Italo Ferreira está fora do restante da perna australiana do CT

Italo Ferreira of Brazil won Heat 7 of Round Two at the Quik Pro Gold Coast, Australia.

Italo Ferreira voando no aéreo que valeu o primeiro 10 do ano (Foto: Kelly Cestari – WSL)
By João Carvalho

O potiguar Italo Ferreira, que tirou a primeira nota 10 do ano no World Surf League Championship Tour 2017, está fora das outras duas etapas da “perna australiana”. Ele já estava escalado na 11.a bateria do Drug Aware Margaret River Pro, que começa em 29 de março, porém na última quarta-feira (22) torceu o tornozelo direito na volta de um aéreo de backside na praia de Duranbah, na Gold Coast. Após fazer uma ressonância magnética na Austrália, foi constatada uma lesão sem fratura que requer cuidado, então ele vai voltar ao Brasil nos próximos dias para fazer novos exames e iniciar o tratamento, visando se recuperar a tempo de disputar a etapa brasileira da World Surf League nos dias 09 a 20 de maio em Saquarema (RJ).

O manager de Italo Ferreira, Luiz Henrique Campos, mais conhecido por Pinga, divulgou um comunicado oficializando o cancelamento da sua participação nas etapas de Margaret River e também de Bells Beach, onde o potiguar de Baia Formosa já conquistou bons resultados, chegando nas semifinais das duas provas no ano passado.

Publicidade

“Como todos estão sabendo, na última quarta-feira, o Ítalo sofreu uma lesão no tornozelo direito. Depois de termos realizado todos os exames e conversado com os médicos, ficou decidido que ele retorna ao Brasil nos próximos dias para já dar início aos procedimentos de recuperação. Ele fica de fora das próximas etapas da perna australiana e iremos trabalhar para que a recuperação seja rápida e completa. Vale dizer que ele está bem e tranquilo. Agradecemos a todos pelas mensagens de apoio e força”, escreveu Luiz “Pinga” Campos.

JESSÉ MENDES – Com a saída de Italo Ferreira do Drug Aware Margaret River Pro, a World Surf League vai anunciar o seu substituto e as baterias da primeira fase já divulgadas serão modificadas. Para compensar a baixa de última hora do surfista de Baía Formosa, que fez grandes apresentações nas ondas de Snapper Rocks durante o Quiksilver Pro Gold Coast, o atual líder no ranking do WSL Qualifying Series, Jessé Mendes, ganhou o convite da WSL para competir nas ondas de “power” havaiano de M-River. Antes da contusão do potiguar-voador, o guarujaense estava escalado para estrear junto com o campeão mundial Gabriel Medina na quinta bateria, completada pelo norte-americano Kanoa Igarashi.

Jessé Mendes ficou muito perto da classificação para o CT no ano passado e é o quarto na lista para substituir os tops da elite nas etapas de 2017. Dessa vez, ele entrou como convidado pela grande campanha que fez na “perna australiana” do WSL Qualifying Series. Jessé foi finalista nas duas provas mais importantes da temporada até agora, as únicas com status QS 6000. Em Newcastle, perdeu a decisão brasileira para o catarinense Yago Dora, mas em Sydney faturou o título e assumiu a liderança no ranking que classifica dez surfistas para o seleto grupo dos top-34 que disputa o título mundial da World Surf League.

Jessé Mendes (Foto: Tom Bennett – WSL)

Com a entrada de Jessé Mendes e a baixa de Italo Ferreira, o Brasil permanecerá com nove representantes em Margaret River, assim como foi na Gold Coast com a “seleção” brasileira completa. Gabriel Medina foi o melhor no Quiksilver Pro e começa a temporada dividindo o terceiro lugar com o atual campeão mundial, John John Florence, que perdeu a lycra amarela do Jeep WSL Leader para o vencedor da primeira etapa, Owen Wright. Italo Ferreira parou no havaiano nas quartas de final e ficou em quinto lugar.

O número 1 da World Surf League em 2015, Adriano de Souza, que venceu essa etapa de Margaret River no mesmo ano, ocupa a nona posição no primeiro ranking de 2017. Mais quatro brasileiros iniciaram a temporada em 13.o lugar, os também paulistas Caio Ibelli e Miguel Pupo, o potiguar Jadson André o pernambucano Ian Gouveia, a novidade da “seleção brasileira” esse ano. Já os paulistas Filipe Toledo e Wiggolly Dantas não venceram nenhuma bateria na Gold Coast e ocupam a 25.a posição.

