Silvana Lima vence primeira bateria do ano na Austrália

Silvana Lima

Silvana Lima (Foto: Ed Sloane – WSL)
By João Carvalho

A quarta-feira amanheceu com ondas de 3-4 pés em Bells Beach e o início da categoria masculina foi adiado, mas as meninas competiram em boas condições, pois o mar foi melhorando no decorrer do dia para elas darem um show na Austrália. As campeãs mundiais Tyler Wright e Carissa Moore se destacaram com grandes apresentações e a brasileira Silvana Lima finalmente venceu sua primeira bateria do ano no World Surf League Championship Tour. Ela vai disputar a última vaga para as quartas de final com a hexacampeã mundial Stephanie Gilmore, que defende a lycra amarela do Jeep WSL Leader no Rip Curl Women´s Pro.

Silvana Lima (Foto: Ed Sloane – WSL)

A cearense competiu sempre no último confronto das três rodadas realizadas na quarta-feira em Bells Beach. Na primeira fase, ela boiou bastante, esperou demais e só surfou sua primeira onda quando restavam 10 minutos para o término da bateria. A onda era boa e Silvana ganhou nota 6,33. A segunda pegou 5 minutos depois e também surfou bem para ganhar 5,83 e deixar a francesa Johanne Defay em último lugar, mas não o suficiente para superar Tatiana Weston-Webb. A havaiana liderou toda a bateria e venceu por 13,34 pontos, contra 12,16 de Silvana Lima e 8,74 de Johanne Defay.

Publicidade

Em sua segunda bateria do dia, a brasileira foi mais rápida e logo pegou sua primeira onda com uma prancha diferente, mas errou a segunda manobra e voltou ao outside de jet-ski. As séries demoravam a entrar e Silvana pega outra, mas volta a falhar nas direitas muito cheias e difíceis de surfar de Bells Beach. Pior estava a australiana Laura Enever, que não conseguia acertar nada e facilitou o trabalho de Silvana Lima, que foi melhorando a cada onda, finalmente conseguindo mostrar o seu surfe pela primeira vez na temporada. Na primeira que surfou até o fim sem errar, ganhou nota 5,00, depois tirou um 6,50 e no final massacrou outra direita manobrando forte de frontside para ganhar nota 8,00. Com ela, consolidou sua primeira vitória por uma “combination” de 14,50 pontos sobre a australiana.

Silvana voltou ao mar para fechar a quarta-feira na disputa pela última vaga direta para as quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach. As condições do mar já estavam bem mais complicadas, com poucas ondas boas entrando para as três competidoras. A francesa Johanne Defay teve mais sorte de pegar a melhor que valeu nota 6,00 para vencer por 9,33 pontos. A brasileira só conseguiu somar 4,80 nas duas notas computadas e Sally Fitzgibbons, que divide a liderança do ranking com Stephanie Gilmore, ficou em último com apenas 1,73 pontos.

Stephanie Gilmore (Foto: Ed Sloane – WSL)

JEEP WSL LEADER – Pela primeira vez, duas surfistas competiram com a lycra amarela do Jeep WSL Leader. Ambas perderam na primeira rodada classificatória para as quartas de final e terão que encarar a última repescagem do Rip Curl Women´s Pro Bells Beach. A hexacampeã mundial Stephanie Gilmore também tinha ficado em último lugar no confronto anterior, vencido pela norte-americana Lakey Peterson. Agora, as duas surfistas mais experientes da elite das top-17 da World Surf League, vão se enfrentar na bateria que fechará a quarta fase. Quem vencer o duelo entre Silvana Lima e Stephanie Gilmore, segue para disputar a última vaga para as semifinais com a francesa Johanne Defay.

DESTAQUES DO DIA – No primeiro dia, os grandes destaques foram as campeãs mundiais Tyler Wright e Carissa Moore. A defensora do título fez os recordes das duas fases que disputou. Na primeira, Tyler somou notas 9,00 e 8,00 para derrotar a também australiana Laura Enever e a neozelandesa Ella Williams. Depois, foi mais arrasadora ainda com seu ataque agressivo de grandes manobras executadas com bastante pressão e velocidade nas direitas de Bells Beach. Ela ganhou notas 7,67, 8,77 e 7,50 nas primeiras ondas, mas computou as duas últimas, que valeram 9,20 e 9,27 para totalizar 18,47 pontos. A vitória sobre a norte-americana Sage Erickson e a australiana Nikki Van Dijk valeu a segunda vaga para as quartas de final.

