Oito brasileiros nas oitavas de final do QS 6000 de Sydney

Miguel Pupo progressed through Heat 2 of Round 4 at the Vissla Sydney Surf Pro.

Miguel Pupo (Foto: Ethan Smith – WSL)

By João Carvalho

O Brasil confirmou maioria mais uma vez na busca pelo segundo título consecutivo no QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro na Austrália, vencido pelo paulista Jessé Mendes no ano passado. Na sexta-feira de ondas pequenas em Manly Beach, oito passaram para as oitavas de final, o pernambucano Ian Gouveia, os cearenses Michael Rodrigues e Silvana Lima, os paulistas Miguel Pupo, Wiggolly Dantas e Deivid Silva, o catarinense Alejo Muniz e o paranaense Peterson Crisanto. A expectativa é de que no fim de semana o mar fique épico em Manly Beach, com altas ondas para definir os campeões do segundo QS 6000 seguido na Austrália.

Publicidade

Mas, na sexta-feira elas estavam bem pequenas, com meio metrinho de altura, porém com algumas esquerdas abrindo paredes lisinhas para as manobras de borda e aéreas também. O problema era o grande intervalo entre as séries, com poucas entrando para dividir entre três competidores nas baterias. Era preciso ter paciência para escolher bem as melhores e não desperdiçar as poucas chances de surfar.

Miguel Pupo (Foto: Ethan Smith – WSL)

O paulista Miguel Pupo foi o primeiro a se classificar. Ele e o potiguar Jadson André dominaram a bateria, mas nos minutos finais o sul-africano Beyrick De Vries achou as ondas para vencer com notas 7,10 e 5,33. Foi por pouco, apenas 12,43 a 12,40 pontos de Pupo, que já entrou no grupo dos dez surfistas que o WSL Qualifying Series classifica para o CT. O potiguar Jadson André já defendia vaga no G-10, mas acabou eliminado com 11,77 pontos nas duas melhores ondas que conseguiu surfar na bateria.

Miguel Pupo agora vai abrir as oitavas de final e ele é a única esperança do Brasil liderar o ranking do QS neste início de temporada. Ele vai enfrentar o número 1, Mikey Wright, precisando ganhar o campeonato para isso, ou seja, terá que parar o australiano que vem embalado da vitória no Surfest Newcastle no domingo passado. Depois, tem Alejo Muniz contra o havaiano Keanu Asing na terceira bateria e na quarta acontece um duelo brasileiro entre Michael Rodrigues e Wiggolly Dantas.

Na chave de baixo, que vai apontar o segundo finalista do QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro, estão mais três brasileiros. Na quinta bateria, Deivid Silva disputa vaga nas quartas de final com o italiano Leonardo Fioravanti. No duelo seguinte, Ian Gouveia enfrenta o taitiano Mihimana Braye e Peterson Crisanto fecha as oitavas de final contra o havaiano Joshua Moniz. No QS 6000 feminino, Silvana Lima disputa a penúltima bateria com a neozelandesa Ella Williams.

A sexta-feira começou pela quarta fase masculina e quatro brasileiros já estavam garantidos nas oitavas de final nos dois confrontos 100% verde-amarelos que foram formados pelos resultados da quinta-feira. Em apenas duas baterias não tinha algum brasileiro disputando classificação. Na primeira do dia, os australianos dominaram o pico e não sobrou nada de ondas para o jovem Mateus Herdy. O líder do QS 2018, Mikey Wright, ganhou notas 8,33 e 7,33 para vencer por 15,66, contra 15,20 da soma do 7,93 com 7,27 recebidos por Reef Heazlewood. O catarinense só conseguiu 8,14 pontos nas duas notas computadas.

Wiggolly Dantas (Foto: Ethan Smith – WSL)

No segundo confronto da sexta-feira, entraram dois brasileiros que estavam na elite do CT até o ano passado. Mas, o sul-africano Beyrick De Vries acabou saindo do mar em primeiro lugar, com Miguel Pupo ganhando a briga pela segunda vaga do potiguar Jadson André. Na bateria seguinte, outro ex-top do CT, Wiggolly Dantas, despachou o campeão do QS 2017, Griffin Colapinto, dos Estados Unidos, na batalha vencida pelo havaiano Keanu Asing.

