Peruano Miguel Tudela fica em terceiro no QS da Martinica

Miguel Tudela (PER) during Quarterfinals of the Martinique Surf Pro 2018

By João Carvalho

O peruano Miguel Tudela foi o melhor sul-americano no QS 3000 Martinique Surf Pro, encerrado no sábado de boas ondas em Basse Point, na Ilha Martinica. Ele só perdeu na semifinal que o italiano Leonardo Fioravanti fez a melhor apresentação da etapa caribenha do WSL Qualifying Series. Depois de bater todos os recordes, ele também surfou as melhores ondas na final contra o norte-americano Nat Young para vencer o campeonato. Muitos surfistas que competiram no Caribe, estão voltando para América do Sul para participar do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina, que começa na terça-feira em Mar del Plata.

Com os 3.000 pontos da vitória na Ilha Martinica, Leonardo Fioravanti entrou na lista provisória dos dez surfistas que sobem para o grupo dos top-34, que disputa o título mundial no World Surf League Championship Tour. Já Miguel Tudela, ganhou 1.680 pontos pela terceira colocação e subiu do 27.o para o 15.o lugar no ranking, melhor posição de um surfista do Peru na história do WSL Qualifying Series, iniciada em 1992 com a divisão do Circuito Mundial.

Publicidade

Duas semanas atrás, Miguel Tudela tinha somado 750 pontos em casa na Copa Triathlon Sport Reef Pro, quando tentava o tricampeonato consecutivo em San Bartolo. Mas, ele perdeu a final peruana para Alonso Correa, que largou na frente na corrida pelo título sul-americano da WSL South America e vai defender a liderança do ranking no Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata. Já Miguel Tudela agora é o quarto na fila de entrada para o G-10, atrás do havaiano Joshua Moniz e do australiano Stu Kennedy, que saíram da lista na Martinica, e do francês Maxime Huscenot.

Jadson Andre (Foto: @WSL / Poullenot)

Além de Leonardo Fioravanti, o potiguar Jadson André foi o outro único surfista a ingressar no G-10 no QS 3000 do Caribe. Ele foi um dos três brasileiros que ficaram nas quartas de final que abriram o sábado em Basse Point. O brasileiro e o italiano perderam suas vagas na elite do CT no ano passado e agora começam a aparecer entre os dez indicados pelo ranking de acesso. O potiguar já havia subido da 14.a para a décima posição quando se classificou para as quartas de final na sexta-feira e no último dia foi ultrapassado pelo campeão na Martinica.

BRASIL NO G-10 – Com os 3.000 pontos da vitória, o italiano saltou do 29.o para o sétimo lugar e tirou o havaiano Joshua Moniz da lista. Com isso, Jadson André caiu para a 11.a posição e está fechando o G-10, porque o líder do QS vai garantindo seu nome para o CT 2019 entre os 22 do ranking principal da World Surf League. O australiano Mikey Wright competiu como convidado na etapa de abertura da temporada na Gold Coast e divide a nona posição no Jeep Leaderboard com os campeões mundiais Mick Fanning e Adriano de Souza, além de Kanoa Igarashi. Com isso, dispensa a vaga pelo ranking de acesso no momento.

Miguel Pupo (Foto: @WSL / Poullenot)

Com a entrada do potiguar Jadson André, o Brasil agora detém quatro das dez vagas na lista provisória do G-10, após a 17.a etapa encerrada neste sábado na Ilha Martinica. Finalistas no QS 6000 de Sydney, na Austrália, o paulista Deivid Silva, que conquistou o título, já ocupava a vice-liderança e o catarinense Alejo Muniz estava em quarto no ranking. Os dois perderam na sexta-feira em Basse Point. O outro é o paulista Miguel Pupo, que chegou no Caribe em sétimo lugar e subiu para a quinta colocação quando passou para as quartas de final.

QUARTAS DE FINAL – Pupo foi barrado na primeira bateria do sábado na Martinica, pelo taitiano Mihimana Braye, por um baixo placar de 10,77 a 9,43 pontos. Jadson André entrou no duelo seguinte e também foi batido pelo americano Nat Young em outra disputa fraca de ondas. No confronto de ex-tops do CT, o californiano levou a melhor por 13,43 a 9,66 pontos.

Bino Lopes (Foto: @WSL / Poullenot)

Depois, o peruano Miguel Tudela conquistou a única vitória sul-americana do último dia, contra o português Miguel Blanco, por 11,23 a 9,97. Na última quarta de final, o baiano Bino Lopes chegou a superar o placar do peruano e de todos os brasileiros, mas Leonardo Fioravanti surfou melhor ainda para vencer por 14,66 a 12,70 pontos. Depois, o italiano fez os recordes do QS 3000 Martinique Surf Pro – nota 9,43 e 18,00 pontos – contra Miguel Tudela na briga pela última vaga na grande final.

DECISÃO DO TÍTULO – Na decisão do título, Leonardo Fioravanti também mostrou muita paciência para escolher as melhores ondas da bateria e não desperdiçou nenhuma chance de mostrar o seu surfe moderno, com manobras progressivas nas ondas de Basse Point. Ele só pegou três ondas, recebendo nota 7,83 na primeira, 7,10 na segunda e 9,00 na terceira, para sacramentar a vitória por 16,83 a 13,00 pontos. Com o vice-campeonato, Nat Young ganhou 140 posições no ranking, saindo do 171.o para o 31.o lugar.

Leonardo Fioravanti (Foto: @WSL / Poullenot)

Já quem mais subiu na tabela de classificação foi o português Miguel Blanco, que chegou no Caribe na 218.a colocação e foi para a 65.a com o quinto lugar na Ilha Martinica. Ele perdeu para o peruano Miguel Tudela nas quartas de final, ficando empatado com os brasileiros Miguel Pupo, Jadson André e Bino Lopes. Bino também deu um salto no ranking, do 75.o para o 36.o lugar, assim como o também baiano Marco Fernandez, que somou 840 pontos pelo 13.o lugar no evento e subiu da 92.a para a 49.a posição.

