Peterson Crisanto vence etapa de Israel e lidera QS 2017

Peterson Crisanto (BRA) .Netanya 2017
Peterson Crisanto (Foto: Masurel – WSL)
By João Carvalho

O paranaense Peterson Crisanto, 24 anos, brilhou com seu surfe potente de manobras de borda e principalmente as aéreas nas ondas de Kontiki Beach, em Netanya, Israel. Ele arrancou as maiores notas dos juízes com brilhantes apresentações para festejar a sua primeira vitória no Circuito Mundial da World Surf League. Com o título do QS 1500 SEAT Pro Netanya nesta quinta-feira, conquistado na bateria final contra o francês Jorgann Couzinet, da Ilha Reunião, Petersinho assumiu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series 2017 neste início de temporada.

“É uma sensação incrível poder vencer uma etapa da World Surf League, especialmente considerando todo o trabalho árduo que vem sendo realizado”, disse Peterson Crisanto. “Eu estou começando o ano com o pé direito e espero que continue assim nos próximos eventos. Esta é a primeira vez que venho para Israel, tive uma semana maravilhosa aqui e esta viagem certamente ficará marcada na minha vida para sempre”.

Publicidade

O paranaense sempre foi considerado uma grande promessa do surfe brasileiro, mas perdeu o patrocínio que tinha desde criança e no ano passado nem competiu no Circuito Mundial. Com isso, está tendo de começar do zero, participando das etapas menores para somar pontos visando entrar no grupo dos 100 primeiros no ranking. Isso para, no decorrer do ano, poder disputar as mais importantes que definem os dez classificados para o CT.

Garazi Sanchez Ortun (EUK) , Marissa Shaw (USA), Peterson Crisanto (BRA) , Jorgann Couzinet (REU) .Netanya 2017
Garazi Sanchez Ortun, Marissa Shaw, Jorgann Couzinet e Peterson Crisanto (Foto: Masurel – WSL)

Peterson Crisanto já havia sido o sul-americano mais bem colocado na prova que abriu a temporada 2017 nos Estados Unidos. No QS 1000 Shoe City Pro em Huntington Beach, Califórnia, ele ficou a um passo das semifinais na prova vencida pelo americano top do CT, Kanoa Igarashi. Já em Israel, o paranaense foi o destaque em todos os dias que competiu nas ondas de Kontiki Beach. Chegou no último dia como recordista absoluto do campeonato, com a nota 9,07 e os 17,74 pontos que totalizou na rodada classificatória para as quartas de final.

Na quinta-feira decisiva, ampliou essas marcas para 18,17 pontos, somando 9,80 da melhor apresentação do evento. Um dos cinco juízes chegou a dar nota 10 para ele. Petersinho usou todo o seu arsenal de manobras modernas, principalmente as aéreas, para liquidar o espanhol Jonathan Gonzalez, das Ilhas Canárias, nesta bateria da semifinal. E na grande final, também não deu qualquer chance para o francês Jorgann Couzinet.

Jorgann Couzinet (Foto: Masurel - WSL)
Jorgann Couzinet (Foto: Masurel – WSL)

O surfista da Ilha Reunião tinha vencido o primeiro duelo do dia, barrando o defensor do título do QS 1500 SEAT Pro Netanya, Pedro Henrique, carioca que compete representando Portugal, onde mora há alguns anos. A disputa entre os dois foi acirrada e decidida nas últimas ondas que surfaram. A do Pedro Henrique valeu 6,03, mas Jorgann Couzinet recebeu 6,90 e garantiu a primeira vaga na final por 13,83 a 12,86 pontos.

Na disputa final pelo título da prova mais importante neste início de ano, Peterson Crisanto já começou forte com 7,50 e praticamente confirmou a vitória nas duas ondas seguintes, que arrancaram notas 8,77 e 7,73 dos juízes. Jorgann Couzinet também arriscou os aéreos, mas o máximo que conseguiu foram notas 6,43 e 6,27. O brasileiro faturou o prêmio máximo de 10.000 dólares oferecido ao campeão, por uma larga vantagem de 16,50 a 12,70 pontos.

