Peruano Lucca Mesinas é campeão do QS 3000 de Barbados

Lucca Mesinas (PER) and Leilani McGonagle (CRI) Winner of the Barbados Surf Pro 2018
Os campeões do Barbados Surf Pro, Leilani McGonagle da Costa Rica e Lucca Mesinas do Peru (Foto: @WSL / Poullenot)
By João Carvalho

O peruano Lucca Mesinas conquistou sua primeira vitória na World Surf League, na decisão com o brasileiro Alex Ribeiro no QS 3000 Barbados Surf Pro, neste sábado no Caribe. As semifinais já foram 100% sul-americanas e os dois que não passaram para a final, também festejaram os resultados. O catarinense Alejo Muniz perdeu a bateria brasileira para Alex Ribeiro, mas já tinha assumido a liderança no ranking do WSL Qualifying Series. E Miguel Tudela, derrotado pelo campeão, já havia se tornado o primeiro peruano a entrar na lista dos dez surfistas que o QS classifica para a elite do World Surf League Championship Tour.

Lucca Mesinas (Foto: @WSL / Poullenot)

“Foi uma semana muito boa para mim e estou feliz pela vitória, depois de não ter conseguido o resultado que queria na Martinica semana passada”, disse Lucca Mesinas, que saltou da 41.a para a 12.a posição no ranking com os 3.000 pontos da vitória em Barbados, ficando na porta de entrada do G-10 do QS. “Eu estava superfocado na bateria e senti que tinha uma boa chance de me sair bem aqui, porque as ondas estavam parecidas com as da minha casa, no Peru. Tudo se desenvolveu bem para mim e estava muito confiante de que eu poderia conseguir os pontos que precisava para vencer nas ondas que surfei na final”.

Publicidade

O peruano realmente não deu qualquer chance para Alex Ribeiro na decisão do título do QS 3000 Barbados Surf Pro. Ele só surfou três ondas na bateria e duas no critério excelente dos juízes, recebendo notas 9,57 e 8,00 para totalizar 17,57 pontos de 20 possíveis. E Lucca Mesinas ainda descartou o 7,33 da primeira que pegou. O brasileiro só conseguiu somar 10,83 com notas 5,83 e 5,00, mas já tinha feito grandes apresentações durante o evento.

Alex Ribeiro (Foto: @WSL / Poullenot)

“Estou feliz por conseguir o segundo lugar e por ter feito algumas boas baterias durante essa semana aqui em Barbados”, disse Alex Ribeiro. “Eu estou com um pequeno machucado no pé, não dói muito felizmente, pois senão, acho que nem conseguiria chegar na final. Foi um bom resultado e já estou ansioso para competir nos próximos eventos para manter esse ritmo”.

SEMIFINAL BRASILEIRA – Com os 2.250 pontos do vice-campeonato na ilha caribenha, Alex subiu da 42.a para a 19.a posição no ranking. A última onda boa que ele surfou em Barbados foi na semifinal com Alejo Muniz, com a nota 7,67 recebida garantindo a vitória por 13,17 a 11,46 pontos. Mas, o catarinense também lucrou com o resultado, que o levou do quarto para o primeiro lugar no QS 2018, tirando a liderança do australiano Mikey Wright.

Alejo Muniz (Foto: @WSL / Poullenot)

“Estou saindo feliz daqui porque o terceiro lugar é um bom resultado também”, disse Alejo Muniz. “Fiquei satisfeito com o meu surfe e com a forma como competi nas baterias ao longo dessa semana. Meu único erro foi cair em uma onda na semifinal que me custou a derrota na bateria. Mas, o Alex (Ribeiro) estava surfando muito bem e mereceu estar na final”.

SEMIFINAL PERUANA – O peruano Miguel Tudela também confirmou a boa fase, pois foi seu segundo terceiro lugar consecutivo nas etapas do QS 3000 no Caribe. Nos dois eventos, ele ficou a um passo da decisão do título, mas somou pontos importantes para se tornar o primeiro peruano a figurar na lista dos dez indicados pelo QS, para a elite mundial do CT. Ele chegou em Barbados em 15.o lugar e agora é o nono colocado com 5.410 pontos.

