Tomas Hermes entra no G-10 nas oitavas de final em Haleiwa

Tomas Hermes winning Heat 5 of Round Three at the Hawaiian Pro at Haleiwa, Hawaii today.

Tomas Hermes (Foto: Kelly Cestari – WSL)
By João Carvalho

O mar baixou na terça-feira, mas Haleiwa Beach continuou bombando boas ondas de 4-6 pés para a estreia das principais estrelas do QS 10000 Hawaiian Pro na ilha de Oahu, como o novo campeão mundial John John Florence, que não decepcionou a torcida em casa. Foi um dia tenso, de baterias decisivas na penúltima batalha por vagas na elite dos top-34 da World Surf League e o catarinense Tomas Hermes entrou na lista dos dez indicados pelo Qualifying Series com a classificação para as oitavas de final. Ele acabou tirando do G-10 o paulista Jessé Mendes, que ficou na terceira fase, mas outros cinco também avançaram, Robson Santos com uma das maiores notas do dia, os tops do CT, Jadson André e Miguel Pupo, e as surpresas, Victor Bernardo e Samuel Pupo, que passou junto com Kelly Slater.

Samuel Pupo (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Samuel Pupo (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Com apenas 16 anos de idade, Samuel Pupo foi o primeiro a se classificar numa bateria com participação tripla do Brasil. Eram três jovens surfistas tendo o privilégio de competir com o maior ídolo do esporte. Slater chegou a enfrentar o pai de um deles no início da sua carreira no Circuito Mundial, Fabio Gouveia. Ele surfou a melhor onda do dia até ali e a nota 9,0 decidiu a vitória. Já Samuel Pupo apresentou um surfe de manobras modernas, acertando até um aéreo para barrar os dois brasileiros que estão na briga direta por vagas no CT. Ian Gouveia permanece no G-10, mas Deivid Silva perdeu sua penúltima chance de entrar na lista e já caiu da 11.a para a 14.a posição no ranking do WSL Qualifying Series.

Publicidade

Já o catarinense Tomas Hermes conseguiu uma importante vitória na sua luta por vaga no CT na bateria seguinte. Com a passagem para as oitavas de final, ele já ultrapassava a pontuação de Jessé Mendes no QS, assumindo a décima posição no ranking. Jessé ainda ia competir, mas foi eliminado pelos australianos Adrian Buchan e Ethan Ewing e perdeu mesmo seu lugar no G-10 no primeiro desafio da Tríplice Coroa Havaiana. Agora é Tomas Hermes quem vai defender a última vaga na terceira oitava de final do Hawaiian Pro. E a parada será dura, contra o ex-líder do ranking, Leonardo Fiovaranti, e dois tops do CT, o havaiano Sebastian Zietz e o australiano Davey Cathels.

Os brasileiros participaram dos cinco primeiros confrontos na manhã da segunda-feira em Haleiwa Beach e depois disputaram mais cinco seguidos durante a tarde, conquistando mais três classificações para as oitavas de final do QS 10000 Hawaiian Pro. No entanto, a primeira só veio após três eliminações consecutivas, dos tops da elite, Italo Ferreira e Wiggolly Dantas, e de Jessé Mendes em sua segunda defesa da última vaga no G-10.Depois da primeira vitória da terça-feira conquistada por Tomas Hermes, mais dois brasileiros entraram no mar e viram o italiano Leonardo Fioravanti aumentar o maior placar do dia para 17,37 pontos. Só que a melhor onda da bateria foi surfada por Robson Santos, que elevou o recorde de nota de Kelly Slater de 9,00 para 9,37. Com ela, superou o campeão mundial Pro Junior, Lucas Silveira, eliminando também o top da elite, Conner Coffin, californiano que foi finalista da última etapa do CT em Portugal.

Na bateria seguinte, Miguel Pupo foi o primeiro integrante da “seleção brasileira” do CT a se classificar e com vitória sobre três surfistas de outros países. Um deles era o penúltimo na lista dos dez do QS e Ryan Callinan também fracassou, ficando ameaçado de sair da lista em Haleiwa como Jessé Mendes. Outro australiano, Cooper Chapman, ganhou a disputa pela segunda vaga da bateria contra o espanhol Aritz Aranburu.

Jadson Andre (Foto: Tony Heff - WSL)
Jadson Andre (Foto: Tony Heff – WSL)

E para fechar a participação brasileira na terceira fase do Hawaiian Pro, o jovem paulista Victor Bernardo completou uma dobradinha verde-amarela na onda que surfou no minuto final da bateria vencida pelo potiguar Jadson André. Com ela, tirou a vaga nas oitavas de final do norte-americano Patrick Gudauskas e o australiano Adam Melling ficou em último. Jadson no momento está perdendo seu lugar na elite pelo ranking principal, mas pode garantir a permanência entre os dez indicados pelo QS. Ele já subiu da 22.a para a 17.a posição, mas tem que chegar na final do Hawaiian Pro para entrar no G-10 em Haleiwa Beach.

