Sul-americanos não começam bem no QS 6000 de Sydney

Marco Giorgi was victorious in Heat 12 of Round 1 at the Vissla Sydney Surf Pro.

Marco Giorgi (Foto: Ethan Smith – WSL)

By João Carvalho

Publicidade

O primeiro QS 6000 do ano terminou no domingo e o segundo já começou na segunda-feira de boas ondas de 4-6 pés em Manly Beach, Sydney, na Austrália. Foram realizadas as 24 baterias da primeira fase e os surfistas da América do Sul não começaram bem no Vissla Sydney Surf Pro. Dos 28 que competiram, apenas nove brasileiros e o único uruguaio se classificaram para enfrentar os cabeças de chave da segunda fase, cuja lista tem mais quinze brasileiros e um peruano. Na segunda-feira, doze brasileiros, três peruanos e dois argentinos, perderam logo no primeiro dia do evento que no ano passado foi vencido pelo paulista Jessé Mendes.

Marco Giorgi (Foto: Ethan Smith – WSL)

O defensor do título e o carioca Lucas Silveira, são os cabeças de chave da quinta bateria da segunda fase e vão estrear contra o francês Marc Lacomare e o havaiano Elijah Gates, dois surfistas que eliminaram sul-americanos na manhã do primeiro dia de ótimas ondas em Manly Beach, o brasileiro Jeronimo Vargas e o peruano Lucca Mesinas, respectivamente. Os paulistas Marcos Correa e Vitor Mendes já tinham perdido também, mas Hizunomê Bettero conseguiu a primeira classificação brasileira na sétima bateria, vencida pelo japonês Shun Murakami.

Na oitava, o catarinense Mateus Herdy e o capixaba Rafael Teixeira fizeram uma dobradinha verde-amarela vencedora sobre o argentino Santiago Muniz e o japonês Shuji Nishi. Mais cinco brasileiros estrearam nas duas baterias seguintes. Na nona, o costa-ricense Noe Mar McGonagle venceu e o paulista Samuel Pupo ganhou a briga pela segunda vaga do catarinense Yuri Gonçalves. E na décima, o cearense Heitor Alves e o paulista Thiago Guimarães barraram o pernambucano Gabriel Farias e o costa-ricense Tomas King na segunda dobradinha brasileira.

Raoni Monteiro (Foto: Ethan Smith – WSL)

A participação sul-americana prosseguiu nos confrontos seguintes com classificações e eliminações. Na 11.a bateria, o experiente carioca Raoni Monteiro estreou com vitória sobre três surfistas de outros países, assim como o uruguaio Marco Giorgi na 12.a. Já o saquaremense João Chianca e o pernambucano Luel Felipe caíram nas outras duas. Depois, David do Carmo também perdeu na 17.a e na vigésima Weslley Dantas conseguiu a quarta vitória brasileira, porém outro paulista foi barrado nessa, Thiago Camarão.

Na disputa seguinte, outro australiano impediu mais uma dobradinha brasileira, Shane Campbell. O paulista Robson Santos começou bem a bateria com nota 8,5 e liderou até o fim, mas o baiano Yagê Araujo foi eliminado. E nas três últimas baterias do dia, mais seis sul-americanos perderam nas estreias em Manly Beach, o argentino Leandro Usuna e o baiano Marco Fernandez na 22.a, os peruanos Alonso Correa e Tomas Tudela na 23.a e na última o chileno Manuel Selman e o paulista Victor Bernardo, que vinha de um bom resultado no QS 6000 Burton Automotive Pro, nono lugar, perdendo para Willian Cardoso nas oitavas de final.

Barron Mamiya (Foto: Ethan Smith – WSL)

ENCONTRO DE LÍDERES – O Surfest Newcastle foi encerrado no domingo e o vice-campeão na bateria final com o australiano Mikey Wright, Barron Mamiya, já competiu no quarto confronto da segunda-feira em Sydney. O havaiano passou em segundo lugar na vitória australiana de Reef Heazlewood que eliminou o paulista Vitor Mendes, irmão mais jovem do defensor do título do Vissla Sydney Surf Pro, Jessé Mendes.

Agora, os dois finalistas do QS 6000 Burton Automotive Pro já irão se enfrentar na terceira bateria da segunda fase em Manly Beach, encabeçada pelos australianos Ethan Ewing e Mikey Wright, que assumiu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series 2018 com a vitória em Newcastle. O havaiano Barron Mamiya é o vice-líder e o sul-africano Beyrick De Vries é o outro componente deste encontro de líderes.

