Medina e Dora também passam para a terceira fase do Oi Rio Pro

Trials winner Yago Dora of Brazil advances to Round Three after defeating Kolohe Andino of the USA in Heat 1 of Round Two of the Oi Rio Pro at Saquarema, Rio de Janeiro, Brazil.

Yago Dora (Foto: Poullenot – WSL)

A quarta-feira amanheceu com ondas um pouco menores do que no primeiro dia na Praia de Itaúna, mas ainda com boas condições para realizar a segunda fase do Oi Rio Pro em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Publicidade

O catarinense Yago Dora, que venceu a triagem na segunda-feira, despachou o número 5 do Jeep WSL Ranking, na primeira bateria do dia. E o campeão mundial Gabriel Medina ganhou o duelo brasileiro com Jessé Mendes para também avançar para terceira fase. No entanto, no meio da manhã, o vento apertou e acabou com a formação das ondas, fazendo a comissão técnica da World Surf League paralisar a competição e marcar uma nova chamada para as 6h45 da quinta-feira em Saquarema.

“Essa foi a minha primeira vitória num evento do CT e estou amarradão”, disse Yago Dora. “Eu fiquei bem nervoso no final, porque o Kolohe (Andino) tinha a prioridade (de escolha da próxima onda), mas vi uma seção onde podia mandar um aéreo e o vento ajudou também. Todos aqui têm potencial de ser campeão mundial. Não são apenas os top-5 que vencem todas as etapas, têm outros surfistas também ganhando, então a disputa do título certamente será bem acirrada. Eu só quero mesmo me concentrar no meu surfe, sem pensar nos adversários”.O jovem Yago Dora acertou os aéreos de novo para tirar uma nota 9,10, que foi decisiva para garantir a vitória sobre o californiano Kolohe Andino por 14,27 a 13,23 pontos no primeiro duelo eliminatório do Oi Rio Pro. Essa é a primeira vez que o catarinense, que ocupa a terceira posição no ranking do WSL Qualifying Series, participa de uma etapa do World Surf League Championship Tour. Ele já tinha dado trabalho para o campeão mundial John John Florence na terça-feira, perdendo para o havaiano por uma pequena diferença de 14,67 a 14,64 pontos.

Yago Dora voltará a enfrentar o número 1 do Jeep WSL Leader, John John Florence, na terceira fase. No segundo confronto do dia, o segundo colocado do ranking, Owen Wright, começou a bateria com uma onda bem surfada que valeu nota 8,5 e confirmou o favoritismo contra o baiano Bino Lopes, que foi chamado na última hora para substituir Kelly Slater na etapa brasileira apresentada por Corona e patrocinada pela Oi. O australiano avançou para a terceira fase por uma larga vantagem de 16,00 a 8,97 pontos. Bino Lopes terminou em 25.o lugar no Oi Rio Pro, recebendo 10.000 dólares pela participação no evento.

Gabriel Medina (Foto: Poullenot – WSL)

DUELO BRASILEIRO – Na disputa seguinte, o campeão mundial Gabriel Medina também se recuperou da derrota sofrida na bateria que abriu o quarto desafio do World Surf League Championship Tour 2017 na terça-feira em Saquarema. Ele e o também paulista Jessé Mendes surfaram boas ondas e as do Medina foram melhores. Com notas 7,60 e 6,60, totalizou 14,20 pontos contra 10,66 de Jessé, que também ficou em 25.o lugar na estreia do Oi Rio Pro na “Capital Nacional do Surfe”.

“Faz muito tempo que eu e o Jessé (Mendes) competimos um contra o outro e nenhum de nós gosta de perder. Estou feliz por ter vencido, mas foi muito difícil. Tenho certeza que ele (Jessé) vai se classificar para o CT esse ano e estarei torcendo por isso”, disse Gabriel Medina, que também comentou sobre a entrada do surfe nas Olimpíadas. “Estou muito feliz que o surfe passou a fazer parte das Olimpíadas e espero fazer parte da equipe que vai representar o Brasil no Japão. Acho que não só eu, mas qualquer pessoa que compete, gostaria de representar seu país nos Jogos Olímpicos”.

Depois da bateria brasileira, as condições do mar já estavam bem mais difíceis, com o vento forte agindo negativamente na boa formação das ondas. O australiano Matt Wilkinson conseguiu derrotar o italiano Leonardo Fioravanti por 11,00 a 10,43 pontos, com duas notas 5,5. Após esse confronto, a comissão técnica decidiu paralisar a competição.  Foi marcada uma chamada para as 10h15, porém o mar não melhorou, o vento apertou ainda mais e a bateria entre o potiguar Jadson André e o taitiano Michel Bourez foi definitivamente adiada para a quinta-feira, com a primeira chamada do dia as 6h45 em Saquarema.