Miguel Tudela (Foto: @WSL / Poullenot)

Miguel Tudela comentou sobre a semifinal peruana com Lucca Mesinas. “Foi uma bateria muito fraca de ondas e até tivemos um recomeço, porque não entrou nada nos primeiros 10 minutos. Mesmo assim, depois também não tivemos muitas chances de conseguir notas altas. Eu estava ganhando a bateria no final, mas ele (Lucca Mesinas) tinha a prioridade (de escolher a próxima onda). A onda veio para ele fazer duas manobras grandes e vencer, mas o terceiro lugar foi mais um bom resultado que somei no ranking também”.

G-10 PARA O CT – Além do QS 3000 de Barbados encerrado em boas ondas de 2-3 pés em Drill Hall Beach, no sábado também terminou o QS 1500 Rip Curl Pro Argentina, com o brasileiro Wesley Santos faturando o título na final com o argentino Facundo Arreyes em Mar del Plata. Wesley entrou a lista dos 100 primeiros com a vitória e, após estas duas etapas, os sul-americanos voltam a ter metade das dez vagas no G-10 do QS para o CT 2019.

(Foto: @WSL / Poullenot)

O Brasil lidera o ranking pela primeira vez esse ano, com o catarinense Alejo Muniz, que atingiu 8.330 pontos com os 1.680 recebidos pelo terceiro lugar no QS 3000 Barbados Surf Pro. Depois, tem os paulistas Deivid Silva em segundo lugar e Miguel Pupo em quinto. Aí vem o peruano Miguel Tudela em nono e o potiguar Jadson André em 11.o, fechando o G-10 porque o vice-líder, Mikey Wright, está se classificando entre os 22 primeiros do ranking do CT.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 3000 Barbados Surf Pro podem ser acessados na página do evento no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

Os campeões do Barbados Surf Pro, Leilani McGonagle da Costa Rica e Lucca Mesinas do Peru (Foto: @WSL / Poullenot)

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 3000 BARBADOS SURF PRO:

Campeão: Lucca Mesinas (PER) por 17,57 pontos (9,57+8,00) – US$ 12.000 e 3.000 pontos

Vice-campeão: Alex Ribeiro (BRA) com 10,83 pontos (5,83+5,00) – US$ 6.000 e 2.250 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 1.680 pontos e US$ 4.000 de prêmio:

1.a: Alex Ribeiro (BRA) 13.17 x 11.46 Alejo Muniz (BRA)

2.a: Lucca Mesinas (PER) 12.53 x 12.30 Miguel Tudela (PER)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 1.260 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Alejo Muniz (BRA) 16.07 x 8.93 Benji Brand (HAV)

2.a: Alex Ribeiro (BRA) 12.50 x 8.17 Evan Geiselman (EUA)

3.a: Lucca Mesinas (PER) 14.77 x 12.76 Maxime Huscenot (FRA)

4.a: Miguel Tudela (PER) 16.77 x 13.70 Flavio Nakagima (BRA)

QUINTA FASE – 3.o=9.o lugar (US$ 1.500 e 900 pts) e 4.o=13.o lugar (US$ 1.250 e 840 pts):

1.a: 1-Benji Brand (HAV), 2-Evan Geiselman (EUA), 3-Joshua Burke (BRB), 4-Victor Bernardo (BRA)

2.a: 1-Alex Ribeiro (BRA)2-Alejo Muniz (BRA), 3-Makai McNamara (HAV), 4-Tanner Hendrickson (HAV)

3.a: 1-Maxime Huscenot (FRA), 2-Miguel Tudela (PER)3-Tomas Tudela (PER), 4-Gatien Delahaye (FRA)

4.a: 1-Flavio Nakagima (BRA)2-Lucca Mesinas (PER), 3-Seth Moniz (HAV), 4-Jorgann Couzinet (FRA)