SEGUNDA FASE – O Brasil estreia nesta segunda rodada com Miguel Pupo na quarta bateria. Na quinta, entram o campeão do QS 6000 de Sydney, Jessé Mendes, junto com Lucas Silveira. Na sexta, tem o catarinense Alejo Muniz. Na sétima, o potiguar Jadson André compete junto com Rafael Teixeira e as seguintes também terão participação dupla do Brasil, Hizunomê Bettero e Mateus Herdy na oitava e o cearense Michael Rodrigues e Thiago Guimarães na nona.

Heitor Alves (Foto: Ethan Smith – WSL)

Já a décima bateria ficou 100% verde-amarela. Ela já era encabeçada por Wiggolly Dantas e Flavio Nakagima e foi completada por mais um paulista, Samuel Pupo, além do cearense Heitor Alves, que se classificaram na segunda-feira. Na 11.a, entram mais dois brasileiros, os paulistas Alex Ribeiro e Raoni Monteiro. Na 12.a, o uruguaio Marco Giorgi está sozinho com três surfistas de outros países, assim como os brasileiros Bino Lopes na 14.a, Ian Gouveia na 16.a, Tomas Hermes na 17.a e Deivid Silva na 19.a.

Na vigésima, serão três disputando duas vagas para a fase dos 48 melhores com o francês Tristan Guilbauld, o novo top do CT, Willian Cardoso, Peterson Crisanto e Weslley Dantas. E na 21.a bateria, acaba a participação sul-americana na segunda fase com o peruano Miguel Tudela estreando junto com o paulista Robson Santos, contra o sul-africano Michael February e o norte-americano Michael Dunphy.

Acompanhe a transmissão ao vivo das etapas do QS 6000 masculina e feminina do Vissla Sydney Surf Pro ao vivo de Sydney na Austrália pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

BATERIAS DOS SUL-AMERICANOS NAS PRIMEIRAS FASES DO QS 6000 DE SYDNEY:

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar com 120 pontos e 4.o=121.o lugar com 75 pontos:

1.a: 1-Mitch Crews (AUS), 2-Cody Young (HAV), 3-Marcos Correa (BRA), 4-Dayyan Neve (AUS)

4.a: 1-Reef Heazlewood (AUS), 2-Barron Mamiya (HAV), 3-Diego Mignot (FRA), 4-Vitor Mendes (BRA)

5.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Joh Azuchi (JPN), 3-Dean Bowen (AUS), 4-Jeronimo Vargas (BRA)

6.a: 1-Matthew McGillivray (AFR), 2-Elijah Gates (HAV), 3-Lucas Mesinas (PER), 4-Jared Hickel (AUS)

7.a: 1-Shun Murakami (JPN), 2-Hizunomê Bettero (BRA), 3-Yuji Mori (JPN), 4-Rio Waida (IDN)

8.a: 1-Mateus Herdy (BRA)2-Rafael Teixeira (BRA)3-Santiago Muniz (ARG), 4-Shuji Nishi (JPN)

9.a: 1-Noe Mar McGonagle (CRI), 2-Samuel Pupo (BRA)3-Yuri Gonçalves (BRA), 4-Makai McNamara (HAV)

10: 1-Heitor Alves (BRA)2-Thiago Guimarães (BRA)3-Gabriel Farias (BRA), 4-Tomas King (CRI)

11: 1-Raoni Monteiro (BRA), 2-Kalani Ball (HAV), 3-Paul Cesar Distinguin (FRA), 4-Kaito Kino (HAV)

12: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Josh Burke (BRB), 3-Takumi Nakamura (JPN), 4-Jordan Lawler (AUS)

13: 1-Mihimana Braye (TAH), 2-Charles Martin (FRA), 3-João Chianca (BRA), 4-Andy Criere (ESP)

14: 1-Tomas Fernandes (PRT), 2-Parker Coffin (EUA), 3-Billy Stairmand (NZL), 4-Luel Felipe (BRA)

17: 1-Jake Marshall (EUA), 2-Yuji Nishi (JPN), 3-David do Carmo (BRA), 4-Ian Crane (EUA)

20: 1-Weslley Dantas (BRA), 2-Mitchell James (AUS), 3-Thiago Camarão (BRA), 4-Nicholas Squiers (AUS)

21: 1-Robson Santos (BRA), 2-Shane Campbell (AUS), 3-Yage Araujo (BRA), 4-Nomme Mignot (FRA)

22: 1-Kade Matson (EUA), 2-Michael Dunphy (EUA), 3-Leandro Usuna (ARG)4-Marco Fernandez (BRA)

