Lunada Bay recebe evento de surf em homenagem a Martin Luther King

Na segunda-feira celebrou-se a liberdade nas ondas da baía californiana. Foto: LA Times

A praia que foi palco de histórias violentas e muita polêmica por causa do localismo vigente, Lunada Bay, na Califórnia, vive agora dias mais calmos.

Publicidade

Longe vão os tempos onde a presença da polícia era habitual, assim como ameaças e agressões por parte da turma local a quem consideravam “invasores” os surfistas estranhos ao lugar.

Lunada Bay foi durante os últimos anos um dos palcos mais simbólicos do localismo no surf. Tornou-se inclusive um dos picos de surf norte-americano mais conhecidos a nível mundial, mas pelos piores motivos. Os Bay Boys ficaram conhecidos pela sua atitude intimidatória para com quem ousava tentar surfar naquelas bandas.

O caso chegou mesmo ao banco dos réus, depois de várias acusações a este grupo de locais. Além de ameaçarem os surfistas que não consideravam merecedores de surfar as ondas que julgavam “suas”, chegavam até mesmo a vandalizar carros. Os Bay Boys chegaram a montar uma estrutura fora d´água para controlar eventuais “intrusos”.

As entidades locais nunca fizeram nada para resolver o caso e os tribunais darão o seu veredicto apenas no próximo mês. Muitas foram as pessoas que se queixaram, sendo que a queixa foi apresentada contra um grupo de cerca de 10 surfistas, todos eles pertencentes aos tais “Bay Boys”.

Nesta segunda-feira, porém, as ondas de Lunada Bay tiveram finalmente acesso livre a todos os surfistas. “Foi o dia mais seguro para surfar aqui em 35 anos”, comentou um policial local ao Los Angeles Times. Um grupo de surfista locais aproveitou o dia internacional de Martin Luther King, feriado nacional, para promover um evento pela liberdade.

Com vários polícias vigiando a costa, de forma a garantirem que o evento decorresse em segurança, dezenas de surfistas e bodyboarders foram desfrutar das ondas de Lunada Bay pela primeira vez em anos. Christopher Taloa, ator e ex-bodyboarder profissional já havia tentado realizar este evento há três anos, mas acabou expulso da água à força pelos “Bay Boys”.

Depois da entrada em cena dos tribunais, as coisas parecem mais calmas em Lunada Bay. A vigilância da polícia local aumentou e o “forte de vigilância” construído ilegalmente pelos “Bay Boys” até já foi destruído por máquinas. Embora os “locais” não tenham aceitado a decisão de ânimo leve, tentado bloquear as máquinas.

Alguns surfistas de praias vizinhas garantem que já nem lembravam de como era surfar em Lunada Bay. Mas esta segunda-feira, dia 16 de janeiro, tudo mudou. E tudo mudará a partir daqui. O localismo é uma realidade no surf e faz parte da cultura deste estilo de vida. Mas levá-lo ao extremo não é uma prática sensata e inteligente.

Os “Bay Boys” começam assim a perder a sua influência na mítica Lunada Bay. Ninguém os impede de ser locais, o que por si só já lhes garante as condições de surfarem aquelas ondas em mais dias do ano do que qualquer outra pessoa, contudo já era hora de alguém explicar a eles que o mar é de todos e que as ondas não estão à venda…

Fonte: Surf Portugal

Lunada Bay, na Califórnia. Foto Divulgação