Semifinalistas já definidas do Oi Rio Women´s Pro

Sally Fitzgibbons of Australia advances directly to the Quarterfinals after winning Heat 4 of Round Three of the Women's Oi Rio Pro at Saquarema, Rio De Janeiro, Brazil.

Sally Fitzgibbons (Foto: Poullenot – WSL)
By João Carvalho

As australianas Tyler Wright e Sally Fitzgibbons irão reeditar a decisão do título do Oi Rio Pro no ano passado na segunda semifinal que será disputada neste domingo em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro

As duas venceram os últimos duelos do sábado de praia lotada em Itaúna e a batalha pela primeira vaga na grande final será entre a francesa Johanne Defay e outra australiana, Nikki Van Dijk, que parou a hexacampeã mundial Stephanie Gilmore nas quartas de final. A primeira chamada do domingo será as 7h00, tanto para as semifinais femininas, como para a quarta fase masculina, que tem quatro brasileiros na disputa do título, os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina, Wiggolly Dantas e Yago Dora.

Publicidade

As meninas competiram depois dos homens no sábado e disputaram três rodadas completas para definir as semifinalistas do Oi Rio Women´s Pro. As condições do mar estavam bem melhores no fim de tarde e elas aproveitaram para dar um show nas quartas de final que fecharam o dia de cenário perfeito para um campeonato de surfe, com boas ondas, Sol e praia lotada, para assistir os melhores surfistas do mundo competindo na Praia de Itaúna.

A primeira vaga para as semifinais foi conquistada pela francesa Johanne Defay. Ela surfou duas ondas no critério excelente dos juízes para derrotar a sul-africana Bianca Buitendag por 17,50 a 13,44 pontos, somando notas 9,00 e 8,50. Na segunda quarta de final, Nikki Van Dijk também começou forte com 8,77, depois atacou outra onda de forma parecida para receber 8,67 e eliminar a número 1 do Jeep WSL Leader. A hexacampeã mundial Stephanie Gilmore só surfou uma boa e foi batida por uma “combination” de 17,44 pontos.

Tyler Wright (Foto: Poullenot – WSL)

Com a quinta colocação no Oi Rio Women´s Pro, a australiana pode até perder a liderança do ranking para Sally Fitzgibbons, mas somente se ela vencer a etapa brasileira apresentada por Corona e patrocinada pela Oi em Saquarema. Então, terá que vingar a derrota sofrida para Tyler Wright na final do ano passado no Postinho da Barra Tijuca, Rio de Janeiro. E se conseguir o bicampeonato, Tyler ultrapassa Fitzgibbons e passa a dividir a dianteira na corrida pelo título mundial com Stephanie Gilmore. Já Sally consegue empatar se passar para a bateria final.

Não será fácil, pois a atual campeã mundial surfou uma onda de forma incrível no sábado, com um ataque agressivo variando as manobras com velocidade e muita pressão para tirar a maior nota da semana na Praia de Itaúna. Dois dos cinco juízes chegaram a dar nota 10 para Tyler Wright e a média ficou em 9,87. Ela já havia surfado três boas ondas que valeram 8,10, 7,97 e 7,00, para totalizar 17,97 pontos contra a norte-americana Sage Erickson nas quartas de final.

“Eu sinto que estou surfando em sintonia com a energia do campeonato e estou feliz por poder continuar disputando o título aqui no Brasil mais uma vez”, disse Tyler Wright. “Apesar do backwash, as ondas estão bem limpas e consegui mostrar um surfe de linha e força ao mesmo tempo. Minha maior nota (9,87) saiu só com duas manobras, mas foi uma onda da série que chegou na hora certa pra mim. Consegui fazer uma primeira manobra bem radical e outra com bastante pressão. Eu não sabia que ia ser uma nota tão alta, mas sabia que ia ser boa”.

A número 2 do Jeep WSL Leader, Sally Fitzgibbons, também confirmou o favoritismo na bateria australiana com Keely Andrew que fechou o sábado na Praia de Itaúna. Sua oponente começou melhor com nota 7,50, contra 7,33 da sua primeira onda. No entanto, Sally dominou todo o confronto com o 5,50 recebido em sua segunda apresentação, nota que depois foi trocada pelo 7,47 da última que surfou para sacramentar a vitória por 14,80 a 11,30 pontos.

“Foi uma bateria tensa, mas é sempre um prazer competir contra uma compatriota”, disse Sally Fitzgibbons. “A Keely (Andrew) surfou muito bem durante o dia, então eu sabia que não poderia dar mole pra ela. Não entraram muitas ondas na bateria com oportunidades para tirar notas altas, então isso deixou a bateria mais tensa ainda. No final, consegui pegar a melhor onda da bateria e foi ela que fez a diferença no resultado”.

