Tininha em busca de recursos financeiros para competir

Diana Cristina, a Tininha, levantando a taça de campeã sul-americana — Foto: Arquivo Pessoal

Destaque do surfe paraibano, Tininha enfrenta dificuldades para voltar a competir após 4 anos

Com a falta de patrocínios, a surfista paraibana tem se desdobrado em busca de recursos financeiros que lhe garantam nas competições nacionais

Diana Cristina, conhecida no surfe como Tininha, é um dos maiores nomes do esporte na Paraíba. A surfista, de Baía da Traição, tem uma trajetória vitoriosa ao longo de 18 anos em cima das pranchas e acumula conquistas importantes: títulos brasileiro, sul-americano, pan-americano, paraibano e nordestino. Mesmo com o histórico vitorioso, os triunfos conquistados não têm garantido patrocínios e condições para que ela possa disputar as competições que almeja. Ela aguarda até esta quarta-feira, data final para inscrição na etapa de Ubatuba-SP do Circuito Nacional de Surfe Feminino, para saber se consegue alcançar o valor estimado de R$ 4 mil reais para se inscrever e competir.

Destaque do surfe paraibano, Tininha enfrenta dificuldades para voltar a competir após 4 anos
Foto Arquivo Pessoal

Com as disputas nacionais iniciando neste mês, Tininha tem feito a sua parte para buscar recursos financeiros. Com a pausa de quase quatro anos sem eventos no surfe brasileiro, Tininha foi lesada com a perda de patrocínios, sem poder disputar torneios internacionais. Ela ainda voltou a participar de alguns circuitos. Inclusive, no ano passado, conseguiu a 2ª colocação na Etapa WPS profissional, disputado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde tem residência fixa hoje.

Publicidade

A saída que ela encontrou foi buscar nas plataformas de financiamento online uma via para conseguir arrecadar ajuda dos seus seguidores e simpatizantes. O retorno ainda não foi positivo, mas Tininha segue na persistência para voltar às ondas.

 – Por falta de patrocínio, resolvi fazer a ‘Vakinha’, mas o retorno não foi como eu esperava. Não consegui arrecadar o que eu precisava para viajar. Vai ter a primeira etapa esse fim de semana, em Ubatuba. Alguns amigos em comum que me ajudaram, mas infelizmente ainda não é o valor que eu precisaria para poder viajar. Depois dessa etapa, logo em seguida, já é no Ceará. Então o gasto é bem maior. Minha vontade de voltar a competir e viajar é maior do que qualquer dificuldade – disse.

Tininha segue buscando recursos para voltar a competir — Foto: Arquivo Pessoal