Pedro Scooby bota pra baixo em ‘big secret’ de Angra dos Reis

Pedro Scooby, Angra dos Reis. Foto Arquivo do atleta

Scooby explora onda rara e perigosa em Angra no maior swell de inverno do Rio

Ondas grandes e pesadas em lajes em Angra dos Reis e outros picos exóticos, como na Baía de Guanabara, marcam o fim de semana de condições extremas no estado. Foi o swell do ano no Rio

O fim de semana foi de definição da etapa do Circuito Mundial em Teahupoo, no Taiti, e de altas ondas no litoral do Rio de Janeiro. O maior swell de inverno registrado nesta temporada atingiu a costa de Norte a Sul na sexta-feira, conforme o previsto, quebrando em diferentes picos, seja em lajes escondidas e mutantes, na Baía de Guanabara ou no mar aberto. O big rider carioca Pedro Scooby fez um bate-volta em Angra dos Reis, na e surfou uma esquerda pesada, exótica e perigosa em Angra dos Reis no sábado. Pedro Calado também esteve na Costa Verde do estado e surfou uma direita em outra laje no dia anterior.

Para chegar ao pico remoto e secreto, em frente a uma ilha entre Angra dos Reis e Paraty, é preciso encarar a estrada até a Costa Verde e depois percorrer o caminho pela água, de 40 minutos a uma hora, dependendo do meio de transporte (barco, lancha ou jet ski). O perigo na laje é devido à rasa profundidade da bancada com fundo de pedras. Pioneiro, Paulo Curi foi o responsável por apresentar o local aos big rigers.

Publicidade

– Esta esquerda foi uma novidade. Quem foi o desbravador dessas ondas foi o Paulo Curi, o Paulinho, o surfista que fez a galera ir atrás das ondas, que surfa esses “slabs” (lajes) por puro amor. A laje de Angra é uma onda difícil e bem rara de ser surfada. Foi a primeira vez que esta esquerda foi registrada ali naquele lugar. Uma onda perigosa porque é muito rasa. É raso e tem pedra na frente também. O risco de se machucar é grande – contou Scooby.

Pedro Calado surfou uma direita e uma esquerda em lajes de Angra dos Reis:

Pedro Calado surfou uma direita e uma esquerda em lajes de Angra dos Reis: “Estava animal, demos o “tiro” certo no swell. Estava irado”

Na capital, a ressaca chegou a Copacabana, às praias do Flamengo e da Macumba e ao Arpoador. As condições extremas também levaram bombas a lugares onde a prática do surfe costuma ser inexistente. Na porta de entrada da Baía de Guanabara, foi despertado um monstro do mar, que voltou a aparecer depois de anos. Os principais nomes do surfe carioca estiveram ali. O destaque foi Marcelo Trekinho, que domou uma onda grande, superior a 5m.

– A da Guanabara você pode sair de Niterói ou do Rio, ir de jet ski. A onda fica bem na entrada da Baía de Guanabara, uma onda rara. Nos últimos sete anos, deve ter quebrado uma vez – acrescentou Scooby, que elogiou o desempenho de Trekinho em outra onda exótica no Rio.

A onda traiçoeira, batizada de “A Besta”, quebra sobre uma laje de pedras a 7m de profundidade. Só é possível ser surfada a partir de 3m de altura. Em 2010, foi registrado um swell histórico com séries de 10m de face no pico. O Sul do Brasil também recebeu uma grande ondulação.

O alerta vermelho foi ligado após a formação de um ciclone extra-tropical entre o litoral do Uruguai e do Rio Grande do Sul, combinado a um anti-ciclone ao largo da costa argentina, no Atlântico Sul.

Henrique Pinguim registra Marcelo Trekinho em onda exótica na Baía de Guanabara (Foto: Reprodução/Instagram Henrique Pinguim)

Henrique Pinguim registra Marcelo Trekinho em onda exótica na Baía de Guanabara (Foto: Reprodução/Instagram Henrique Pinguim)

Onda surfada por Marcelo Trekinho na porta da Baía de Guanabaa vista por outro ângulo (Foto: Reprodução/Stories Instagram @trekomias)

Onda surfada por Marcelo Trekinho na porta da Baía de Guanabaa vista por outro ângulo (Foto: Reprodução/Stories Instagram @trekomias)

Pedro Calado em uma direita que quebra sobre fundo de pedras em Angra dos Reis (Foto: Reprodução/Instagram @igorhossmann)

Pedro Calado em uma direita que quebra sobre fundo de pedras em Angra dos Reis (Foto: Reprodução/Instagram @igorhossmann)

Igor Hossmann registra imagens de Pedro Calado nas lajes de Angra dos Reis (Foto: Reprodução/Instagram)

Igor Hossmann registra imagens de Pedro Calado nas lajes de Angra dos Reis (Foto: Reprodução/Instagram)

Fonte globoesporte.globo.com