Mineirinho já está nas oitavas de final do US Open of Surfing

Adriano de Souza (BRA) advances to Round 4 of the VANS US Open of Surfing after placing second in Heat 1 of Round 3 at Huntington Beach, CA, USA.

Adriano de Souza. Foto: @WSL / Kenneth Morris

By João Carvalho 

O campeão mundial Adriano de Souza foi o primeiro brasileiro a passar para as oitavas de final do QS 10000 Vans US Open of Surfing e mais seis vão disputar classificação na quarta fase, que continua na sexta-feira, às 7h00 na Califórnia, 11h00 em Brasília. O líder do ranking do WSL Qualifying Series, Peterson Crisanto, os tops do CT, Italo Ferreira e Michael Rodrigues e três que defendem vagas no grupo dos dez que sobem para a elite da World Surf League, Alejo Muniz, Jadson André e Miguel Pupo, passaram suas baterias na quinta-feira, em mais um dia de ondas pequenas e difíceis para competir em Huntington Beach. Sete brasileiros não conseguiram e saíram da briga do título da segunda etapa com pontuação máxima do ano.

Adriano de Souza (Foto: @WSL / Kenneth Morris)
Publicidade

Adriano de Souza começou o quarto dia do US Open completando uma dobradinha brasileira vencida pelo catarinense Yago Dora na bateria que abriu a terceira fase. Eles despacharam o havaiano Keanu Asing e o americano Kei Kobayashi e foram os únicos que voltaram a competir no fim do dia, nas duas baterias que definiram os primeiros classificados para as oitavas de final. Mineirinho disputou a última do dia e tirou a maior nota – 7,67 – para vencer por 13,47 pontos. O americano Kolohe Andino ficou perto com 12,37 e o marroquino Ramzi Boukhiam foi eliminado com 7,83 nas suas duas melhores ondas.

Yago Dora entrou na primeira bateria da quarta fase, mas acabou cometendo um erro e foi penalizado com uma “interferência”, que foi fatal na difícil condição do mar porque só computaria uma nota, contra duas dos adversários. O australiano Reef Heazlewood entrou no evento com uma vaga conquistada na triagem e venceu a bateria. O americano Griffin Colapinto passou em segundo e os dois entraram no G-10 do QS. O californiano já é da elite e vai garantindo sua permanência entre os 22 primeiros do CT, então não precisa da vaga. Mas, o australiano sim e um bom resultado em um QS 10000 é decisivo para entrar no grupo dos top-34 da World Surf League.

Yago Dora (Foto: @WSL / Kenneth Morris)

O dia foi tenso, pois não havia muitas oportunidades para surfar nas baterias, as ondas demoravam a entrar e a maioria fechava rápido, sem abrir uma parede mais longa. Então, a busca passou a ser por rampas para voar e os aéreos arrancaram as maiores notas do dia. Só que era preciso ter sorte em achar ondas para isso também. Depois da dobradinha brasileira de Yago Dora e Mineirinho na primeira bateria, vieram quatro eliminações seguidas, além da do peruano Lucca Mesinas, que perdeu por menos de 1 ponto para os americanos Kolohe Andino e Griffin Colapinto.

VAGAS NO G-10 – O cearense Heitor Alves arriscou os aéreos, porém sem completar as manobras e ficou em último na sua bateria, assim como Jessé Mendes na dele. Mais dois paulistas caíram na seguinte, Deivid Silva e Thiago Camarão, que defendiam vagas no G-10. Deivid chegou na Califórnia em sétimo no ranking e já caiu para nono com os resultados da quinta-feira. Camarão estava em décimo e saiu da zona de classificação para o CT, terminando o dia em 14.o lugar. Um dos que o ultrapassou foi o também paulista Miguel Pupo.

Miguel Pupo (Foto: @WSL / Sean Rowland)

Depois da eliminação dupla de Deivid Silva e Thiago Camarão para o havaiano Ezekiel Lau e o americano Cam Richards, começou a bateria com participação tripla do Brasil na terceira fase e mais dois foram eliminados. Pupo até achou boas ondas para vencer com duas notas na casa dos 6 pontos e entrar no G-10. Ele começa a defender vaga na lista na sexta-feira. Já o baiano Bino Lopes e o paulista Victor Bernardo saíram da briga porque o francês Jorgann Couzinet impediu uma segunda dobradinha brasileira na quinta-feira.

DOBRADINHA – Essa falhou, mas o líder do ranking, Peterson Crisanto, e Jadson André, que era o último do G-10, conseguiram contra o taitiano Mihimana Braye e o sul-africano Beyrick De Vries. O mar melhorou nessa hora, entraram boas ondas e os dois acertaram os aéreos e as manobras para fazerem a melhor bateria do dia. Jadson já começou com 7,83 em sua primeira onda e Peterson ganhou 8,30 na terceira que surfou, a maior nota da quinta-feira. O paranaense seguiu invicto defendendo a ponta do ranking somando 14,40 pontos, contra 14,13 do potiguar.

Peterson Crisanto (Foto: @WSL / Sean Rowland)

Na bateria anterior, o havaiano Tanner Hendrickson tinha atingido 14,50 com a nota 8,07 da sua melhor onda contra o potiguar Italo Ferreira, que despachou dois franceses para passar em segundo lugar. Foi assim que o cearense Michael Rodrigues também avançou no confronto com três australianos, encerrado com menos de 1 ponto de diferença entre o primeiro e o quarto colocado. Cooper Chapman ficou em primeiro com 11,60 pontos, contra 11,17 do brasileiro, 11,07 de Matt Banting e 10,73 de Ethan Ewing.