Matt Wilkinson (Foto: Poullenot – WSL)

“As condições (do mar) mudaram rapidamente, o vento forte entrou forte e tentei pegar qualquer onda para botar pressão nele (Leonardo Fioravanti)”, disse Matt Wilkinson. “Sem dúvidas, ele deve estar frustrado por ter perdido em condições como essas. Estou até me sentindo meio estranho, porque surfei tão mal que nem sinto que ganhei a bateria. Mesmo assim, estou feliz por ter conseguido a vitória e avançado para o round 3”.

O chefe dos juízes (head judge), Luli Pereira, também comentou sobre a decisão pelo adiamento da continuação da segunda fase masculina do Oi Rio Pro para a quinta-feira: “O vento entrou com muita força e, verificando a previsão do dia, só vai piorar. Os comissários da WSL optaram por paralisar a segunda fase, até porque os surfistas não estavam felizes com as condições pequenas, com ondas mexidas. Então, acho que foi a decisão certa e uma nova chamada acontecerá amanhã (quinta-feira) as 6h45 para tentar continuar a segunda fase”.

O World Surf League Championship Tour tem patrocínio global do Jeep e Airbnb e a Oi como patrocinador “naming rights” da etapa brasileira apresentada por Corona. O Boticário e TNT Energy Drink são dois novos patrocinadores do Oi Rio Pro 2017, que é realizado com o importante apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e viabilizado pela Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje), da Prefeitura Municipal de Saquarema, Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ) e Associação de Surf de Saquarema (ASS). A competição está sendo transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

Gabriel Medina (Foto: Poullenot – WSL)

A OI E O ESPORTE – A companhia tem longo histórico de apoio ao esporte, com patrocínios a grandes eventos, equipes e atletas de diferentes modalidades como basquete, surfe e skate. O incentivo da Oi a projetos esportivos é estratégico, pois reconhece a importância do esporte como ferramenta de interação entre as pessoas e as cidades, seja através da sua prática, ou por meio de manifestações culturais como o grafite e a música. A empresa acredita que o esporte e o incentivo à cultura urbana potencializam conexões e amplia repertórios, aproximando pessoas de diferentes tribos, exercendo um importante papel no processo de desenvolvimento individual e social.

Em 2015 e 2016, a Oi patrocinou o Oi Rio Pro, a etapa brasileira do World Surf League Championship Tour (CT). Além disso, patrocina os surfistas brasileiros de destaque na WSL: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima e Adriano de Souza, o Mineirinho, além do surfista Davizinho, de 11 anos, atual campeão mundial de surfe adaptado. Recentemente, como parte do legado do patrocínio aos Jogos Cariocas de Verão de 2016, a Oi construiu pistas de skate em Manguinhos e São João da Barra e reformou o park de Campo Grande – aproveitando assim o grande potencial do esporte urbano para aproximar culturas e realidades, promovendo encontros e transformando espaços públicos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

——————————————————————

João Carvalho – Assessoria de Imprensa do Oi Pro Rio

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

Assessoria de Imprensa da Oi:

Adriana Castelo Branco – (21) 988-999-146 – adriana.castelobranco@oi.net.br

——————————————————————

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 10.000:

1.a: Yago Dora (BRA) 14.27 x 13.23 Kolohe Andino (EUA)

2.a: Owen Wright (AUS) 16.00 x 8.97 Bino Lopes (BRA)

3.a: Gabriel Medina (BRA) 14.20 x 10.66 Jessé Mendes (BRA)

4.a: Matt Wilkinson (AUS) 11.00 x 10.43 Leonardo Fioravanti (ITA)

——–ficaram para abrir o próximo dia:

5.a: Michel Bourez (TAH) x Jadson André (BRA)

6.a: Sebastian Zietz (HAV) x Ethan Ewing (AUS)

7.a: Caio Ibelli (BRA) x Joan Duru (FRA)

8.a: Conner Coffin (EUA) x Bede Durbidge (AUS)

9.a: Connor O´Leary (AUS) x Stu Kennedy (AUS)

10: Adrian Buchan (AUS) x Miguel Pupo (BRA)

11: Frederico Morais (PRT) x Jack Freestone (AUS)

12: Ezekiel Lau (HAV) x Wiggolly Dantas (BRA)

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.000:

1.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) x Laura Enever (AUS)

2.a: Nikki Van Dijk (AUS) x Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Tyler Wright (AUS) x Tainá Hinckel (BRA)

4.a: Carissa Moore (HAV) x Bianca Buitendag (AFR)

5.a: Lakey Peterson (AUS) x Pauline Ado (FRA)

6.a: Keely Andrew (AUS) x Silvana Lima (BRA)