“Foi um dia muito bom hoje (quarta-feira) e surfar em Bells Beach tão consistente assim é ótimo”, disse Tyler Wright. “Você ainda precisa ser bem seletiva para escolher as ondas, mas o mar está tão bom que pode se dar ao luxo de experimentar algumas coisas diferentes na bateria. Eu nunca venci esse evento, mas no momento estou focando em metas menores para depois lidar com as maiores quando chegar mais perto delas. Estou me sentindo bem, sem tanta pressão como antes e isso definitivamente se reflete no meu surfe, então espero continuar assim, tentando me divertir surfando para buscar meus objetivos”.

Tyler Wright (Foto: Ed Sloane – WSL)

Além da atual campeã mundial, Tyler Wright, quem também brilhou na quarta-feira foi a tricampeã Carissa Moore. A havaiana estreou bem com uma nota 8,17 em sua primeira onda surfada em Bells Beach, mas depois perdeu muito tempo esperando por ondas boas e acabou batida pela australiana Nikki Van Dijk. No entanto, aproveitou a segunda chance de avançar para a terceira fase de forma espetacular, com quatro notas no critério excelente do julgamento. Ela já começou o duelo com Ella Williams com notas 8,67 e 8,33, que depois foram trocadas pelo 9,80 e 9,33 que recebeu nas últimas que surfou. Com elas, se tornou a recordista absoluta do Rip Curl Pro Bells Beach com 19,13 pontos de 20 possíveis.

Depois, Carissa teve uma disputa mais acirrada na batalha pela primeira vaga direta para as quartas de final. A atual vice-campeã mundial, Courtney Conlogue, ficou muito perto da vitória em sua última onda, mas ela precisava de 7,51 e recebeu nota 7,03. A norte-americana atingiu 15,03 pontos contra 15,50 das notas 8,33 e 7,17 de Carissa Moore. A também havaiana Coco Ho completou essa bateria que abriu a terceira fase e ficou em último com 10,60. Mas, as derrotadas nessa rodada têm uma segunda chance de classificação para as quartas de final.

“As ondas estão bombando lá fora e eu estou exausta”, disse Carissa Moore. “Foi muito desgastante disputar três baterias hoje (quarta-feira) nessa condição de mar, então poder avançar direto para as quartas de final foi como um bônus para mim e agora posso relaxar um pouco. As ondas estavam muito diferentes em cada bateria, então tivemos que nos adaptar rapidamente. Estou me sentindo bem e feliz por ter me recuperado da derrota na primeira fase. É sempre ótimo voltar a Bells Beach e espero conseguir outro bom resultado aqui”.

Carissa Moore (Foto: Jack Barripp – WSL)

MASCULINO ADIADO – A melhora do mar durante o dia surpreendeu a todos e muitos surfistas gostariam de estar competindo na quarta-feira, mas o início da categoria masculina foi adiado logo na primeira chamada do dia. Os brasileiros participam das primeiras baterias. O potiguar Jadson André terá uma parada duríssima contra o tricampeão mundial Mick Fanning e o defensor do título do Rip Curl Pro, Matt Wilkinson. Na segunda, Miguel Pupo enfrenta o também australiano Owen Wright e o havaiano Ezekiel Lau. E na terceira, o campeão mundial Gabriel Medina estreia contra o australiano Stu Kennedy e o italiano Leonardo Fioravanti.

A “seleção brasileira” estará desfalcada mais uma vez do potiguar Italo Ferreira, que se contundiu após a etapa de abertura da temporada na Gold Coast. Mas, terá o reforço do jovem Samuel Pupo, que ganhou a vaga de convidado na triagem realizada na terça-feira. O irmão mais jovem de Miguel Pupo fará sua primeira apresentação na divisão de elite da World Surf League na quinta bateria, contra o norte-americano Kolohe Andino e o australiano Jack Freestone, que chegaram nas fases finais da etapa passada, em Margaret River.

Depois, o outro campeão mundial brasileiro, Adriano de Souza, entra na sétima bateria junto com o também paulista Caio Ibelli e o francês Joan Duru. Na oitava, o pernambucano Ian Gouveia disputa classificação direta para a terceira fase com a fera Kelly Slater (EUA) e Josh Kerr (AUS). Filipe Toledo está na penúltima com Conner Coffin (EUA) e Bede Durbidge (AUS). E Wiggolly Dantas na última com Julian Wilson (AUS) e Sebastian Zietz (HAV).

