Presença de tubarões paralisa bateria de Filipe Toledo em Jeffreys Bay

Filipe Toledo sai da água devido à presença de tubarão em J-Bay. Foto: WSL / Pierre Tostee.
Após perceber movimentação na água, WSL tira surfistas do mar para evitar maiores problemas. Filipinho, Jordy Smith e Julian Wilson faziam bateria 3 do round 4, que segue nesta quarta

Após o trauma de 2015, quando Mick Fanning escapou por pouco de um ataque, os tubarões voltaram a assustar em Jefrreys Bay. Durante a bateria de Filipe Toledo contra Jordy Smith (AFS) e Julian Wilson (AUS), dois tubarões foram avistados na água próximos dos surfistas. De acordo com o comissário da WSL, Kieren Perrow, a torre percebeu a presença de dois animais e enviou os jet-skis para verificar. Após a confirmação, eles decidiram pela paralisação das atividades. Nas imagens, é possível ver um animal de grande porte saltando na água a alguns metros dos atletas.

Momento em que o tubarão salta no outside. Foto: Reprodução.

No exato momento em que o animal foi visto, Jordy Smith vencia por 11.67. Filipe Toledo tinha 10.43, e Julian Wilson – que também estava na água no incidente com Fanning em 2015 – corria por fora, com 8.80.

Publicidade

É a terceira vez que Filipinho se encontra com tubarões no mar nesta temporada, e a segunda em que tem uma bateria interrompida por esse motivo. Fãs e a imprensa especializada viram o que seria um tubarão na oitava bateria do round 2 nesta segunda-feira, quando ele encarava Kanoa Igarashi. No entanto, não houve confirmação, e a bateria seguiu normalmente. Em abril deste ano, quando ele disputava a semifinal de Margaret River, na Austrália, contra Kolohe Andino, a WSL optou por paralisar sua bateria pelo mesmo motivo

– É uma situação muito, muito louca, mas os jet skis chegaram rápido para tirar a gente da água. Eles fizeram um ótimo trabalho tirando a gente da água. Muito obrigado, pessoal, por nos manter vivos (risos). Isso acontece, né? – disse Filipinho.

Filipe Toledo já teve três encontros com tubarões em 2017 (Foto: WSL / STEVE SHERMAN)

Filipe Toledo já teve três encontros com tubarões em 2017 (Foto: WSL / STEVE SHERMAN)

– Na hora do incidente, um dos acontecimentos que ficou bem claro foi um tubarão mako. Obviamente por medidas de segurança colocamos a bateria on hold e resolvemos recolher os surfistas e cancelamos o campeonato por hoje. Às 7h30 de amanhã do horário local decidimos se a gente continua a bateria de onde ela parou ou recomeçamos do zero – relatou Renato.

Primeiro a sair da água, Jordy Smith disse não ter notado a presença do animal. O sul-africano disse que não tinha certeza do que estava acontecendo, e se dirigiu para a praia após ouvir a sirene.

O que acontece agora?

Com a bateria interrompida faltando pouco mais de 10 minutos para o fim, o cenário estava indefinido. Com todos em terra e em segurança, começaram as dicussões dos próximos passos. Kieran Perrow, comissário chefe da WSL, anunciou que as competições estava encerrada pelo dia, e voltaria na quarta para uma nova chamada.

Julian Wilson questionou o comissário sobre como estariam as condições para quarta-feira e pediu para que a bateria fosse reiniciada com tempo e placares zerados.

– Vamos voltar amanhã e começar de novo. Vai ser um novo dia. Eles disseram que as condições vão estar as mesmas amanhã. É só apertar pause e dar play de novo amanhã. Não dá pra saber, no surfe dois dias nunca são iguais, nem duas baterias são iguais. Eu acho que vai ser um restart. – disse o australiano.

A direção do evento fará uma nova chamada no início da manhã de quarta (madrugada no Brasil) e anunciará a decisão de recomeçar a bateria do zero, ou do momento em que foi interrompida.

Histórico de Julian com tubarões na África do Sul

Julian Wilson também já tinha se encontrado com tubarões antes. E foi justamente na etapa de J-Bay. O caso aconteceu na final da etapa de 2015. O australiano Mick Fanning sofreu um ataque do animal ao vivo logo no início da decisão do evento. Aquele foi o primeiro registro de ataque de tubarão na história do Circuito Mundial de surfe. O tricampeão mundial estava parado em sua prancha quando foi surpreendido pelo animal. Ele tentou se proteger com a prancha e afastar o tubarão com socos. Em determinado momento, o australiano sumiu das imagens causando grande apreensão. Logo depois, reapareceu tentando nadar para a costa.

Fonte globoesporte.globo.com