Lucas Chumbo é indicado em três categorias no Big Wave Awards

Lucas Chumbo em Nazaré, Portugal. Foto WSL

Um é carioca, tem apenas 21 anos e está recém iniciando sua carreira como surfista profissional. O outro é pernambucano, tem 49 anos, é bicampeão mundial de ondas grandes e está deixando as competições de lado.

Publicidade

Com idades e origens diferentes, mas o amor pelas condições extremas de surfe, Lucas Chumbo e Carlos Burle decidiram trabalhar juntos, e os frutos já estão aparecendo. Com Burle como técnico, Lucas foi um dos grandes destaques na última temporada, e concorre em três categorias no Big Wave Awards, o ‘Oscar das ondas grandes’, que será entregue hoje à noite, em uma cerimônia em Huntington Beach, na Califórnia.

Lucas foi indicado nas categorias ‘Onda do Ano’, ‘Maior Onda Surfada na Remada’ (sem o auxílio de um jet-ski) e ‘Performance do Ano’, que tem ainda o carioca Pedro Calado como um dos indicados. A paulista Nicole Pacelli concorre no ‘Performance do Ano’ entre as mulheres.

– Estar entre os melhores, sendo visto por todo mundo, é a realização de um sonho. Estou honrado por ser indicado, e ainda mais honrado por estar disputando em três categorias. O trabalho foi feito, agora é só esperar o resultado – disse Lucas.

Natural de Saquarema, Lucas tem o surfe no DNA. Deslizou sobre uma onda pela primeira vez quando tinha apenas três anos, levado pelo pai, que sempre gostou de encarar as ondas pesadas que quebram na praia de Itaúna. O tio, Marcos Monteiro, já venceu até etapa do Circuito Mundial de Ondas Grandes. O prazer em enfrentar condições difíceis passou para Lucas, que diz ficar à vontade em mares que assustariam muita gente.

– Sempre tive essa paixão. Eu ia bem em campeonatos quando o mar estava grande, me sentia mais confortável. Meu sonho era entrar no CT, disputar o circuito mundial, mas resolvi virar surfista de onda grande. Recebi a proposta do Burle de treinar com ele e está sendo maravilhoso. Me encontrei e agora meu sonho é ser campeão mundial nas ondas grandes – revela Lucas.

O jovem carioca, porém, não descartou totalmente seu sonho original de um dia competir ao lado de surfistas como Filipe Toledo e Gabriel Medina.

– Sempre vou continuar treinando na marola. Penso em voltar a competir no QS (a divisão de acesso do surfe mundial) e ainda tenho o sonho do CT.

Lucas Chumbo e Carlos Burle. Foto Divulgação

A parceria entre Lucas e Carlos Burle começou em outubro do ano passado, em Portugal. Para o big rider pernambucano, o carioca pode chegar muito longe no cenário das ondas grandes.

– Ele deu um pulo muito grande. Tinha talento e experiência, mas não tinha foco. Não sabia direito usar todas as qualidades que possui. Ele só tem 21 anos, é muito jovem. O objetivo é que ele seja campeão mundial algumas vezes.

Ao mesmo tempo em que inicia o trabalho com Lucas Chumbo, Carlos Burle ensaia seu adeus do cenário das competições. Bicampeão mundial de ondas grandes, em 1998 e na temporada 2009/2010, o pernambucano avisa que pretende participar de apenas mais um campeonato neste ano, ainda indefinido.

– Já estou fazendo 50 anos. Vou competir apenas mais uma vez, quando fizer 50, só para alcançar essa meta. Agora entra em cena o técnico.

Trabalhar com novos talentos não é novidade para Burle. Enquanto ainda corria atrás de ondulações mundo afora, dividindo o tempo também com as etapas do circuito mundial de ondas grandes, o pernambucano já passava dicas e ensinamentos para surfistas como Maya Gabeira e Pedro Scooby.

– Sempre gostei de treinar, de fazer parte de uma equipe. Tive um trabalho legal com o Eraldo (Gueiros), Maya, Scooby, um pouco com o Gordo (Felipe Cesarano), e sempre tratei essas relações com muito carinho. O Lucas tem correspondido muito, tem uma família muito estruturada e já temos uma confiança mútua muito legal. É um garoto do bem, muito talentoso.

Lucas também é só elogios ao seu novo técnico. O garoto de Saquarema não esconde a expectativa pelo sucesso da parceria.

– O Burle mudou a minha mente, me tranquilizou dentro e fora da água. Ele tem uma experiência que ninguém tem, e não é só meu técnico, é minha família. Não tenho palavras para agradecer o que ele faz por mim. Ele lapidou o diamante e botou para uso. Acho que vamos bombar no mundo das ondas grandes.

Carlos Burle. Foto Red Bull

 

FINALISTAS NA CATEGORIA ‘ONDA DO ANO’:

Ben Andrews (EUA) em Maverick’s (EUA)

Lucas Chumbo (BRA) em Nazaré (POR)

Billy Kemper (HAV) em Jaws (HAV)

Jamie Mitchell (AUS) em Puerto Escondido (MEX)

Francisco Porcella (ITA) em Nazaré (POR)

‘REMADA’:

Ben Andrews (EUA) em Maverick’s (EUA)

Trevor Sven Carlson (HAV) em Nazaré (POR)

Lucas Chumbo (BRA) em Nazaré (POR)

Christopher Mashburn (EUA) em Maverick’s (EUA)

Jamie Mitchell (AUS) em Nazaré (POR)

‘MAIOR ONDA’:

Trevor Sven Carlson (HAV) em Nazaré (POR)

Kai Lenny (HAV) em Jaws (HAV)

Francisco Porcella (ITA) em Nazaré (POR)

Sebastian Steudtner (ALE) em Nazaré (POR)

Hugo Vau (POR) em Nazaré (POR)

‘MELHOR DESEMPENHO MASCULINO’:

Grant Baker (AFS)

Pedro Calado (BRA)

Trevor Sven Carlson (HAV)

Lucas Chumbo (BRA)

Billy Kemper (HAV)

Nic Lamb (EUA)

Kai Lenny (HAV)

Greg Long (EUA)

Jamie Mitchell (AUS)

Francisco Porcella (ITA)

‘MELHOR DESEMPENHO FEMININO’:

Paige Alms (HAV)

Justine Dupont (FRA)

Keala Kennelly (HAV)

Nicole Pacelli (BRA)

Bianca Valenti (EUA)

‘TUBO DO ANO’:

Dane Gudauskas (EUA) em Cloudbreak (FIJ)

Conor Maguire (IRL) em Mullaghmore Head (IRL)

Bradley Norris (AUS) em The Right (AUS)

Dan Ryan (AUS) em The Right (AUS)

Shanan Worrall (AUS) em The Right (AUS)

‘VACA DO ANO’:

Wilem Banks (EUA) em Maverick’s (EUA)

Nathan Florence (HAV) em Maverick’s (EUA)

Danny Griffiths (AUS) em Shipstern Bluff (AUS)

Tom Lowe (ING) em Nazaré (POR)

Rafael Tapia (CHI) em Nazaré (POR)

Por oglobo.globo.com