O Rip Curl Pro Bells Beach está sendo transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO RIP CURL WOMEN´S PRO BELLS BEACH:

1.a: 1-Sage Erickson (EUA)=14.00, 2-Courtney Conlogue (EUA)=13.74, 3-Coco Ho (HAV)=11.03

2.a: 1-Nikki Van Dijk (AUS)=12.67, 2-Carissa Moore (HAV)=11.67, 3-Bronte Macaulay (AUS)=9.16

3.a: 1-Tyler Wright (AUS)=17.00, 2-Ella Williams (NZL)=6.53, 3-Laura Enever (AUS)=6.50

4.a: 1-Stephanie Gilmore (AUS)=10.16, 2-Isabela Nichols (AUS)=10.16, 3-Keely Andrew (AUS)=9.56

5.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=14.13, 2-Lakey Peterson (EUA)=13.60, 3-Pauline Ado (FRA)=7.44

6.a: 1-Tatiana Weston-Webb (AUS)=13.34, 2-Silvana Lima (BRA)=12.16, 3-Johanne Defay (FRA)=8.74

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.000:

1.a: Coco Ho (HAV) 12.14 x 12.00 Keely Andrew (AUS)

2.a: Lakey Peterson (EUA) 13.70 x 12.44 Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Carissa Moore (HAV) 19.13 x 6.37 Ella Williams (NZL)

4.a: Courtney Conlogue (EUA) 16.44 x 12.56 Isabela Nichols (AUS)

5.a: Johanne Defay (FRA) 15.43 x 9.43 Pauline Ado (FRA)

6.a: Silvana Lima (BRA) 14.50 x 4.13 Laura Enever (AUS)

TERCEIRA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Quarta Fase:

1.a: 1-Carissa Moore (HAV)=15.50, 2-Courtney Conlogue (EUA)=15.03, 3-Coco Ho (HAV)=10.60

2.a: 1-Tyler Wright (AUS)=18.47, 2-Sage Erickson (EUA)=15.73, 3-Nikki Van Dijk (AUS)=8.76

3.a: 1-Lakey Peterson (EUA)=14.90, 2-Tatiana Weston-Webb (HAV)=12.84, 3-Stephanie Gilmore (AUS)=12.00

4.a: 1-Johanne Defay (FRA)=9.33, 2-Silvana Lima (BRA)=4.80, 3-Sally Fitzgibbons (AUS)=1.73

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final e Derrota=9.o lugar com 3.300 pontos e US$ 11.500:

1.a: Courtney Conlogue (EUA) x Nikki Van Dijk (AUS)

2.a: Sage Erickson (EUA) x Coco Ho (HAV)

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Tatiana Weston-Webb (HAV)

4.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Silvana Lima (BRA)

QUARTAS DE FINAL DO RIP CURL WOMEN´S PRO:

1.a: Carissa Moore (HAV) x vencedora da 1.a bateria da Quarta Fase

2.a: Tyler Wright (AUS) x vencedora da 2.a bateria da Quarta Fase

3.a: Lakey Peterson (EUA) x vencedora da 3.a bateria da Quarta Fase

4.a: Johanne Defay (FRA) x vencedora da 4.a bateria da Quarta Fase

PRIMEIRA FASE DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:

1.a: Matt Wilkinson (AUS), Mick Fanning (AUS), Jadson André (BRA)

2.a: Owen Wright (AUS), Miguel Pupo (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

3.a: Gabriel Medina (BRA), Stuart Kennedy (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA)

4.a: Jordy Smith (AFR), Kanoa Igarashi (EUA), Nat Young (EUA)

5.a: Kolohe Andino (EUA), Jack Freestone (AUS), Samuel Pupo (BRA)

6.a: John John Florence (HAV), Jeremy Flores (FRA), Glyndyn Ringrose (AUS)

7.a: Adriano de Souza (BRA), Caio Ibelli (BRA), Joan Duru (FRA)

8.a: Kelly Slater (EUA), Josh Kerr (AUS), Ian Gouveia (BRA)

9.a: Michel Bourez (TAH), Connor O´Leary (AUS), Ethan Ewing (AUS)

10: Joel Parkinson (AUS), Adrian Buchan (AUS), Frederico Morais (PRT)

11: Filipe Toledo (BRA), Conner Coffin (EUA), Bede Durbidge (AUS)

12: Julian Wilson (AUS), Sebastian Zietz (HAV), Wiggolly Dantas (BRA)