Rico de Souza presencia swell gigante em Nazaré

Ondas gigantes em Nazaré. Foto: Joel Braga.

Nazaré: “Eu não fazia a menor ideia do que eu iria ver”

Publicidade

Fui a Portugal visitar meu filho Eric de Souza que está passando uma temporada em Nazaré. Aproveitei e parei em Lisboa para desfrutar da culinária portuguesa, os vinhos e conhecer os monumentos históricos; uma oportunidade única

Depois fui subindo a costa, conhecendo as praias em direção ao Norte, até chegar em Nazaré, onde fui encontrar meu filho Eric (atleta Pena), seu amigo Ian Cosenza (atleta Redley) e o Alemão de Maresias (parceiro da Alma Surf).

Nesta noite fomos jantar juntos e eles me falaram que havia previsão de um swell gigante para Nazaré, uma bomba, talvez uma das maiores ondulações do inverno.

A noite foi tensa, pois eu estava ansioso para ver as temidas ondas de Nazaré. Eu não fazia a menor ideia do que eu iria ver.

Chegando no farol de Nazaré, à direita fica a praia do Norte. As ondas quebravam lá fora. O mar estava gigante.

Era difícil dimensionar o tamanho das ondas, pois você fica no alto do farol e as ondas quebram muito longe da costa. Era um verdadeiro espetáculo ver a força das ondas e da natureza.

A temperatura na praia era muito fria, o vento gelado parecia que cortava a pele. Estava tão frio que tínhamos que nos esconder do vento.

Eu passando frio em Nazaré. Foto: Ricosurf.

No período da manhã havia cinco duplas de jet ski na água fazendo tow in, mas era tão longe que não sabia quem era a dupla, quem estava surfando.

Sabia que o Alemão de Maresias estava rebocando meu filho Eric, mas tudo era tão longe que não dava para identificar a cor do colete.

Veja uma GALERIA DE FOTOS com cliques impressionantes de Joel Braga.

Teve uma onda que quebrou para direita, era uma onda enorme, o pessoal que estava de binóculo me disse que era Ross Clarke-Jones, australiano casca grossa big rider e muito experiente.

Ele veio dropando a onda e costurando lá de fora, depois a onda foi emparedando, ganhando mais tamanho e deu um tubo gigante. Ele botou para dentro foi andando até o final e aí a onda o engoliu.

Ross Clarke-Jones. Foto: Joel Braga.

Foi realmente algo incrível a onda e à disposição do Ross Clark! Muita disposição e experiência!

Quando ele caiu, estava no meio do oceano, lá fora… O jet skit o resgatou e eles voltaram lá para o outside para pegar outra.

Ross Clarke-Jones. Foto: Joel Braga.

Já fui ao Hawaii inúmeras vezes, já vi ressacas em muitos países, mas eu não saberia dimensionar o tamanho desta onda.

Fiquei admirado com a coragem de todos que entraram no mar, mostraram muita técnica, coragem e disposição para encarar as ondas e aquele frio terrível. A roupa de borracha que usavam era 7 milímetros, com 6 mm nas mangas.

Ian Cosenza, Alemão de Maresias e meu filho Eric de Souza. Foto: @nazarewaves.

Eram várias duplas no jet ski. Estavam na água os brasileiros, australianos e o francês Sebastian que surfava muito, pegava as maiores.

Durante o período da manhã que eu estava presente, presenciei algo incrível: o jet colocou um surfista na onda, ele foi surfando e de repente caiu. O jet foi para areia, ou talvez tenha perdido o surfista de vista. Ele ficou perdido no meio da arrebentação, boiando e aguardando o jet resgatá-lo, e nada; ficou acenando para a praia pedindo seu resgate e ninguém estava vendo-o. Estava no maior sufoco!

Tensão em Nazaré. Foto: Joel Braga.

Ele deu sorte que as bombas não quebravam onde ele estava. Como eu estava no farol, vendo tudo de cima, vi uma pessoa com um rádio de comunicação e avisei a ela, que avisou o cara de um jet que estava lá fora e finalmente resgataram o cara. Incrível, o maior sufoco! Achei bizarra esta situação, o cara deu muita sorte.

Mais tarde fui encontrar meu filho Eric no porto e fomos tomar um café quente e comer algo. Fiquei orgulhoso dele e dos seus amigos Ian e Alemão de Maresias, o mais experiente. Realmente foi um trabalho em equipe.

Eric de Souza. Foto: @tiagobalsani.

Alemão de Maresias. Foto: Pedro Agostinho Cruz.

Ian Cosenza. Foto: @maurocorreiaonline.

Parabéns a todos que entraram no mar! Para mim foi uma grande experiência vivenciar a coragem, determinação e técnica para sobreviver em condições tão extremas.

Aloha – Keep surfing
Rico de Souza

Fonte globoesporte.globo.com