BATERIAS BRASILEIRAS – Depois vieram as duas baterias seguidas 100% brasileiras em plena Austrália. Na primeira, o novo top do CT, Michael Rodrigues, achou a melhor onda da bateria para vencer por 13,70 pontos. Junto com o cearense, avançou o catarinense Alejo Muniz com 10,70, contra apenas 6,50 do paulista Alex Ribeiro, que só conseguiu surfar uma onda no mar difícil da sexta-feira, com poucas séries entrando nas baterias.

A disputa seguinte foi mais acirrada e o paulista Deivid Silva passou em primeiro lugar com 13,26 pontos. O pernambucano Ian Gouveia passou em segundo com 11,97, superando por pouco os 11,60 totalizados pelo baiano Bino Lopes. Duas baterias depois, o paranaense Peterson Crisanto fechou mais um dia com o Brasil conquistando a maioria das vagas disputadas em Manly Beach. Ele superou o australiano Shane Campbell por 12,00 a 11,27 para passar em segundo na vitória francesa de Maxime Huscenot por 14,60 pontos.

Com os 6.000 pontos do título em Sydney, todos têm chances matemáticas de entrar no grupo dos dez que se classificam para o CT pelo ranking do QS. No momento, após os resultados da sexta-feira em Manly Beach, dois brasileiros aparecem no G-10, Miguel Pupo em sétimo lugar e Jadson André em nono, mas o potiguar deve sair da lista por já ter sido eliminado na 17.a posição. Ele marcou 1.050 pontos no ranking, 500 a menos dos que se classificaram para as oitavas de final.

Silvana Lima (Foto: Tom Bennett – WSL)

QS 6000 FEMININO – No QS 6000 feminino, duas sul-americanas disputaram vagas para as oitavas de final do Sydney Women´s Surf Pro na tarde da sexta-feira em Manly Beach. A peruana Melanie Giunta batalhou bastante pela classificação, lutando contra duas havaianas até o fim da bateria, mas não conseguiu achar ondas com potencial para tirar a nota que precisava. A peruana chegou a sofrer forte marcação de Bailey Nagy nos minutos finais, que garantiu assim a pequena vantagem de 9,66 a 9,00 pontos de Melanie Giunta. A top do CT, Malia Manuel, venceu com 12,84 nas suas duas melhores ondas.

Na bateria seguinte, a estrela brasileira do CT, Silvana Lima, confirmou o favoritismo com mais uma vitória em Manly Beach. Ela atacou forte duas ondas seguidas que renderam notas na casa dos 7 pontos para confirmar o primeiro lugar com 14,40, contra 13,70 da norte-americana Alyssa Spencer e 12,13 da australiana Mikaela Greene, eliminada da competição. No sábado, a adversária da cearense na sétima oitava de final será a jovem neozelandesa Ella Williams.

Com a classificação, Silvana Lima garantiu um mínimo de 1.550 pontos no QS e já subiu da 14.a para a nona posição no ranking que indica seis surfistas para completar a elite das top-17 que disputa o título mundial no World Surf League Championship Tour. Já a peruana Melanie Giunta, que ficou em 17.o lugar no Sydney Women´s Surf Pro, saiu da 35.a para a 31.a posição com os 1.050 pontos recebidos no segundo QS 6000 da Austrália.

