usando a força nas manobras para abrir grandes leques de água nas direitas de Willard Beach. Com notas 8,17 e 7,17 em duas ondas seguidas, superou o cearense Heitor Alves por 15,34 a 13,57 e o paulista Flavio Nakagima terminou em último com 12,97. Nakagima defendia a última vaga no G-10 e acabou saindo da zona de classificação para o CT 2018 na África do Sul com a eliminação.

Nakagima terminou em 17.o lugar no QS 10000 Ballito Pro, empatado com os catarinenses Alejo Muniz e Tomas Hermes, além do capixaba Krystian Kymerson. Os quatro marcaram 2.200 pontos no ranking e receberam 2.700 dólares de prêmio. Barrados nas oitavas de final, o catarinense Yago Dora e os cearenses Michael Rodrigues e Heitor Alves, terminaram em nono lugar com 3.700 pontos e 4.300 dólares. E os que passaram para as quartas de final já garantiram um mínimo de 5.200 pontos e 7.000 dólares pelas classificações.

O QS 10000 Ballito Pro apresentado pela Billabong continua neste sábado em KwaZulu-Natal, com a primeira chamada para as quartas de final marcada para as 7h00 na África do Sul, 2h00 da madrugada no fuso horário de Brasília, com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

Michael Rodrigues (Foto: Kelly Cestari – WSL)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

QUARTAS DE FINAL DO QS 10000 BALLITO PRO:

1.a: Jessé Mendes (BRA) x Michael February (AFR)

2.a: Jordy Smith (AFR) x Miguel Pupo (BRA)

3.a: Wade Carmichael (AUS) x Mikey Wright (AUS)

4.a: Willian Cardoso (BRA) x Vasco Ribeiro (PRT)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.700 pontos e US$ 4.300 de prêmio:

1.a: Michael February (AFR) 13.67 x 11.23 Griffin Colapinto (EUA)

2.a: Jessé Mendes (BRA) 14.77 x 12.66 Keanu Asing (HAV)

3.a: Jordy Smith (AFR) 13.27 x 10.77 Joshua Moniz (HAV)

4.a: Miguel Pupo (BRA) 14.46 x 13.83 Ramzi Boukhiam (MAR)

5.a: Wade Carmichael (AUS) 14.96 x 13.00 Michael Rodrigues (BRA)

6.a: Mikey Wright (AUS) 16.17 x 10.60 Yago Dora (BRA)

7.a: Vasco Ribeiro (PRT) 13.44 x 11.67 Nat Young (EUA)

8.a: Willian Cardoso (BRA) 10.76 x 9.70 Heitor Alves (BRA)

QUARTA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final / 3.o=17.o lugar com US$ 2.700 e 2.200 pontos:

————–últimos resultados da quinta-feira:

1.a: 1-Griffin Colapinto (EUA)=14.83, 2-Jessé Mendes (BRA)=13.17, 3-Alejo Muniz (BRA)=12.00

2.a: 1-Keanu Asing (HAV)=14.30, 2-Michael February (AFR)=13.66, 3-Krystian Kymerson (BRA)=6.40

3.a: 1-Joshua Moniz (HAV)=15.10, 2-Miguel Pupo (BRA)=12.30, 3-Ryan Callinan (AUS)=6.20

————–baterias que abriram a sexta-feira:

4.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR)=16.84, 2-Jordy Smith (AFR)=16.24, 3-David Van Zyl (AFR)=7.77

5.a: 1-Wade Carmichael (AUS)=16.50, 2-Yago Dora (BRA)=14.43, 3-Tomas Hermes (BRA)=12.50

6.a: 1-Mikey Wright (AUS)=18.80, 2-Michael Rodrigues (BRA)=14.46, 3-Parker Coffin (EUA)=10.80

7.a: 1-Vasco Ribeiro (PRT)=15.34, 2-Heitor Alves (BRA)=13.57, 3-Flavio Nakagima (BRA)=12.97

8.a: 1-Willian Cardoso (BRA)=15.44, 2-Nat Young (EUA)=12.46, 3-Cooper Chapman (AUS)=10.06