Krystian Kymerson é o Brasil nas finais do primeiro QS 10000 do ano

Krystian Kymerson winning Heat 2 of the Round of 16 and advancing to the Quarter Finals of The Ballito Pro Presented by Billabong QS10000.

Krystian Kymerson é o Brasil nas finais do primeiro QS 10000 do ano

By João Carvalho

Publicidade

O capixaba Krystian Kymerson ganhou o duelo com o paulista Deivid Silva e foi o único brasileiro a passar para o domingo decisivo do QS 10000 Ballito Pro apresentado pela Billabong na África do Sul, vencido pelo catarinense Alejo Muniz no ano passado. Ele vai abrir as quartas de final contra um top do CT, Jeremy Flores, que derrotou o cearense Michael Rodrigues no sábado de mar pesado, com ondas difíceis de 6-8 pés em Willard Beach na cidade de KwaDukuza, em KwaZulu-Natal. E outro surfista da elite da World Surf League tirou o baiano Bino Lopes da disputa do título da etapa mais importante do ano no WSL Qualifying Series. O australiano Jack Freestone fez o maior placar do campeonato nesta bateria e os três brasileiros ficaram em nono lugar no QS 10000 da África do Sul, marcando 3.700 pontos e ganhando posições no ranking que classifica dez surfistas para o Samsung Galaxy WSL Championship Tour.

Entre os oito finalistas, Flores e Freestone são dois dos dez tops do CT que foram buscar pontos para tentar garantir suas permanências pelo ranking de acesso, pois no momento estão abaixo dos 22 primeiros colocados que são mantidos na elite para o ano que vem. O Ballito Pro é o primeiro QS 10000 da temporada e tão importante que os 10.000 da vitória superam até a pontuação de quem chegou na África do Sul em segundo no ranking, o australiano Dion Atkinson. Este é o primeiro evento do francês no QS e ele já ultrapassa o último do G-10 se for um dos finalistas na África. Jeremy surfou um belo tubo e manobrou com pressão para superar o voador Michael Rodrigues por 16,57 a 15,76 no primeiro confronto do sábado, ambos somando uma nota excelente acima de 8.

Mas, Krystian Kymerson também entra na lista se chegar na decisão do domingo e os dois prometem fazer uma grande bateria para abrir o último dia em Willard Beach. Eles já competiram juntos em Ballito na terceira fase e o capixaba foi o único a ganhar do francês na África, com Flores se classificando em segundo lugar para a fase dos 24 melhores. Depois ele não perdeu mais, mas Krystian tem conseguido achar boas ondas para mostrar um surfe moderno nas diferentes condições do mar, incluindo os aéreos completados com segurança. No sábado, o mar estava mais para as manobras de borda e Krystian Kymerson pegou duas boas ondas para vencer o duelo brasileiro com Deivid Silva por 14,50 a 7,94 pontos, com nota 7,67 na melhor delas.

Deivid tinha acabado de assumir a vice-liderança no ranking do WSL Qualifying Series e agora cinco classificados para o domingo podem ultrapassar os 11.530 pontos que o guarujaense ficou no ranking, com os 3.700 pontos do nono lugar no Ballito Pro. Dois deles são o francês Joan Duru e o sul-africano Beyrick De Vries, que se enfrentam logo após Kymerson e Flores abrirem o último dia. Duru já subiu de oitavo para terceiro no ranking e tira o segundo de Deivid se vencer essa bateria. Mas, o sul-africano também quer a vitória, que para ele vale a entrada na zona de classificação para o CT, porém só supera a pontuação de Deivid Silva se for o campeão do QS 10000 da África do Sul.

Os outros três concorrentes pelo segundo lugar no ranking estão na chave de baixo, que vai apontar o segundo finalista. Eles já ingressaram no G-10 nessa semana, mas só ultrapassam o brasileiro se chegarem na decisão do título no domingo, então apenas um deles conseguirá isso. Os australianos Connor O´Leary e Ethan Ewing terão um confronto direto fechando as quartas de final e o havaiano Ezekiel Lau vai precisar parar o melhor surfista nas ondas de Willard Beach esse ano, Jack Freestone, que registrou um novo recorde para o Ballito Pro no sábado.

BRASIL NO G-10 – Contra o brasileiro Bino Lopes, o australiano foi paciente para escolher as melhores ondas da bateria para manobrar forte nas direitas de Willard Beach e também usou os aéreos para potencializar suas notas. O vice-campeão do Oi Rio Pro esse ano está repetindo na África do Sul o ataque nas ondas do Postinho da Barra da Tijuca que o levou até a final no Rio de Janeiro e computou notas 9,40 e 8,83 para atingir 18,23 pontos de 20 possíveis. Bino Lopes nada pôde fazer, mas o nono lugar o aproximou da zona de classificação para o CT, indo dormir no sábado em 13.o no ranking.