Em outra disputa acirrada, definida por pequena diferença, o catarinense Alejo Muniz fechou a participação brasileira na terceira fase com vitória sobre o defensor do título do Vans US Open of Surfing, Kanoa Igarashi. Alejo venceu por 12,37 pontos e já tirou o terceiro lugar no ranking do australiano Mikey Wright. O japonês passou em segundo superando por pouco o australiano Davey Cathels, 11,90 a 11,67. O havaiano Benji Brand ficou em último com 9,93.

Alejo Muniz (Foto: @WSL / Kenneth Morris)

QUARTA FASE – Esta foi a última rodada de confrontos formados por quatro competidores. Na quarta fase, as baterias são com três surfistas e os dois primeiros avançam para as oitavas de final, quando os duelos passam para o sistema homem a homem que prossegue até a decisão do título. As duas primeiras já rolaram na quinta-feira e Adriano de Souza ganhou a última do dia. As outras seis devem abrir a sexta-feira, a partir das 7h00 na Califórnia, 11h00 no Brasil.

Os brasileiros vão disputar classificação para as oitavas de final em quatro baterias seguidas. Miguel Pupo vai começar a defender sua permanência no G-10 na segunda do dia, contra dois americanos, Tanner Gudauskas e Cam Richards. Na seguinte, entram Michael Rodrigues e Jadson André com o havaiano Tanner Hendrickson. Depois, serão Italo Ferreira e Peterson Crisanto contra o australiano Cooper Chapman. E Alejo Muniz tem um confronto direto com o vice-líder do ranking, o havaiano Seth Moniz, na bateria completada pelo sul-africano do CT, Michael February.

As etapas do QS 10000 masculina e do CT feminino na Vans US Open of Surfing estão sendo transmitidas ao vivo de Huntington Beach na Califórnia pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da World Surf League.

Jadson Andre (Foto: @WSL / Sean Rowland)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

OITAVAS DE FINAL DO QS 10000 VANS US OPEN – baterias já formadas:

1.a: Kolohe Andino (EUA) x Reef Heazlewood (AUS)

2.a: Adriano de Souza (BRA) x Griffin Colapinto (EUA)

QUARTA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final e 3.o=17.o lugar com 2.200 pontos e US$ 2.700:

1.a: 1-Reef Heazlewood (AUS)=13.90, 2-Griffin Colapinto (EUA)=11.10, 3-Yago Dora (BRA)=5.67

2.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=13.47, 2-Kolohe Andino (EUA)=12.37, 3-Ramzi Boukhiam (MAR)=7.83

———ficaram para abrir a sexta-feira:

3.a: Ezekiel Lau (HAV), Jorgann Couzinet (FRA), Dion Atkinson (AUS)

4.a: Miguel Pupo (BRA), Tanner Gudauskas (EUA), Cam Richards (EUA)

5.a: Michael Rodrigues (BRA)Jadson André (BRA), Tanner Hendrickson (HAV)

6.a: Italo Ferreira (BRA)Peterson Crisanto (BRA), Cooper Chapman (AUS)

7.a: Michael February (AFR), Seth Moniz (HAV), Alejo Muniz (BRA)

8.a: Kanoa Igarashi (JPN), Patrick Gudauskas (EUA), Evan Geiselman (EUA)

TERCEIRA FASE – 3.o=25.o lugar (US$ 1.900 e 1.100 pts) e 4.o=37.o lugar (US$ 1.600 e 1.000 pts):

1.a: 1-Yago Dora (BRA)2-Adriano de Souza (BRA), 3-Keanu Asing (HAV), 4-Kei Kobayashi (EUA)

2.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR), 2-Reef Heazlewood (AUS), 3-Ryan Callinan (AUS), 4-Heitor Alves (BRA)

3.a: 1-Kolohe Andino (EUA), 2-Griffin Colapinto (EUA), 3-Lucca Mesinas (PER), 4-David Van Zyl (AFR)

4.a: 1-Dion Atkinson (AUS), 2-Tanner Gudauskas (EUA), 3-Joshua Moniz (HAV), 4-Jessé Mendes (BRA)

5.a: 1-Ezekiel Lau (HAV), 2-Cam Richards (EUA), 3-Deivid Silva (BRA)4-Thiago Camarão (BRA)

6.a: 1-Miguel Pupo (BRA), 2-Jorgann Couzinet (FRA), 3-Bino Lopes (BRA)4-Victor Bernardo (BRA)

7.a: 1-Tanner Hendrickson (HAV), 2-Italo Ferreira (BRA), 3-Joan Duru (FRA), 4-Charles Martin (FRA)

8.a: 1-Peterson Crisanto (BRA)2-Jadson André (BRA), 3-Mihimana Braye (TAH), 4-Beyrick de Vries (AFR)

9.a: 1-Cooper Chapman (AUS), 2-Michael Rodrigues (BRA), 3-Matt Banting (AUS), 4-Ethan Ewing (AUS)

10: 1-Seth Moniz (HAV), 2-Patrick Gudauskas (EUA), 3-Maxime Huscenot (FRA), 4-Jack Freestone (AUS)

11: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Kanoa Igarashi (JPN), 3-Davey Cathels (AUS), 4-Benji Brand (HAV)

12: 1-Evan Geiselman (EUA), 2-Michael February (AFR), 3-Ian Crane (EUA), 4-Nat Young (EUA)