No World Surf League Women´s Championship Tour, a cearense Silvana Lima também passou em branco na primeira etapa, sendo eliminada na bateria que a norte-americana Lakey Peterson tirou a primeira nota 10 da temporada 2017 na Gold Coast. Silvana está escalada na primeira bateria do Drug Aware Margaret River Pro, junto com a francesa Johanne Defay e a havaiana Malia Manuel. Assim como no masculino, esta rodada inicial é classificatória e as vencedoras das baterias avançam direto para a terceira fase, mas as perdedoras terão uma segunda chance de continuar na disputa do título do segundo desafio do ano na Austrália.

O Drug Aware Margaret River Pro será transmitido direto da Austrália pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e pela página da World Surf League no Facebook, com divulgação especial também pela TV Globo no Brasil, da Fox Sports na Austrália, SKY na Nova Zelândia, SFR Sports na França, SporTV em Portugal e EDGE Sports na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

Foto divulgada por Italo Ferreira em seu Facebook

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO DRUG AWARE MARGARET RIVER PRO – baterias serão modificadas:

1.a: Kelly Slater (EUA), Connor O´Leary (AUS), Ian Gouveia (BRA)

2.a: Kolohe Andino (EUA), Mick Fanning (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA)

3.a: Matt Wilkinson (AUS), Stuart Kennedy (AUS), Ezekiel Lau (HAV)

4.a: Jordy Smith (AFR), Miguel Pupo (BRA), Jack Freestone (AUS)

5.a: Gabriel Medina (BRA), Kanoa Igarashi (EUA), Jessé Mendes (BRA)

6.a: John John Florence (HAV), Wiggolly Dantas (BRA), wildcard

7.a: Owen Wright (AUS), Caio Ibelli (BRA), Jadson André (BRA)

8.a: Joel Parkinson (AUS), Adrian Buchan (AUS), Jeremy Flores (FRA)

9.a: Adriano de Souza (BRA), Conner Coffin (EUA), Joan Duru (FRA)

10: Michel Bourez (TAH), Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS)

11: Julian Wilson (AUS), Italo Ferreira (BRA), Ethan Ewing (AUS)

12: Filipe Toledo (BRA), Sebastian Zietz (HAV), Frederico Morais (PRT)

PRIMEIRA FASE FEMININA DO DRUG AWARE MARGARET RIVER PRO:

1.a: Johanne Defay (FRA), Malia Manuel (HAV), Silvana Lima (BRA)

2.a: Courtney Conlogue (EUA), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Tyler Wright (AUS), Laura Enever (AUS), wildcard

4.a: Stephanie Gilmore (AUS), Nikki Van Dijk (AUS), Pauline Ado (FRA)

5.a: Carissa Moore (HAV), Lakey Peterson (EUA), Coco Ho (HAV)

6.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Tatiana Weston-Webb (HAV), Keely Andrew (AUS)

TOP-22 DO WSL JEEP RANKING 2017 – resultado da 1.a etapa:

1.o: Owen Wright (AUS) – 10.000 pontos

2.o: Matt Wilkinson (AUS) – 8.000

3.o: John John Florence (HAV) – 6.500

3.o: Gabriel Medina (BRA) – 6.500

5.o: Kelly Slater (EUA) – 5.200

5.o: Joel Parkinson (AUS) – 5.200

5.o: Italo Ferreira (BRA) – 5.200

5.o: Connor O´Leary (AUS) – 5.200

9.o: Jordy Smith (AFR) – 4.000

9.o: Kolohe Andino (EUA) – 4.000

9.o: Adriano de Souza (BRA) – 4.000

9.o: Conner Coffin (EUA) – 4.000

13: Julian Wilson (AUS) – 1.750

13: Sebastian Zietz (HAV) – 1.750

13: Caio Ibelli (BRA) – 1.750

13: Mick Fanning (AUS) – 1.750

13: Stuart Kennedy (AUS) – 1.750

13: Miguel Pupo (BRA) – 1.750

13: Jeremy Flores (FRA) – 1.750

13: Jadson André (BRA) – 1.750

13: Frederico Morais (PRT) – 1.750

13: Ian Gouveia (BRA) – 1.750

———outros brasileiros:

25: Filipe Toledo (BRA) – 500 pontos

25: Wiggolly Dantas (BRA) – 500

TOP-10 DO WSL JEEP WOMEN´S RANKING – resultado da 1.a etapa:

1.a: Stephanie Gilmore (AUS) – 10.000 pontos

2.a: Lakey Peterson (EUA) – 8.000

3.a: Johanne Defay (FRA) – 6.500

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) – 6.500

5.a: Tyler Wright (AUS) – 5.200

5.a: Carissa Moore (HAV) – 5.200

5.a: Nikki Van Dijk (AUS) – 5.200

5.a: Keely Andrew (AUS) – 5.200

9.a: Courtney Conlogue (EUA) – 6.500

9.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) – 6.500

13.a: Silvana Lima (BRA) – 1.750