Medina e Pupo são o Brasil no MEO Rip Curl Pro Portugal

Miguel Pupo (BRA) won his heat 10 Round Three at MEO Rip Curl Pro Portugal 2017 in Peniche, Portugal
Miguel Pupo (Foto: Masurel – WSL)
By João Carvalho |

As ondas continuaram bombando séries de 6-8 pés no domingo em Supertubos, para mais um dia decisivo na corrida pelo título mundial no MEO Rip Curl Pro Portugal em Peniche. Foram realizadas vinte baterias e na última, Gabriel Medina fez os recordes do dia surfando um tubaço nota 9,77 e ainda usou os aéreos para atingir 17,34 pontos. Além dele, só mais um brasileiro passou pela terceira fase e ganhou duas chances de classificação para as quartas de final, Miguel Pupo, no duelo verde-amarelo com Adriano de Souza. Mineirinho foi o quarto a sair da briga do título mundial nesta penúltima etapa do World Surf League Championship Tour, enquanto Medina é um dos quatro que seguem com chances em Portugal.

“Eu não fico pensando em título mundial, só quero mesmo surfar e me divertir fazendo o que eu mais gosto”, disse Gabriel Medina. “Eu consegui achar boas ondas nessa bateria e foi superdivertido. O Ethan (Ewing) é um surfista muito bom, então você precisa ficar ligado contra ele. Eu comecei bem com aquele tubo e fiquei tentando melhorar minha segunda nota, por isso que fui para os aéreos. Supertubos é incrível e você pode conseguir duas notas 9 rapidamente, então foi isso que tentei fazer”.

Gabriel Medina (Foto: Poullenot – WSL)
Publicidade

A bateria de Medina com o australiano Ethan Ewing fechou a terceira fase e o domingo de muitas baixas do Brasil em Portugal. O outro único que vai ter duas chances de chegar nas quartas de final do MEO Rip Curl Pro é Miguel Pupo, que venceu uma bateria brasileira com Adriano de Souza. Mineirinho também surfou um tubaço na casa dos 9 pontos, mas não conseguiu outra onda boa e Pupo levou a melhor somando duas notas medianas de 6 pontos no placar encerrado em 13,54 a 13,24. Com a derrota, Adriano foi o quarto dois oito concorrentes ao título mundial a sair da briga em Portugal. Os outros foram Filipe Toledo e os australianos Matt Wilkinson e Owen Wright.

“Quando você surfa contra o Adriano (de Souza), você não pode bobear, tem que somar todas as ondas que pegar na bateria, não pode desperdiçar qualquer chance de surfar”, disse Miguel Pupo, que luta para entrar no grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite do CT para o ano que vem. “Eu trabalhei muito duro durante todo o ano para chegar a esse ponto de estar conseguindo bons resultados nesta perna europeia, então quero aproveitar esse momento. Não estou realmente contando pontos nem nada, mas só em competir bem, escolher boas ondas nas baterias e surfar o meu melhor”.

Antes dessa bateria paulista em Supertubos, dois já tinham perdido a segunda chance de avançar para a terceira fase e terminado em 25.o lugar no MEO Rip Curl Pro Portugal como Wiggolly Dantas. O potiguar Jadson André caiu na primeira bateria do domingo, vencida por Kolohe Andino por 14,24 a 8,00 pontos. Depois, o pernambucano Ian Gouveia foi batido pelo australiano Connor O´Leary por 10,70 a 5,97, mas o potiguar Italo Ferreira despachou o francês Jeremy Flores por 11,53 a 7,77 pontos, antes de Caio Ibelli e Wiggolly Dantas se enfrentarem.Além de Medina, Mineirinho e Pupo, apenas mais dois brasileiros chegaram na terceira fase nas condições desafiadoras do mar no sábado e domingo de grandes ondas em Supertubos. O potiguar Italo Ferreira foi o primeiro a ser eliminado, por 13,96 a 12,56 pelo norte-americano Kolohe Andino na quarta bateria. E, entre as duas únicas vitórias brasileiras, Caio Ibelli perdeu por apenas 1 pontinho para Mick Fanning no duelo encerrado em 11,40 a 10,40 pontos. Caio tinha vencido o outro confronto verde-amarelo do domingo em Portugal, contra Wiggolly Dantas nas baterias da repescagem que abriram o dia em Peniche.