O World Surf League Championship Tour tem patrocínio global do Jeep e Airbnb e a Oi como patrocinador “naming rights” da etapa brasileira apresentada por Corona. O Boticário e TNT Energy Drink são dois novos patrocinadores do Oi Rio Pro 2017, que é realizado com o importante apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e viabilizado pela Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje), da Prefeitura Municipal de Saquarema, Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ) e Associação de Surf de Saquarema (ASS). A competição está sendo transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

A OI E O ESPORTE – A companhia tem longo histórico de apoio ao esporte, com patrocínios a grandes eventos, equipes e atletas de diferentes modalidades como basquete, surfe e skate. O incentivo da Oi a projetos esportivos é estratégico, pois reconhece a importância do esporte como ferramenta de interação entre as pessoas e as cidades, seja através da sua prática, ou por meio de manifestações culturais como o grafite e a música. A empresa acredita que o esporte e o incentivo à cultura urbana potencializam conexões e amplia repertórios, aproximando pessoas de diferentes tribos, exercendo um importante papel no processo de desenvolvimento individual e social.

Em 2015 e 2016, a Oi patrocinou o Oi Rio Pro, a etapa brasileira do World Surf League Championship Tour (CT). Além disso, patrocina os surfistas brasileiros de destaque na WSL: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima e Adriano de Souza, o Mineirinho, além do surfista Davizinho, de 11 anos, atual campeão mundial de surfe adaptado. Recentemente, como parte do legado do patrocínio aos Jogos Cariocas de Verão de 2016, a Oi construiu pistas de skate em Manguinhos e São João da Barra e reformou o park de Campo Grande – aproveitando assim o grande potencial do esporte urbano para aproximar culturas e realidades, promovendo encontros e transformando espaços públicos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

——————————————————————

João Carvalho – Assessoria de Imprensa do Oi Pro Rio

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

Assessoria de Imprensa da Oi – Adriana Castelo Branco:

(21) 988-999-146 – adriana.castelobranco@oi.net.br

——————————————————————

SEMIFINAIS DO RIO WOMEN´S PRO – 3.o lugar com 6.500 pontos e US$ 18.250 de prêmio:

1.a: Johanne Defay (FRA) x Nikki Van Dijk (AUS)

2.a: Tyler Wright (AUS) x Sally Fitzgibbons (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.200 pontos e US$ 13.250 de prêmio:

1.a: Johanne Defay (FRA) 17.50 x 13.44 Bianca Buitendag (AFR)

2.a: Nikki Van Dijk (AUS) 17.44 x 13.43 Stephanie Gilmore (AUS)

3.a: Tyler Wright (AUS) 17.97 x 12.74 Sage Erickson (EUA)

4.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 14.80 x 11.30 Keely Andrew (AUS)

QUARTA FASE – Derrota=9.o lugar com 3.300 pontos e US$ 10.500 de prêmio:

1.a: Johanne Defay (FRA) 14.96 x 13.50 Coco Ho (HAV)

2.a: Nikki Van Dijk (AUS) 14.93 x 12.77 Courtney Conlogue (EUA)

3.a: Tyler Wright (AUS) 16.07 x 8.33 Laura Enever (AUS)

4.a: Keely Andrew (AUS) 13.43 x 10.63 Lakey Peterson (EUA)

TERCEIRA FASE CLASSIFICATÓRIA – Vitória=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Quarta Fase:

1.a: 1-Bianca Buitendag (AFR)=15.44, 2-Johanne Defay (FRA)=14.74, 3-Courtney Conlogue (EUA)=11.60

2.a: 1-Stephanie Gilmore (AUS)=17.33, 2-Nikki Van Dijk (AUS)=16.50, 3-Coco Ho (HAV)=11.10

3.a: 1-Sage Erickson (EUA)=18.26, 2-Tyler Wright (AUS)=15.03, 3-Keely Andrew (AUS)=13.23

4.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=16.57, 2-Lakey Peterson (EUA)=16.04, 3-Laura Enever (AUS)=12.07

QUARTA FASE DO OI RIO PRO – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: Adriano de Souza (BRA), Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA)

2.a: Joel Parkinson (AUS), Mick Fanning (AUS), Yago Dora (BRA)

3.a: Jordy Smith (AFR), Matt Wilkinson (AUS), Adrian Buchan (AUS)

4.a: Owen Wright (AUS), Julian Wilson (AUS), Kanoa Igarashi (EUA)