BRASIL NAS OITAVAS – Dos seis brasileiros que continuam na disputa do título do primeiro QS 10000 da Tríplice Coroa Havaiana, metade ficou na chave de cima, que vai apontar os dois primeiros finalistas, com a outra metade na de baixo. Ou seja, existe a possibilidade de mais uma decisão verde-amarela na ilha de Oahu, como a dos campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina no Billabong Pipe Masters do ano passado.

A grande surpresa do Hawaiian Pro, Samuel Pupo, com seus 16 anos de idade, vai abrir as oitavas de final com o taitiano Mihimana Braye, o francês Marc Lacomare e o espanhol Gony Zubizarreta. Na terceira bateria, Tomas Hermes faz sua primeira defesa da última vaga no G-10 contra o italiano Leonardo Fioravanti e dois tops do CT, o havaiano Sebastian Zietz e o australiano Davey Cathels. E Robson Santos entra na seguinte com o recém-coroado campeão mundial John John Florence e os australianos Jack Freestone e Connor O´Leary.

Robson Santos (Foto: Tony Heff - WSL)
Robson Santos (Foto: Tony Heff – WSL)

Na chave de baixo, os brasileiros vão disputar as últimas vagas para as quartas de final do QS 10000 de Haleiwa. A penúltima oitava de final será um confronto direto entre Brasil e Austrália, com Miguel Pupo e Victor Bernardo enfrentando Adrian Buchan e Nathan Hedge. E Jadson André encara mais dois na bateria que fecha as oitavas de final, Ethan Ewing e Cooper Chapman, além do francês Diego Mignot.

PRÓXIMA CHAMADA – A previsão é de que o mar continue baixando nos próximos dias, com expectativa para a entrada de um novo swell na ilha de Oahu na sexta-feira. No entanto, a comissão técnica do Hawaiian Pro se reúne no início de cada manhã e a primeira chamada da quarta-feira foi marcada para as 7h45 no Havaí, 15h45 no fuso de Brasília no horário de verão brasileiro.

O QS 10000 Hawaiian Pro está sendo transmitido ao vivo de Haleiwa Beach pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

OITAVAS DE FINAL DO QS 10000 HAWAIIAN PRO:

1.a: Mihimana Braye (TAH), Marc Lacomare (FRA), Gony Zubizarreta (ESP), Samuel Pupo (BRA)

2.a: Kelly Slater (EUA), Keanu Asing (HAV), Jeremy Flores (FRA), Mitch Crews (AUS)

3.a: Sebastian Zietz (HAV), Davey Cathels (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA), Tomas Hermes (BRA)

4.a: John John Florence (HAV), Jack Freestone (AUS), Connor O´Leary (AUS), Robson Santos (BRA)

5.a: Evan Geiselman (EUA), Brett Simpson (EUA), Griffin Colapinto (EUA), Vasco Ribeiro (PRT)

6.a: Jordy Smith (AFR), Kai Otton (AUS), Joan Duru (FRA), Frederico Morais (PRT)

7.a: Adrian Buchan (AUS), Miguel Pupo (BRA), Victor Bernardo (BRA), Nathan Hedge (AUS)

8.a: Jadson André (BRA), Ethan Ewing (AUS), Cooper Chapman (AUS), Diego Mignot (FRA)

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NA TERCEIRA FASE EM HALEIWA BEACH:

——–3.o=33.o lugar (US$ 1.600 e 1.100 pontos) / 4.o=49.o lugar (US$ 1.300 e 1.000 pontos):

——– bateria que fechou a segunda-feira:

1.a: 1-Gony Zubizarreta (ESP), 2-Mitch Crews (AUS), 3-Adriano de Souza (BRA), 4-Bino Lopes (BRA)

——– baterias que abriram a terça-feira:

2.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Jeremy Flores (FRA), 3-Kanoa Igarashi (EUA), 4-David do Carmo (BRA)

3.a: 1-Keanu Asing (HAV), 2-Mihimana Braye (TAH), 3-Yago Dora (BRA), 4-Alex Ribeiro (BRA)

4.a: 1-Kelly Slater (EUA), 2-Samuel Pupo (BRA), 3-Deivid Silva (BRA), 4-Ian Gouveia (BRA)

5.a: 1-Tomas Hermes (BRA), 2-Connor O´Leary (AUS), 3-Ramzi Boukhiam (MAR), 4-Caio Ibelli (BRA)

6.a: 1-Leonardo Fioravanti (ITA), 2-Robson Santos (BRA), 3-Lucas Silveira (BRA), 4-Conner Coffin (EUA)

11: 1-Joan Duru (FRA), 2-Brett Simpson (EUA), 3-Italo Ferreira (BRA), 4-Ian Crane (EUA)

12: 1-Frederico Morais (PRT), 2-Evan Geiselman (EUA), 3-Bede Durbidge (AUS), 4-Wiggolly Dantas (BRA)

13: 1-Adrian Buchan (AUS), 2-Ethan Ewing (AUS), 3-Jessé Mendes (BRA), 4-Shun Murakami (JPN)

14: 1-Miguel Pupo (BRA), 2-Cooper Chapman (AUS), 3-Aritz Aranburu (ESP), 4-Ryan Callinan (AUS)

15: 1-Jadson André (BRA), 2-Victor Bernardo (BRA), 3-Patrick Gudauskas (EUA), 4-Adam Melling (AUS)