Hawaiian Pro abre a tríplice coroa havaiana

David do Carmo. Foto WSL

O inverno começou, para ser claro, o inverno havaiano. Sem frio, neve ou gelo, os havaianos marcam a ocasião com a abertura da Vans Triple Crown of Surfing. A primeira joia destes reverenciados eventos teve início sábado em Haleiwa, com o Hawaiian Pro.

Publicidade

A rodada de início teve boas disputas, os brasileiros fizeram bonito, podemos destacar as performances de Marco Fernanzez, David do Carmo, Samuel Pupo, Robson Santos, Lucas Silveira e Heitor Alves.

O neozelandês Ricardo Christie foi autor do maior score total do dia. Ele acumulou 18,17 pontos na sua bateria contra um menino em forma, o local Finn McGill, que fez final no HIC Pro. Christie, 28, é Nº 66 no QS. McGill é um menino de 16 anos de idade à procura de mais grandes resultados para impulsioná-lo ao Top 100.

Eventos QS como estes estão cheios de surfistas de todo espectro de carreira. O Francês Marc Lacomare foi outro destaque no sábado, está à beira da qualificação para o CT. Embora ele esteja como nº. 52, ele é um dos muitos na esperança de ganhar pontos para obter melhor seed nos eventos do QS no próximo ano.

Enquanto isso, Sunny Garcia, que ganhou seu título mundial no mesmo ano em que Finn McGill nasceu, surfou sua última tríplice coroa havaiana. O seis vezes vencedor do Triple Crown, Garcia é o concorrente mais bem sucedido do Hawaii, surfou com a sua habitual força e energia. Infelizmente, ele estava precisando de notas, e não conseguiu avançar.

Ian Crane, de San Clemente, foi um dos outros grandes destaques. Sua soma de 16.97 o colocou confortável para avançar sobre o Uruguaio Marco Giorgi, o pernambucano Luel Felipe e Cody Young. Crane é um membro de carteirinha do San Clemente Mafia. Ele adoraria estar na elite e viajar com seu amigo Kolohe Andino, mas ele é atualmente Nº 99 no QS, e há cerca de cinco outros surfistas de San Clemente entre ele e a zona de qualificação.

Galeria de Imagens