Agora, Krystian Kymerson tem a chance do Brasil ter mais um no G-10 no primeiro QS 10000 do ano. Ele chegou em 303 no ranking e com a passagem para as quartas de final já aparece em 22.o lugar. Para superar os 7.990 pontos do americano Patrick Gudauskas, que caiu da sexta para a décima posição, Krystian precisa vencer duas baterias no domingo, pois só chegando na final atinge 8.475 pontos. Aí ultrapassa até o penúltimo no G-10, o australiano Cooper Chapman. Então terá que passar por Jeremy Flores e também pelas semifinais, mas já é mais um brasileiro entrando na briga direta por vagas para o CT de 2017.

MELHORES DO DIA – De Vries ganhou a melhor bateria do Ballito Pro esse ano, contra o também sul-africano Jordy Smith nas oitavas de final disputadas no sábado. Ambos surfaram duas ondas muito boas de forma incrível para computar notas no critério excelente dos juízes. A melhor performance de cada um valeu 9,73 para Beyrick e 9,63 para Jordy e a segunda nota computada acabou decidindo a vitória para De Vries, que somou um 8,00 contra 7,60 de Smith no placar encerrado em 17,73 a 17,23 pontos.

O francês Joan Duru aproveitou a boa condição do mar para fazer outra grande apresentação no confronto seguinte, com ele e o australiano Cooper Chapman também destruindo as direitas de Willard Beach. Duru atingiu 18 pontos com notas 9,67 e 8,33 e ainda jogou fora duas na casa dos 7 pontos. Chapman conseguiu duas acima de 8 e foi derrotado com 16,94 pontos. O único a passar dos 18 pontos foi o australiano Jack Freestone, que totalizou 18,23 com notas 9,40 e 8,83 contra Bino Lopes duas baterias depois.

E para fechar o sábado de show de surfe em Ballito, mais um australiano brilhou ao barrar o líder do WSL Qualifying Series, Leonardo Fioravanti. Com uma nota 9,07 na melhor onda da bateria, Ethan Ewing derrotou o italiano por 14,77 a 13,40 e alcançou a quinta posição no ranking com a classificação para as quartas de final. Já Fioravanti não é mais ameaçado por ninguém e permanecerá encabeçando o G-10 com mais de 2.000 pontos de vantagem.

Mais informações, fotos e vídeos do QS 10000 Ballito Pro no www.worldsurfleague.com que está transmitindo a competição ao vivo da África do Sul.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A missão da World Surf League é simples: inspirar uma mudança positiva para o surf e nossos fãs. A WSL, nova sigla da antiga ASP (Association of Surfing Professionals), vem realizando os principais campeonatos de surf desde 1976, decidindo os campeões mundiais de cada temporada no Samsung Galaxy WSL Championship Tour, do Big Wave Tour, Longboard e Pro Junior, além das etapas do Qualifying Series, as regionais do Pro Junior e Longboard e outros eventos, como o Big Wave Awards. A WSL também vem resgatando a rica história do esporte, promovendo baterias entre estrelas do passado, unindo progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis de todos os tempos. A WSL quer os melhores surfistas do mundo nas melhores ondas do mundo.

Exibindo o melhor do surf em sua plataforma digital através da worldsurfleague.com, a WSL tem energizado sua legião de fãs apaixonados com milhões de novos fãs pelo mundo, todos sintonizados acompanhando ao vivo as grandes estrelas do surf mundial, como Kelly Slater, Filipe Toledo, Gabriel Medina, Adriano de Souza, Makua Rothman, Grant “Twiggy” Baker, Greg Long, Stephanie Gilmore, John John Florence, Carissa Moore, entre outros, competindo no ambiente mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes.

————————————————————————

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

————————————————————————

QUARTAS DE FINAL DO QS 10000 BALLITO PRO NA ÁFRICA DO SUL:

1.a: Jeremy Flores (FRA) x Krystian Kymerson (BRA)

2.a: Joan Duru (FRA) x Beyrick De Vries (AFR)

3.a: Jack Freestone (AUS) x Ezekiel Lau (HAV)

4.a: Connor O´Leary (AUS) x Ethan Ewing (AUS)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.700 pontos e US$ 4.300 de prêmio:

1.a: Jeremy Flores (FRA) 16.57 x 15.76 Michael Rodrigues (BRA)

2.a: Krystian Kymerson (BRA) 14.50 x 7.94 Deivid Silva (BRA)

3.a: Beyrick De Vries (AFR) 17.73 x 17.23 Jordy Smith (AFR)

4.a: Joan Duru (FRA) 18.00 x 16.94 Cooper Chapman (AUS)

5.a: Ezekiel Lau (HAV) 12.57 x 12.27 Stu Kennedy (AUS)

6.a: Jack Freestone (AUS) 18.23 x 10.13 Bino Lopes (BRA)

7.a: Connor O´Leary (AUS) 12.40 x 12.33 Davey Cathels (AUS)

8.a: Ethan Ewing (AUS) 14.77 x 13.40 Leonardo Fioravanti (ITA)

Galeria de Imagens