Quarta bateria em Bells é composta só de brasileiros

Italo Ferreira é especialista em surfar de costas para a onda (Foto: Kelly Cestari/WSL)

Nordestinos têm estreia dura na 2ª etapa do WSL, em Bells Beach, na Austrália
Pernambucano Ian Gouveia e potiguar Ítalo Ferreira formam bateria tripla de brasucas, com Gabriel Medina; Michael Rodrigues tem pela frente Ace Buchan

Com grande probabilidade de começar nesta terça-feira – às 18h, horário de Brasília -, a segunda parada da elite mundial de surfe, realizada em Bells Beach, em Victoria, na Austrália, reserva disputas duras para o trio nordestino na competição. Com objetivos distintos, neste início de temporada, Ian Gouveia, Ítalo Ferreira e Michael Rodrigues chegam confiantes em mais um evento do Tour, repleto de ondas perfeitas.

Publicidade

A disputa mais icônica envolve o pernambucano Ian Gouveia e o potiguar ítalo Ferreira na mesma bateria, a quarta do dia, ao lado do ex-campeão mundial Gabriel Medina.

Ian Gouveia se apressa para romper a barreira da segunda fase, em Bells (Foto: @WSL / Ed Sloane)

Ian Gouveia se apressa para romper a barreira da segunda fase, em Bells (Foto: @WSL / Ed Sloane)

Com boas apresentações no evento inaugural da temporada, em Snapper Rocks, também na Austrália, Ítalo Ferreira é considerado um expoente da nova geração. Além de ser um especialista nas condições geralmente apresentadas em Bells – no caso, vai surfar as ondas de costas, uma especialidade do representante de Baía Formosa.

Ian busca passar da segunda fase pela primeira vez este ano e espantar um fantasma que o assimbrou no ano passado. Com dificuldade extra, vai ter pela frente Ítalo, em grande fase, e o sempre perigoso Gabriel Medina, em qualquer condição de mar apresentada.

Michael Rodrigues, quinto na Gold Coast, espera repetir performance em Victoria (Foto: @WSL/Ed Sloane)

Michael Rodrigues, quinto na Gold Coast, espera repetir performance em Victoria (Foto: @WSL/Ed Sloane)

Por último, Michael Rodrigues, do Ceará, tem a oportunidade de repetir a performance apresentada em Snapper. Na Gold Coast, finalizou a prova na quinta posição. Um resultado e tanto para um estreante, que pretende mostrar consistência nas provas seguintes.

Pela frente, no entanto, Michael tem os australianos Ace Buchan, um talentoso e experiente atleta do Tour, e Connor O’Leary, com larga rodagem em Bells. Essa vai ser a décima bateria do dia.

– Ansiedade é “mato”. Mal posso esperar para competir em Bells – comentou Michael, nas redes sociais.

  Por globoesporte.globo.com