Saiba as baterias de Portugal; e como esta a briga pelo título mundial

John John pode ser campeão em Portugal e tenta se livrar das ameaças. À espera de um milagre, Medina volta a sonhar com título e inicia caminhada contra Wiggolly e Kerr na penúltima etapa do CT

Na reta final da temporada, os melhores surfistas do mundo desembarcam em Peniche, Portugal, para a nona de 11 paradas do Circuito Mundial. Atual campeão mundial e líder do ranking, o havaiano John John Florence defende o título nas ondas de Supertubos e ainda pode garantir o bicampeonato mundial com uma etapa de antecedência.

O sul-africano Jordy Smith tenta barrar o rival e mantém vivas as esperanças de ir ao topo neste ano, repetindo os feitos de Shaun Tomson e Martin Potter, que cresceu em Durban e hoje é comentarista da WSL. À espera de um milagre, o atual top 3 Gabriel Medina precisa conquistar a etapa portuguesa e torcer por tropeços precoces dos dois maiores candidatos a erguer o caneco em 2017.

Publicidade

Com o tricampeonato em Hossegor, na França, Gabriel subiu de oitavo para terceiro do ranking e voltou a sonhar com o bi, no entanto, precisa de uma combinação de resultados. Esta foi a primeira vitória de Medina nesta temporada, sendo a quarta do Brasil em nove etapas completadas na França e a segunda consecutiva, após a conquista de Filipe Toledo em Trestles, na Califórnia. Filipinho já havia vencido o em J-Bay, na África do Sul, enquanto Adriano de Souza garantiu a sua segunda vitória no Rio Pro, desta vez, nas ondas de Saquarema (RJ).

– Fico feliz por ter chances agora de conseguir o título mundial e agora é focar em Portugal. Todo mundo começa do zero lá, então vamos com tudo para tentar outro bom resultado lá – disse Gabriel Medina, o primeiro brasileiro campeão mundial, em 2014.

Medina é o único brasileiro que pode ser líder em Portugal

O único brasileiro que pode chegar no Havaí com a lycra amarela é Medina. A possibilidade existe, mas será difícil de acontecer, mas só a vitória interessa ao local de Maresias. Além disso, o líder John John Florence não poderá passar da terceira fase e o vice, Jordy Smith, não chegar nas quartas de final. Medina inicia a sua caminhada em Supertubos na quarta bateria da primeira fase diante do também brasileiro Wiggolly Dantas e o australiano Josh Kerr. John John estreia contra Kanoa Igarashi e um wildcard (convidado a ser definido), enquanto Jordy terá pela frente Italo Ferreira e outro wildcard. A duas etapas para o fim, restam 20.000 pontos a serem disputados no ranking.

Devido ao extremo equilíbrio no ranking, são muitos os cenários. Há chances de o campeão mundial de 2017 ser conhecido já em Portugal, no entanto, a probabilidade é de que ele só seja definido na derradeira parada do Tour, o Pipeline Masters, no Havaí, em dezembro.

Até o top 8 mundial, ainda há chances matemáticas, portanto, Adriano de Souza (7º) e Filipe Toledo (8º) tem uma esperança de levar o Brasil ao topo, embora seja algo remoto e dependa de uma série de resultados. Os três membros do Brazilian Storm estão entre os surfistas que ainda têm chances matemáticas de conseguir o título mundial esse ano, mas apenas John John, Jordy e Medina vão brigar pela ponta do ranking em Supertubos, que começa na próxima sexta-feira. A janela de encerramento do campeonato é no dia 31 de outubro.

Os cenários do título em Portugal:

– Se John John Florence for campeão em Portugal, Jordy Smith precisa de ao menos um quinto lugar ou posição melhor para levar a decisão para o Havaí

– Se John John Florence for vice-campeão em Portugal, Jordy Smith precisa no mínimo de um nono lugar, enquanto Gabriel Medina, Owen Wright e Matt Wilkinson precisam de vencer a etapa portuguesa para levar a decisão para o Havaí

– Se John John Florence terminar até terceiro lugar em Portugal, a decisão do título mundial será no Havaí mesmo se Jordy Smith ficar em 25º (último lugar)

Confira as baterias da 1ª fase:

1: Julian Wilson (AUS) x Caio Ibelli (BRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)
2: Matt Wilkinson (AUS) x Bede Durbidge (AUS) x Stuart Kennedy (AUS)
3: Owen Wright (AUS) x Conner Coffin (EUA) x Ethan Ewing (AUS)
4: Gabriel Medina (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA) x Josh Kerr (AUS)
5: Jordy Smith (AFS) x Italo Ferreira (BRA) x wildcard
6: John John Florence (HAV) x Kanoa Igarashi (EUA) x wildcard
7: Adriano de Souza (BRA) x Jeremy Flores (FRA) x Jack Freestone (AUS)
8: Filipe Toledo (BRA) x Michel Bourez (TAH) x Jadson André (BRA) 
9: Joel Parkinson (AUS) x Joan Duru (FRA) x Nat Young (EUA)
10: Kolohe Andino (EUA) x Connor O’Leary (AUS) x Miguel Pupo (BRA)
11: Sebastian Zietz (HAV) x Adrian Buchan (AUS) x Ezekiel Lau (HAV)
12: Mick Fanning (AUS) x Frederico Morais (POR) x Ian Gouveia (BRA)

Top 5 do ranking mundial:

2017 WSL Men’s Jeep Leaderboard (After Quiksilver Pro France):

1 – John John Florence (HAW) 49,900 pts
2 – Jordy Smith (ZAF) 47,600 pts
3 – Gabriel Medina (BRA) 40,750 pts
4 – Owen Wright (AUS) 39,850 pts
5 – Matt Wilkinson (AUS) 38,200 pts
6 – Julian Wilson (AUS) 37,700
7 – Adriano de Souza (BRA) 36,600
8 – Filipe Toledo (BRA) 34,950

Fonte globoesporte.globo.com