“Ainda não ganhei nenhum QS, então eu realmente queria muito vencer, mas tudo bem, pois o segundo lugar também é um bom resultado para um início de temporada”, disse o vice-campeão europeu do ano passado, Jorgann Couzinet. “Eu adorei cada minuto que passei aqui em Israel. Acho que não tive uma boa escolha de ondas na final e estou feliz pelo Peterson (Crisanto) também. Agora vou para a Austrália participar de alguns eventos mais importantes e espero conseguir outros bons resultados lá”.

Juninho Urcia (Foto: Smith - WSL)
Juninho Urcia (Foto: Smith – WSL)

PERNA AUSTRALIANA – Até a vitória de Peterson Crisanto no QS 1500 SEAT Pro Netanya, o melhor resultado de um sul-americano na temporada 2017 tinha sido o quinto lugar de outro brasileiro, Victor Mendes, no QS 1000 Carve Pro encerrado domingo passado em Maroubra Beach, Sydney, na Austrália. Ele só foi barrado nas quartas de final pelo vencedor da etapa, o norte-americano Cam Richards. O peruano Juninho Urcia tinha perdido na fase anterior e ficado em nono lugar.

Mais duas provas estão em andamento nessa semana, também com participação de surfistas da América do Sul. O QS 1000 Sunset Pro começou na semana passada e tem prazo até sábado para terminar, mas a segunda fase nem foi encerrada ainda, pois vem sendo adiado por falta de ondas em Sunset Beach. A outra foi iniciada nesta quinta-feira na Gold Coast e vai até domingo. O QS 1000 Burleigh Pro é a segunda das sete etapas da longa “perna australiana” do WSL Qualifying Series 2017, que vai até o dia 12 de março.

QS FEMININO – Em Israel, também foi encerrada na quinta-feira, a terceira etapa feminina da temporada 2017. E a vitória da espanhola Garazi Sanches Ortun no QS 1500 SEAT Pro Netanya, igualmente lhe valeu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series. A final foi contra a norte-americana Marissa Shaw, que assumiu a segunda posição com 1.125 pontos, à frente da australiana Macy Callaghan, que neste ano faturou o título mundial Pro Junior da World Surf League e já emendou outra vitória no QS 1000 Carve Pro também em Sydney, na Austrália.

Mais notícias, resultados, vídeos, fotos e outras informações das primeiras provas do ano podem ser acessadas no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 1500 SEAT PRO NETANYA:

Campeão: Peterson Crisanto (BRA) por 16,50 pontos (8,77+7,73) – US$ 10.000 e 1.500 pontos

Vice-campeão: Jorgann Couzinet (REU) com 12,70 pts (6,43+6,27) – US$ 5.000 e 1.125 pontos

SEMIFINAIS – 3.o=5.o lugar com 840 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Jorgann Couzinet (REU) 13.83 x 12.86 Pedro Henrique (PRT)

2.a: Peterson Crisanto (BRA) 18.17 x 16.04 Jonathan Gonzalez (CNY)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2017 – ranking das 3 primeiras etapas:

1.o: Peterson Crisanto (BRA) – 1.895 pontos

2.o: Cam Richards (EUA) – 1.395

3.o: Jorgann Couzinet (REU) – 1.125

4.o: Kanoa Igarashi (EUA) – 1.000

5.o: Kalani Ball (AUS) – 860

5.o: Takumi Nakamura (JPN) – 860

7.o: Jonathan Gonzalez (CNY) – 840

7.o: Pedro Henrique (PRT) – 840

9.o: Gony Zubizarreta (ESP) – 630

9.o: Dimitri Ouvre (BLM) – 630

9.o: Adrien Toyon (FRA) – 630

9.o: Francisco Carrasco (PRT) – 630

———-próximos sul-americanos:

20: Victor Mendes (BRA) – 480 pontos

31: Juninho Urcia (PER) – 410

72: Mateus Herdy (BRA) – 245

72: Cristobal de Col (PER) – 245

77: Joaquin del Castillo (PER) – 230

103: Pedro Neves (BRA) – 180

122: Lucca Mesinas Novaro (PER) – 170

129: Felipe Lima (BRA) – 165