Tóquio 2020: Definidos os critérios para escolha dos surfistas olímpicos

Gabriel Medina. Foto Divulgação WSL

ISA e COI entram em acordo sobre critérios de classificação para Tóquio 2020

Cada país poderá levar dois surfistas por gênero com 20 homens e 20 mulheres na Olimpíada. Atletas deverão participar obrigatoriamente do ISA World Surfing Games em 2019 e 202

Associação Internacional de Surfe (ISA – sigla em ingês) anunciou, nesta sexta-feira, que entrou em acordo com o Comitê Olímpico Internacional (COI) sobre os critérios de classificação para a Olimpíada de Tóquio 2020. As duas entidades vinham convesando sobre o tema desde o ano passado. Ficou definido que cada país poderá levar dois surfistas por gênero. Serão 20 homens e 20 mulheres competindo no Japão, quando o surfe fará a sua estreia em Jogos Olímpicos.

Segundo a ISA, o sistema de classificação escolhido permite a participação dos atletas que disputam o Circuito Mundial. Ficou decidido também que, para serem elegíveis para Tóquio 2020, os surfistas selecionados por suas respectivas federações devem participar do ISA World Surfing Games em 2019 e 2020.

Publicidade

– É um momento histórico para o esporte e para todos que sonharam em incluir o surfe nos Jogos Olímpicos. O processo assegura a universalidade geográfica, ao mesmo tempo que proporciona um caminho para a participação dos melhores profissionais – comentou o presidente da ISA, Fernando Aguerre.

A ordem hierárquica de classificação será pelos eventos abaixo:

1. Championship Tour de 2019: os primeiros 10 homens elegíveis e as primeiras oito mulheres elegíveis.
2. ISA World Surfing Games de 2020: os primeiros quatro homens elegíveis e as primeiras seis mulheres elegíveis.
3. ISA World Surfing Games de 2019: quatro homens e quatro mulheres selecionados de acordo com seu continente. Primeiro surfista elegível de cada gênero da África, Ásia, Europa e Oceania.
4. Jogos Pan-Americanos de 2019: o primeiro homem elegível e a primeira mulher elegível.
5. Copa da Nação Anfitriã: será realizada uma copa no Japão para definir os dois representantes do país-sede (um na categoria Masculino e um no Feminino), a não ser que algum surfista japonês garanta sua classificação por outro evento.

 Por globoesporte.globo.com