Início do Tahiti Pro Teahupoo é adiado na sexta-feira!

A layday has been called but we can still enjoy the beauty of Tahiti at the 2018 Tahiti Pro Teahupo'o.
Teahupoo na sexta-feira (Foto: @WSL / Kelly Cestari)
By João Carvalho

O prazo da sétima etapa do World Surf League Championship Tour 2018 começou nesta sexta-feira e vai até o dia 21 de agosto na Polinésia Francesa. No entanto, o primeiro dia amanheceu com ondas pequenas na bancada mais temida do mundo e o início do Tahiti Pro Teahupoo foi adiado para as 7h30 do sábado, 14h30 no fuso horário de Brasília. Depois do bicampeonato no Corona J-Bay Open na África do Sul, Filipe Toledo vai competir com a lycra amarela do Jeep Leaderboard no Taiti e já está lá há duas semanas treinando em Teahupoo.

Filipe Toledo (Foto: @WSL / Kelly Cestari)

“Eu vim para cá há duas semanas para treinar e já surfei altas ondas aqui”, disse Filipe Toledo, que não tem um bom retrospecto nesta etapa. “Foi ótimo para mim ter um tempo a mais para surfar nesse lugar e para ficar mais familiarizado com a bancada. Eu ainda não tive bons resultados aqui, mas eu adoro o Taiti e espero conseguir surfar melhor nessa temporada. A corrida do título mundial está muito apertada esse ano, todo mundo está surfando bem e todo evento é importante. Eu me sinto confiante e ansioso para o restante do ano”.

Publicidade

Além de Filipe Toledo, mais dois brasileiros estão entre os top-5 do ranking. Gabriel Medina foi vice-campeão do Tahiti Pro Teahupoo na final do ano passado com Julian Wilson e está em terceiro lugar no Jeep Leaderboard, logo abaixo do australiano. E o quarto colocado é o potiguar Italo Ferreira, que sofreu uma contusão na perna durante o QS 10000 Vans US Open of Surfing, ficando a dúvida sobre sua participação no Taiti, mas ele está confirmado.

Gabriel Medina, Filipe Toledo, Julian Wilson e Michel Bourez na coletiva de imprensa na quinta-feira (Foto: @WSL / Kelly Cestari)

A “seleção brasileira” estará mais uma vez desfalcada de Caio Ibelli, que segue se recuperando de uma contusão, mas terá dois reforços no Taiti porque os campeões mundiais John John Florence e Kelly Slater também estão lesionados. Com isso, Miguel Pupo e Wiggolly Dantas, que faziam parte da elite até o ano passado, foram chamados para substitui-los em Teahupoo e o outro é o australiano Mikey Wright.

Então, serão doze representantes do Brasil nesta etapa que marca o início da segunda metade da temporada. O primeiro a encarar os tubos de Teahupoo será o pernambucano Ian Gouveia, na segunda bateria com o sul-africano Jordy Smith e o havaiano Ezekiel Lau. Na terceira, entram o potiguar Italo Ferreira e o paulista Miguel Pupo com o havaiano Sebastian Zietz.

Teahupoo na sexta-feira (Foto: @WSL / Kelly Cestari)

BATERIA BRASILEIRA – A bateria seguinte será 100% brasileira, com Gabriel Medina, o também paulista Wiggolly Dantas e o catarinense Tomas Hermes. Duas depois, Filipe Toledo estreia com a lycra amarela do Jeep Leaderboard no Taiti contra o catarinense Yago Dora e um dos taitianos classificados na triagem, Tikanui Smith. Esta rodada não é eliminatória e o vencedor avança direto para a terceira fase, mas os perdedores têm outra chance na repescagem.

Na sétima bateria, logo após a do número 1 do ranking, o catarinense Willian Cardoso enfrenta o português Frederico Morais e o sul-africano Michael February. O campeão mundial Adriano de Souza entra na nona com os australianos Mikey Wright e Matt Wilkinson. O também paulista Jessé Mendes está na 11.a com mais dois australianos, Owen Wright e Adrian Buchan. E o cearense Michael Rodrigues vai disputar a última vaga direta para a terceira fase com o norte-americano Conner Coffin e o australiano Connor O´Leary.

Acompanhe a transmissão ao vivo do Tahiti Pro Teahupoo pelo www.worldsurfleague.com ou pelo Facebook ou pelo aplicativo da World Surf League.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO TAHITI PRO TEAHUPOO:

1.a: Wade Carmichael (AUS), Jeremy Flores (FRA), Joan Duru (FRA)

2.a: Jordy Smith (AFR), Ezekiel Lau (HAV), Ian Gouveia (BRA)

3.a: Italo Ferreira (BRA), Sebastian Zietz (HAV), Miguel Pupo (BRA)

4.a: Gabriel Medina (BRA)Tomas Hermes (BRA)Wiggolly Dantas (BRA)

5.a: Julian Wilson (AUS), Joel Parkinson (AUS), Mateia Hiquily (TAH)

6.a: Filipe Toledo (BRA)Yago Dora (BRA), Tikanui Smith (TAH)

7.a: Willian Cardoso (BRA), Frederico Morais (PRT), Michael February (AFR)

8.a: Michel Bourez (TAH), Kanoa Igarashi (JPN), Keanu Asing (HAV)

9.a: Mikey Wright (AUS), Adriano de Souza (BRA), Matt Wilkinson (AUS)

10: Griffin Colapinto (EUA), Kolohe Andino (EUA), Patrick Gudauskas (EUA)

11: Owen Wright (AUS), Adrian Buchan (AUS), Jessé Mendes (BRA)

12: Conner Coffin (EUA), Michael Rodrigues (BRA), Connor O´Leary (AUS)

TOP-22 DO JEEP LEADERBOARD – RANKING WSL 2018 – após a 6.a etapa na África do Sul:

01: Filipe Toledo (BRA) – 35.900 pontos

02: Julian Wilson (AUS) – 31.960

03: Gabriel Medina (BRA) – 25.685

04: Italo Ferreira (BRA) – 25.415

05: Jordy Smith (AFR) – 21.910

06: Wade Carmichael (AUS) – 21.805

07: Willian Cardoso (BRA) – 21.405

08: Michel Bourez (TAH) – 21.040

09: Mikey Wright (AUS) – 19.200

10: Griffin Colapinto (EUA) – 18.280

11: Owen Wright (AUS) – 16.940

11: Conner Coffin (EUA) – 16.940

11: Michael Rodrigues (BRA) – 16.940

14: Adrian Buchan (AUS) – 16.915

15: Kolohe Andino (EUA) – 16.245

16: Adriano de Souza (BRA) – 14.850

17: Kanoa Igarashi (JPN) – 14.745

18: Frederico Morais (PRT) – 13.860

18: Jeremy Flores (FRA) – 13.860

20: Ezekiel Lau (HAV) – 13.755

21: Sebastian Zietz (HAV) – 12.615

22: Tomas Hermes (BRA) – 11.920

——–outros brasileiros:

26: Yago Dora (BRA) – 9.335 pontos

27: Jessé Mendes (BRA) – 8.290

33: Ian Gouveia (BRA) – 5.800

35: Miguel Pupo (BRA) – 2.925

36: Caio Ibelli (BRA) – 2.520

38: Wiggolly Dantas (BRA) – 2.085

39: Alejo Muniz (BRA) – 1.665

42: Deivid Silva (BRA) – 42