Guardiãs do mar

Guardiãs do mar

Por Simone Hereda

Publicidade

Abrir as portas para crianças serem inseridas socialmente através do esportes pode mudar trajetórias de vidas e ajudar a construir uma sociedade melhor.

Essa onda solidária é a proposta do Instituto Guardiãs do Mar (GDM). O projeto irá percorrer 10 cidades litorâneas selecionando 10 crianças, que participarão de uma experiência com atletas profissionais e de um treinamento durante 24 meses na preparação para uma competição.

A etapa do Rio de Janeiro ocorrerá nos dias 15, 16 e 17 de julho na Praia da Macumba. Com o apoio do Cades e SOBRASA, crianças de famílias em situação de vulnerabilidade social iniciarão uma nova trajetória e com a ajuda e trabalho voluntário de grandes nomes dos esportes oceânicos.

“Após esta vivencia, descobriremos talentos, e organizaremos uma competição onde serão eleitos representantes de cada uma das modalidades do projeto: natação em águas abertas, surf, longboard, bodyboard, bodysurf, stand-up wave e stand-up paddle” diz Patricia Almeida.

Para dar a largada, nos dias 25 e 26 de junho, o GDM esteve na Praia da Macumba iniciando os preparativos. Para deixar tudo em ordem, a idealizadora do projeto Patrícia Almeida juntou um time de feras dos esportes que foram recebidas no Hereda Surf Hostel, parceiro da etapa do Rio.

O surfista profissional Angelo Hereda foi o anfitrião dos atletas GDM: Nicole Pacelli, campeã mundial de SUP e Angela Bauer, colecionadora de títulos de LongBoard e SUP, que se reuniram com a tetracampeã brasileira de surfe Andréa Lopes, Rayane Amaral, Fabio Aquino e a Bi campeã brasileira Suelen Naraisa.

Os atletas aproveitaram o final de semana para experimentar as pranchas do projeto feitas de madeira e inspiradas nos anos 50, bonitas e feitas com madeiras reflorestadas, pois tudo foi projetado para trabalhar os ambientes sociais, esportivos e ambientais.

Além do lado social e ambiental, as Guardiãs do Mar também se preocupam com a sustentabilidade financeira do projeto, e para tanto, entre as ações planejadas estão os leilões de objetos dos atletas envolvidos, o desenvolvimento de produtos eco sustentáveis e linhas assinadas com foco na captação para a viabilização do projeto durante 24 meses.

O Surf Team do Hereda vibrou com a parceria que irá hospedar a equipe do GDM.

“Nos identificamos com a proposta na qual surfistas profissionais lideram questões sociais e ambientais essenciais e portanto, estamos colocando toda a nossa energia para que as coisas fluam! Estamos torcendo para que todas as ações GDM sejam bem sucedidas e que a desigualdade social deixe de ser uma barreira para os esportes. Desejamos as boas vindas”, comenta Angelo Hereda.

O instituto Guardiãs do Mar é uma associação sem fins lucrativos voltada para ações sociais em esportes e meio ambiente, gerenciado pela idealizadora Patrícia Almeida e atletas líderes do setor. O projeto é dirigido para crianças e jovens que querem praticar esportes aquáticos, mas que não têm condições de adquirir o principal instrumento, que é a prancha de surfe, ou até mesmo o incentivo necessário para desbravar o mar.

As inscrições para a primeira etapa estão abertas pelo http://onggdm.org/cadastrogdm.