RIP CURL PRO ARGENTINA – Muitos surfistas que estavam competindo no Caribe, agora retornam para a América do Sul para disputar o já tradicional Rip Curl Pro Argentina em Mar del Plata. A sexta edição do evento na Playa Grande começa nesta terça-feira e tem até o Domingo de Páscoa para definir os campeões das etapas do QS 1500 masculino e do QS 1000 feminino, que serão realizadas nesta semana. Até agora, todas as cinco edições foram vencidas pelos brasileiros e o paulista Thiago Camarão ganhou a do ano passado, com a equatoriana Dominic Barona conquistando o primeiro título feminino em Mar del Plata.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 3000 Martinique Surf Pro podem ser acessados na página do evento no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 3000 MARTINIQUE SURF PRO:

Campeão: Leonardo Fioravanti (ITA) por 16,83 pontos (9,00+7,83) – US$ 12.000 e 3.000 pontos

Vice-campeão: Nat Young (EUA) com 13,00 pontos (7,17+5,83) – US$ 6.000 e 2.250 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 1.680 pontos e US$ 4.000 de prêmio:

1.a: Nat Young (EUA) 16.33 x 12.17 Mihimana Braye (TAH)

2.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 18.00 x 15.43 Miguel Tudela (PER)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 1.260 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Mihimana Braye (TAH) 10.77 x 9.43 Miguel Pupo (BRA)

2.a: Nat Young (EUA) 13.43 x 9.66 Jadson André (BRA)

3.a: Miguel Tudela (PER) 11.23 x 9.97 Miguel Blanco (PRT)

4.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 14.66 x 12.70 Bino Lopes (BRA)

DECISÃO FEMININA DO QS 3000 MARTINIQUE SURF PRO:

Campeã: Chelsea Tuach (BRB) por 13,40 pontos (7,07+6,33) – US$ 12.000 e 3.000 pontos

Vice-campeã: Claire Bevilacqua (AUS) com 10,63 pontos (6,13+4,50) – US$ 5.000 e 2.250 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 1.680 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Claire Bevilacqua (AUS) 11.16 x 10.33 Isabela Nichols (AUS)

2.a: Chelsea Tuach (BRB) 13.87 x 13.83 Philippa Anderson (AUS)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2018 – 17 etapas:

01: Mikey Wright (AUS) – 8.105 pontos com vaga nos top-22 do CT

02: Deivid Silva (BRA) – 7.250

03: Evan Geiselman (EUA) – 6.670

04: Alejo Muniz (BRA) – 6.650

05: Miguel Pupo (BRA) – 6.220

06: Barron Mamiya (HAV) – 5.755

07: Leonardo Fioravanti (ITA) – 5.560

08: Matthew McGillivray (AFR) – 5.240

09: Matt Banting (AUS) – 5.160

10: Reef Heazlewood (AUS) – 5.050

11: Jadson André (BRA) – 4.960

———-sul-americanos até 100:

15: Miguel Tudela (PER) – 4.330 pontos

17: Michael Rodrigues (BRA) – 4.200

21: Ian Gouveia (BRA) – 3.650

26: Willian Cardoso (BRA) – 3.350

26: Peterson Crisanto (BRA) – 3.350

32: Rafael Teixeira (BRA) – 2.900

36: Bino Lopes (BRA) – 2.680

38: Wiggolly Dantas (BRA) – 2.600

39: Lucca Mesinas (PER) – 2.450

44: Tomas Hermes (BRA) – 2.200

48: Weslley Dantas (BRA) – 2.170

49: Marco Fernandez (BRA) – 2.165

55: Victor Bernardo (BRA) – 2.030

66: Alonso Correa (PER) – 1.840

68: Lucas Silveira (BRA) – 1.790

73: Joaquin del Castillo (PER) – 1.730

75: Alex Ribeiro (BRA) – 1.700

77: Tomas Tudela (PER) – 1.620

78: Raoni Monteiro (BRA) – 1.610

80: Wesley Leite (BRA) – 1.579

82: Alvaro Malpartida (PER) – 1.560

87: Robson Santos (BRA) – 1.505

92: Samuel Pupo (BRA) – 1.430

94: Marco Giorgi (URU) – 1.420

95: Manuel Selman (CHL) – 1.415

G-6 DO WSL QUALIFYING SERIES 2018 – 12 etapas:

1.a: Caroline Marks (EUA) – 10.200 pontos com vaga entre as top-10 do CT

2.a: Coco Ho (HAV) – 8.600

3.a: Malia Manuel (HAV) – 8.050 com vaga entre as top-10 do CT

4.a: Philippa Anderson (AUS) – 8.040

5.a: Bronte Macaulay (AUS) – 7.800

6.a: Keely Andrew (AUS) – 7.750 com vaga entre as top-10 do CT

6.a: Macy Callaghan (AUS) – 7.750

8.a: Holly Wawn (AUS) – 7.160

9.a: Paige Hareb (NZL) – 6.900

———–sul-americanas até 100:

12: Silvana Lima (BRA) – 6.350 pontos

26: Melanie Giunta (PER) – 4.070

31: Dominic Barona (EQU) – 3.400

51: Tainá Hinckel (BRA) – 2.278

64: Josefina Ané (ARG) – 1.670

83: Lucia Cosoleto (ARG) – 1.405

92: Anne dos Santos (BRA) – 1.098

101: Lorena Fica (CHL) – 980

107: Daniela Rosas (PER) – 855

118: Anali Gomez (PER) – 750