O Filme Que Dá Luz ao Surf Feminino Brasileiro

Em meio aos cenários idílicos da Costa Rica, além de uma fotografia impecável, Sea Sun Flowerentra na cena audiovisual para deleite e fissura dos amantes do surf. Dirigido por Pablo Aguiar e Manoela D’Almeida, a película já recebeu prêmio de filme inovador no Mimpi Film Festival 2015.

Foto: Manuela D’Almeida/ Divulgação.

Durante dezoito minutos, as belas atletas Alana Pacelli, Claudinha Gonçalves, Bárbara Müller, Chantalla Furlanetto e Marina Werneck alternam sessões de surf na paradisíaca região de Guanacaste. Esquerdas e direitas servidas com fartura para deixar até mesmo o aprendiz mais sofredor, na fissura por ondas.

Publicidade

O cuidado estético e a busca por uma mensagem positiva estão presentes na narrativa individual, inspirada em toda a complexidade de sentimentos e emoções que uma pessoa vive quando está apaixonada. “O lado bom, a angústia, os sentimentos de felicidade, renovação, doação. Em cada narração uma atleta fala sobre algumas destas emoções”, explicou Manoela D’Almeida que também se divide entre o trabalho com a moda.

Foto: Manuela D’Almeida/ Divulgação.

Mas ao contrário do que os expectadores podem pensar, o amor retratado pelas surfistas não é por alguém, mas sim pelo mar. O projeto independente busca lançar luz ao surf feminino brasileiro, exaltando as atletas mostrando ao mundo o potencial e o talento das surfistas brasileiras.

“O objetivo da produção é valorizar o surf feminino nacional e mostrar as atletas brasileiras de uma maneira totalmente diferente do que é explorado atualmente. Um filme com um grande apelo estético, com inserções de moda e lifestyle e também mostrando a relação delas com o mar”, contam os diretores.

Agora deixa de papo e curta Sea Sun Flower, que tem trilha sonora da banda californiana Deap Vally.

Mais informações no site oficial: http://www.seasunflower.com/