Igor Amorelli quebra recorde pessoal e termina em 14º no Mundial de Ironman

Brasileiro marcou 8h27 em sua melhor performance em Kona chegando ao lado do compatriota Thiago Vinhal (foto). Resultados são os melhores já conquistados por brasileiros na competição – Fotos: Romulo Cruz

Igor Amorelli conquistou nesse sábado mais um importante resultado em sua carreira na disputa do Ironman World Championship, em Kona, no Havaí. Com 8h27m o triatleta quebrou seu recorde pessoal na competição e terminou o mundial de Ironman em 14º lugar. De quebra, o catarinense ainda cruzou a linha de chegada ao lado de Thiago Vinhal (13º) e juntos a dupla conquistou os melhores resultados de atletas do Brasil na elite masculina na ilha havaiana.

Publicidade

“Foi muito legal cruzar a linha ao lado do Thiago. Essa é a primeira vez dele aqui em Kona e acredito que ele está bem contente com o resultado. No final do percurso nós nos encontramos e corremos os metros finais juntos”, comenta Igor, que apesar do bom desempenho ainda não saiu 100% satisfeito da competição. “Claro que um top-14 e com melhor tempo é sempre algo para ser comemorado, mas eu ainda sei que tenho mais dentro de mim para dar aqui. Não foi a prova que eu esperava, mas já mostra uma grande evolução, especialmente se compararmos com os últimos três anos”, avalia.

Logo em sua estreia em Kona, no ano de 2013, Igor fez história ao cravar 8h34, sendo esse o melhor tempo já feito por um brasileiro em Kona. Quatro anos mais tarde, Amorelli voltou a ilha havaiana e após três temporadas com resultados abaixo do esperado conseguiu melhorar seu tempo em quase sete minutos.

“Eu sempre falo que prefiro ganhar com um tempo alto, do que perder com um tempo baixo, mas não posso dizer que não foi bom. Eu sempre quero mais. Arrisquei na prova e dei meu máximo. Eu posso e sei que tenho muito mais para melhorar. Sei que posso quebrar essa marca e chegar mais longe”, afirma. “O resultado mostra também que temos evoluído e que a prova em Kona tem ficado cada vez mais forte e isso é um bom sinal. Mais uma coisa que a gente aprende por aqui”, avalia Igor.

A prova:

Como é de sua característica, Igor largou muito bem na natação e logo após a primeira boia já se posicionava entre os líderes. “O começo foi bem embolado, mas depois consegui me posicionar bem e sai da água no primeiro grupo”, conta o triatleta que cumpriu os 3.8 km em 48m38.

No ciclismo o catarinense não parou de crescer e na primeira metade chegou a liderar o pelotão. “Eu arrisquei, pois para se dar bem nessa prova é preciso ter coragem também. Essa sempre foi nossa estratégia e ter a atitude de pegar a ponta é importante”, avalia. Com um parcial de 4h25 Igor fez um ótimo pedal e saiu para correr bastante confiante.

Na corrida o calor apertou bastante e Igor sentiu um pouco no começo, mas depois passou a encaixar melhor seu rendimento. “Eu achei que na segunda metade da maratona ia aliviar um pouco, mas o calor estava muito forte. A corrida é o fator onde preciso melhorar para os próximos anos”, ponderou. “O que consigo tirar de lição é que sou um atleta mais completo do que há quatro anos. Em 2013 fiz 8h34 e sai feliz da vida. Hoje os 8h27 não me deixam plenamente satisfeito, pois sei que posso mais. Mas estou feliz com a temporada que fizemos. Agora é seguir em busca de novas conquistas e treinando bastante”, avaliou.

Ironman 70.3 Miami e Kona-2018:

A prova mal acabou e Igor já pensa na próxima temporada. Com a 14ª posição no Mundial de 2017 o catarinense já soma 1.620 pontos no ranking mundial e inicia a disputa pela vaga no próximo Ironman World Championship com uma pontuação alta. “Outro fator importante que posso levar em conta é a pontuação, que já ajuda bastante na corrida para o ano que vem”, comenta Igor.

Sem tempo para descansos Igor já começa a planejar a temporada que se inicia. “A batalha já começou. Temos os pontos de Kona e eu estou inscrito para o 70.3 de Miami que acontece no próximo final de semana. Vou avaliar com a minha equipe se vou fazer e até quinta já saberei, mas é possível que eu largue”, explica.

Alemão Patrick Lange vence com novo recorde:

O alemão Patrick Lange foi o grande campeão do Ironman World Championship 2017 estabelecendo novo recorde da prova – 8h01m38. O canadense Lionel Sanders ficou em segundo e o britânico David McNamee foi o 3º colocado. Entre as mulheres a suíça Daniela Ryf conquistou o tricampeonato consecutivo em Kona, com 8h50m47, à frente da britânica Lucy Charles, vice-campeã, e da australiana Sarah Crowley, terceira.

Retrospecto de Igor Amorelli na temporada 2017:

Ironman 70.3 Buenos Aires – (12 de março) – 3º colocado
Ironman 70.3 Oceanside (01º de abril) – Não completou
Ironman 70.3 Palmas (23 de abril) – Campeão
Ironman Florianópolis (28 de maio) – 3º colocado
Ironman 70.3 Equador (30 de julho) – Não completou
Ironman World Championship – Kona (14 de outubro) – 14º colocado

Retrospecto de Igor Amorelli em Kona:

2013 – 13º lugar – 8h34m59s
2014 – 25º lugar – 8h52m37s
2015 – 33º lugar – 9h34m17s
2016 – Não completou
2017 – 14º lugar – 8h27m26s

Igor Amorelli conta com os patrocínios da CPH Brasil, Mizuno, Red Bull, Woom e Argon18 e com o apoio da Oakley, Zipp, XTerra Wetsuites e CeramicaSpeed.

Informações para imprensa
Danilo Caboclo – danilo@gruposix.com.br – 48 9.9177-8099