Italo Ferreira (Foto: Masurel – WSL)

VAGAS NO CT 2018 – Como Kanoa Igarashi passou por Joel Parkinson na terceira fase, o norte-americano agora está empatado com Wiggolly Dantas na 22.a e última posição no G-22. Italo Ferreira era o 23.o colocado e perdeu mais uma chance de entrar na zona de classificação para o CT 2018, com a derrota na terceira fase. Agora, Miguel Pupo já aparece dividindo o 24.o lugar com Italo Ferreira, mas só entra no grupo dos 22 primeiros nesta etapa se chegar nas semifinais do Rip Curl Pro. Ou seja, vai precisar vencer mais duas baterias em Portugal.

O primeiro desafio será na disputa pela última vaga direta para as quartas de final, contra Gabriel Medina e o australiano Mick Fanning, na bateria que vai fechar a quarta fase nesta segunda-feira, caso as condições do mar ainda estejam favoráveis para competir em Supertubos. A primeira chamada do dia será às 7h45, 4h45 pelo fuso horário de Brasília.

O MEO Rip Curl Pro Portugal está sendo transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf Lefague no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e Globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

QUARTA FASE DO MEO RIP CURL PRO PORTUGAL – Vitória=Quartas de Final:

1.a: Julian Wilson (AUS), Sebastian Zietz (HAV), Leonardo Fioravanti (ITA)

2.a: John John Florence (HAV), Kolohe Andino (EUA), Connor O´Leary (AUS)

3.a: Frederico Morais (PRT), Kanoa Igarashi (EUA), Josh Kerr (AUS)

4.a: Gabriel Medina (BRA), Mick Fanning (AUS), Miguel Pupo (BRA)

TERCEIRA FASE – 13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 11.500 de prêmio:

1.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 9.76 x 5.63 Matt Wilkinson (AUS)

2.a: Sebastian Zietz (HAV) 12.10 x 4.77 Conner Coffin (EUA)

3.a: Julian Wilson (AUS) 13.43 x 7.00 Jack Freestone (AUS)

4.a: Kolohe Andino (EUA) 13.96 x 12.56 Italo Ferreira (BRA)

5.a: Connor O´Leary (AUS) 15.73 x 15.50 Adrian Buchan (AUS)

6.a: John John Florence (HAV) 14.74 x 13.73 Vasco Ribeiro (PRT)

7.a: Josh Kerr (AUS) 8.67 x 8.27 Jordy Smith (AFR)

8.a: Frederico Morais (PRT) 11.00 x 8.74 Michel Bourez (TAH)

9.a: Kanoa Igarashi (EUA) 11.67 x 5.27 Joel Parkinson (AUS)

10: Miguel Pupo (BRA) 13.54 x 13.24 Adriano de Souza (BRA)

11: Mick Fanning (AUS) 11.40 x 10.40 Caio Ibelli (BRA)

12: Gabriel Medina (BRA) 17.34 x 10.40 Ethan Ewing (AUS)

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 10.000:

———–baterias que fecharam o sábado:

1.a: Gabriel Medina (BRA) 11.66 x 6.33 Mason Ho (HAV)

2.a: Vasco Ribeiro (PRT) 11.20 x 10.17 Owen Wright (AUS)

3.a: Adriano de Souza (BRA) 12.27 x 4.93 Stu Kennedy (AUS)

4.a: Leonardo Fioravanti (ITA) 15.34 x 8.40 Filipe Toledo (BRA)

———–baterias que abriram o domingo:

5.a: Kolohe Andino (EUA) 14.24 x 8.00 Jadson André (BRA)

6.a: Frederico Morais (PRT) 5.03 x 2.87 Nat Young (EUA)

7.a: Adrian Buchan (AUS) 9.07 x 6.90 Ezekiel Lau (HAV)

8.a: Connor O´Leary (AUS) 10.70 x 5.97 Ian Gouveia (BRA)

9.a: Kanoa Igarashi (EUA) 15.93 x 9.23 Joan Duru (FRA)

10: Italo Ferreira (BRA) 11.53 x 7.77 Jeremy Flores (FRA)

11: Caio Ibelli (BRA) 12.33 x 3.87 Wiggolly Dantas (BRA)

12: Conner Coffin (EUA) 11.10 x 8.60 Bede Durbidge (AUS)