23: 1-Imaikalani Devault (HAV), 2-Quinn Bruce (AUS), 3-Alonso Correa (PER), 4-Tomas Tudela (PER)

24: 1-Jordy Collins (EUA), 2-Matt Banting (AUS), 3-Victor Bernardo (BRA)4-Manuel Selman (CHL)

SEGUNDA FASE – entrada dos 48 cabeças de chave mais bem ranqueados na WSL:

——3.o=49.o lugar com US$ 550 e 400 pontos e 4.o=73.o lugar com US$ 450 e 370 pontos:

4.a: Miguel Pupo (BRA), Ramzi Boukhiam (MAR), Taylor Clark (EUA), Reef Heazlewood (AUS)

5.a: Jessé Mendes (BRA)Lucas Silveira (BRA), Marc Lacomare (FRA), Elijah Gates (HAV)

6.a: Alejo Muniz (BRA), Carlos Munoz (CRI), Joh Azuchi (JPN), Matthew McGillivray (AFR)

7.a: Jadson André (BRA), Cooper Chapman (AUS), Shun Murakami (JPN), Rafael Teixeira (BRA)

8.a: Keanu Asing (HAV), Mitch Coleborn (AUS), Hizunomê Bettero (BRA)Mateus Herdy (BRA)

9.a: Michael Rodrigues (BRA), Soli Bailey (AUS), Noe Mar McGonagle (CRI), Thiago Guimarães (BRA)

10: Wiggolly Dantas (BRA)Flavio Nakagima (BRA)Samuel Pupo (BRA)Heitor Alves (BRA)

11: Nat Young (EUA), Alex Ribeiro (BRA)Raoni Monteiro (BRA), Josh Burke (BRB)

12: Griffin Colapinto (EUA), Jackson Baker (AUS), Kalani Ball (AUS), Marco Giorgi (URU)

14: Ricardo Christie (NZL), Bino Lopes (BRA), Charles Martin (FRA), Tomas Fernandes (PRT)

16: Ian Gouveia (BRA), Adam Melling (AUS), Oney Anwar (IDN), Benji Brand (HAV)

17: Tomas Hermes (BRA), Ryan Callinan (AUS), Jake Marshall (EUA), Hiroto Arai (JPN)

19: Joshua Moniz (HAV), Deivid Silva (BRA), Finn McGill (HAV), Mitchell James (AUS)

20: Willian Cardoso (BRA)Peterson Crisanto (BRA), Tristan Guilbaud (FRA), Weslley Dantas (BRA)

21: Michael February (AFR), Miguel Tudela (PER)Robson Santos (BRA), Michael Dunphy (EUA)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2018 – 10 etapas:

01: Mikey Wright (AUS) – 6.555 pontos

02: Barron Mamiya (HAV) – 5.385

03: Evan Geiselman (EUA) – 5.050

04: Matthew McGillivray (AFR) – 4.230

05: Stu Kennedy (AUS) – 3.550

06: Davey Cathels (AUS) – 3.210

07: Joshua Moniz (HAV) – 3.200

08: Reo Inaba (JPN) – 2.990

09: Charles Martin (FRA) – 2.950

10: Jorgann Couzinet (FRA) – 2.755

———-sul-americanos até 100:

12: Jadson André (BRA) – 2.650 pontos

12: Willian Cardoso (BRA) – 2.650

16: Miguel Pupo (BRA) – 2.310

27: Weslley Dantas (BRA) – 1.800

28: Lucca Mesinas (PER) – 1.700

30: Rafael Teixeira (BRA) – 1.650

35: Wesley Leite (BRA) – 1.579

36: Tomas Hermes (BRA) – 1.550

36: Michael Rodrigues (BRA) – 1.550

36: Alejo Muniz (BRA) – 1.550

36: Victor Bernardo (BRA) – 1.550

49: Manuel Selman (CHL) – 1.340

54: Miguel Tudela (PER) – 1.250

54: Marco Fernandez (BRA) – 1.250

64: Jeronimo Vargas (BRA) – 1.180

64: Alvaro Malpartida (PER) – 1.180

71: Pedro Neves (BRA) – 1.120

77: Wiggolly Dantas (BRA) – 1.050

81: Marco Giorgi (URU) – 1.020

84: Ian Gouveia (BRA) – 1.000

88: Robson Santos (BRA) – 955

91: Tomas Tudela (PER) – 900

96: José Gundesen (ARG) – 854

98: Joaquin del Castillo (PER) – 840