DECISÃO FEMININA DO QS 3000 BARBADOS SURF PRO:

Campeã: Leilani McGonagle (CRI) por 7,60 pontos (5,17+2,43) – US$ 12.000 e 3.000 pontos

Vice-campeã: Summer Macedo (HAV) com 6,60 pontos (3,60+3,00) – US$ 5.000 e 2.250 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 1.680 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Leilani McGonagle (CRI) 13.66 x 8.43 Mahina Maeda (HAV)

2.a: Summer Macedo (HAV) 9.74 x 8.24 Chelsea Roett (BRB)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES 2018 – 21 etapas:

01: Alejo Muniz (BRA) – 8.330 pontos

02: Mikey Wright (AUS) – 8.105 com vaga nos top-22 do CT

03: Deivid Silva (BRA) – 7.610

04: Evan Geiselman (EUA) – 7.570

05: Miguel Pupo (BRA) – 6.220

06: Leonardo Fioravanti (ITA) – 5.890

07: Barron Mamiya (HAV) – 5.755

08: Matthew McGillivray (AFR) – 5.615

09: Miguel Tudela (PER) – 5.410

10: Maxime Huscenot (FRA) – 5.325

11: Jadson André (BRA) – 5.320

———-sul-americanos até 100:

12: Lucca Mesinas (PER) – 5.240 pontos

19: Alex Ribeiro (BRA) – 4.580

21: Michael Rodrigues (BRA) – 4.200

25: Ian Gouveia (BRA) – 3.650

27: Rafael Teixeira (BRA) – 3.500

31: Willian Cardoso (BRA) – 3.350

31: Peterson Crisanto (BRA) – 3.350

35: Bino Lopes (BRA) – 3.235

39: Victor Bernardo (BRA) – 2.870

43: Weslley Dantas (BRA) – 2.770

45: Wiggolly Dantas (BRA) – 2.600

48: Marco Fernandez (BRA) – 2.495

50: Tomas Tudela (PER) – 2.400

60: Tomas Hermes (BRA) – 2.200

64: Lucas Silveira (BRA) – 2.120

65: Alonso Correa (PER) – 2.080

67: Flavio Nakagima (BRA) – 2.060

67: Samuel Pupo (BRA) – 2.060

74: Mateus Herdy (BRA) – 2.010

79: Wesley Santos (BRA) – 1.920

82: Joaquin del Castillo (PER) – 1.910

88: Alvaro Malpartida (PER) – 1.740

90: Wesley Leite (BRA) – 1.730

93: Jeronimo Vargas (BRA) – 1.705

95: Manuel Selman (CHL) – 1.685

95: Robson Santos (BRA) – 1.685

101: Raoni Monteiro (BRA) – 1.610

G-6 DO WSL QUALIFYING SERIES 2018 – 15 etapas:

1.a: Caroline Marks (EUA) – 10.200 pontos com vaga entre as top-10 do CT

2.a: Coco Ho (HAV) – 8.600

3.a: Philippa Anderson (AUS) – 8.080

4.a: Malia Manuel (HAV) – 8.050 com vaga entre as top-10 do CT

5.a: Bronte Macaulay (AUS) – 7.800

6.a: Keely Andrew (AUS) – 7.750 com vaga entre as top-10 do CT

6.a: Macy Callaghan (AUS) – 7.750

8.a: Holly Wawn (AUS) – 7.720

9.a: Paige Hareb (NZL) – 6.900

———–sul-americanas até 100:

13: Silvana Lima (BRA) – 6.350 pontos

28: Dominic Barona (EQU) – 4.400

29: Melanie Giunta (PER) – 4.070

54: Josefina Ané (ARG) – 2.420

56: Tainá Hinckel (BRA) – 2.368

75: Lucia Cosoleto (ARG) – 1.640

91: Anali Gomez (PER) – 1.305

98: Daniela Rosas (PER) – 1.195

99: Lorena Fica (CHL) – 1.165

102: Camila Cassia (BRA) – 1.120

108: Anne dos Santos (BRA) – 1.018