Acompanhe a transmissão ao vivo das etapas do QS 6000 masculina e feminina do Vissla Sydney Surf Pro ao vivo de Sydney na Austrália pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

OITAVAS DE FINAL DO QS 6000 VISSLA SYDNEY SURF PRO:

1.a: Mikey Wright (AUS) x Miguel Pupo (BRA)

2.a: Reef Heazlewood (AUS) x Beyrick De Vries (AFR)

3.a: Keanu Asing (HAV) x Alejo Muniz (BRA)

4.a: Wiggolly Dantas (BRA) x Michael Rodrigues (BRA)

5.a: Leonardo Fioravanti (ITA) x Deivid Silva (BRA)

6.a: Ian Gouveia (BRA) x Mihimana Braye (TAH)

7.a: Matt Banting (AUS) x Maxime Huscenot (FRA)

8.a: Joshua Moniz (HAV) x Peterson Crisanto (BRA)

OITAVAS DE FINAL DO QS 6000 SYDNEY WOMEN´S SURF PRO:

1.a: Macy Callaghan (AUS) x Teresa Bonvalot (PRT)

2.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) x Keely Andrew (AUS)

3.a: Bronte Macaulay (AUS) x Holly Wawn (AUS)

4.a: Nikki Van Dijk (AUS) x Coco Ho (HAV)

5.a: Caroline Marks (EUA) x Bailey Nagy (HAV)

6.a: Malia Manuel (HAV) x Kirra-Belle Olsson (AUS)

7.a: Silvana Lima (BRA) x Ella Williams (NZL)

8.a: Paige Hareb (NZL) x Alyssa Spencer (EUA)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA EM MANLY BEACH NA AUSTRÁLIA:

QUARTA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final / 3.o=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 2.000:

1.a: 1-Mikey Wright (AUS)=15.66, 2-Reef Heazlewood (AUS)=15.20, 3-Mateus Herdy (BRA)=8.14

2.a: 1-Beyrick De Vries (AFR)=12.43, 2-Miguel Pupo (BRA)=12.40, 3-Jadson André (BRA)=11.77

3.a: 1-Keanu Asing (HAV)=13.60, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=11.06, 3-Griffin Colapinto (EUA)=9.67

4.a: 1-Michael Rodrigues (BRA)=13.70, 2-Alejo Muniz (BRA)=10.70, 3-Alex Ribeiro (BRA)=6.50

5.a: 1-Deivid Silva (BRA)=13.26, 2-Ian Gouveia (BRA)=11.97, 3-Bino Lopes (BRA)=11.60

6.a: 1-Mihimana Braye (TAH)=14.83, 2-Leonardo Fioravanti (ITA)=13.74, 3-Dion Atkinson (AUS)=8.30

7.a: 1-Maxime Huscenot (FRA)=14.60, 2-Peterson Crisanto (BRA)=12.00, 3-Shane Campbell (AUS)=11.27

8.a: 1-Joshua Moniz (HAV)=11.73, 2-Matt Banting (AUS)=11.60, 3-Stu Kennedy (AUS)=11.57

QUARTA FASE DO QS 6000 SYDNEY WOMEN´S SURF PRO:

———–1.a e 2.a=Oitavas de Final e 3.a=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 750 de prêmio:

1.a: 1-Macy Callaghan (AUS)=14.57, 2-Tatiana Weston-Webb (HAV)=14.14, 3-Zoe McDougall (HAV)=12.13

2.a: 1-Keely Andrew (AUS)=14.54, 2-Teresa Bonvalot (PRT)=13.34, 3-India Robinson (AUS)=9.37

3.a: 1-Holly Wawn (AUS)=17.84, 2-Nikki Van Dijk (AUS)=16.93, 3-Bianca Buitendag (AFR)=11.06

4.a: 1-Coco Ho (HAV)=14.03, 2-Bronte Macaulay (AUS)=13.80, 3-Kirra Pinkerton (EUA)=10.70

5.a: 1-Caroline Marks (EUA)=13.50, 2-Kirra-Belle Olsson (AUS)=8.66, 3-Sage Erickson (EUA)=2.26

6.a: 1-Malia Manuel (HAV)=12.84, 2-Bailey Nagy (HAV)=9.66, 3-Melanie Giunta (PER)=9.00

7.a: 1-Silvana Lima (BRA)=14.40, 2-Alyssa Spencer (EUA)=13.70, 3-Mikaela Greene (AUS)=12.13

8.a: 1-Paige Hareb (NZL)=13.37, 2-Ella Williams (NZL)=12.97, 3-Johanne Defay (FRA)=11.60