Gabriel Medina pode ser campeão mundial em Portugal

2014 World Champion and current Jeep Rankings Leader Gabriel Medina (BRA) advances directly to Round 3 of the 2018 MEO Rip Curl Pro Portugal after winning Heat 6 of Round 1 in Peniche, Portugal.
Gabriel Medina. Foto: @WSL / Poullenot
By João Carvalho

O campeão do World Surf League Championship Tour 2018 pode ser definido na penúltima etapa da temporada, que começou nesta terça-feira em Portugal. O único com chance é o novo líder do ranking, Gabriel Medina, que precisa repetir a vitória no MEO Rip Curl Pro do ano passado para conseguir seu segundo título mundial por antecipação. Mas, a decisão vai para o Havaí se, antes da final em Portugal, Filipe Toledo tiver passado pela terceira fase ou Julian Wilson chegado nas semifinais. Medina e Julian estrearam com vitórias na terça-feira, mas Filipe teve que passar pela repescagem e surfou o melhor tubo do dia em Supertubos para se classificar. Se vencer mais uma bateria, já adia a decisão do título para Pipeline.

Tomas Hermes (Foto: @WSL / Poullenot)

Essa disputa centralizou as atenções no primeiro dia do MEO Rip Curl Pro Portugal, que terminou com oito brasileiros classificados para a terceira fase. Gabriel Medina estreou com a lycra amarela do Jeep Leaderboard com vitória, logo após o ex-líder Filipe Toledo ser mandado para a repescagem pelo catarinense Tomas Hermes. O potiguar Italo Ferreira, o pernambucano Ian Gouveia e o paulista Jessé Mendes, também ganharam suas primeiras baterias em Supertubos e passaram direto para a terceira fase.

Publicidade

Depois, foi realizada a metade da primeira rodada eliminatória e mais três aproveitaram a segunda chance de classificação. Filipe Toledo venceu o primeiro duelo verde-amarelo da repescagem com o convidado da Rip Curl, Samuel Pupo. O catarinense Willian Cardoso bateu o havaiano Keanu Asing com o maior placar brasileiro do dia, 14,50 pontos. E o cearense Michael Rodrigues derrotou Miguel Pupo na bateria brasileira que fechou a terça-feira em Portugal. As condições estavam difíceis para competir nas ondas pesadas de 6-8 pés em Supertubos, com a maioria fechando rápido, sem abrir tubos mais longos ou paredes para manobras.

Gabriel Medina ainda conseguiu achar um tubo que valeu nota 6,67, que somou com o 6,50 de outra direita que deu para fazer dois ataques com força e velocidade, para vencer sua bateria por 13,17 pontos. A novidade do Brasil no MEO Rip Curl Pro Portugal estreou junto com ele e Samuel Pupo foi até melhor do que o outro top da bateria, deixando o americano Patrick Gudauskas em último lugar. Foi a primeira vez que Medina competiu com a lycra amarela do Jeep Leaderboard esse ano e ele ainda defende o título da etapa portuguesa.

Gabriel Medina (Foto: @WSL / Poullenot)

“É muito bom estar vestindo a camisa amarela do Jeep Leader novamente”, disse Gabriel Medina, que recebeu grande apoio da torcida que encheu a praia na terça-feira. “Foi uma bateria muito difícil, então optei em ir em várias ondas e estou feliz por ter conseguido vencer. É ótimo estar de volta a Portugal e é incrível ver todo esse carinho e apoio do público aqui. Eles me fazem sentir como se estivesse surfando em casa e isso é muito bom”.

O australiano Julian Wilson já havia passado bem a sua bateria, somando notas 7,50 e 7,00 no placar de 14,50 pontos que só foram superados pelos 14,77 do japonês Kanoa Igarashi, no penúltimo confronto da primeira fase. A maior nota era o 8,00 recebido por Griffin Colapinto, que não impediu sua derrota para o também americano Conner Coffin.

Essa marca só foi ultrapassada no tubaço que Filipe Toledo surfou logo no início da sua bateria na repescagem e valeu 8,17. Foi realmente um achado, porque depois não entrou mais nada de onda boa, mas ele acabou vencendo fácil o duelo com o jovem Samuel Pupo por 12,67 a 5,03.

Filipe Toledo (Foto: @WSL / Poullenot)

“Eu tive uma derrota difícil de engolir esta manhã e ainda está difícil encontrar uma onda boa lá fora”, destacou Filipe Toledo. “Eu peguei aquele tubo salvador bem no início da bateria e demorei mais de 15 minutos para encontrar um backup (segunda nota computada). Estou feliz por ter conseguido vencer, mas foi difícil competir aqui hoje (terça-feira). Não dá para fazer uma estratégia quando seu adversário fica tão longe de você no mar, então fiquei apenas esperando que viesse uma onda para pegar outro tubo. Não veio, mas pequei uma para fazer manobras que valeram também a vitória que eu precisava”.

Assim como na França, Filipe teve que passar pela repescagem em Portugal e segue na disputa pela liderança do ranking com Gabriel Medina, que é fase a fase no MEO Rip Curl Pro, ou seja, ele precisa ficar à frente para recuperar a lycra amarela do Jeep Leaderboard. Ambos já ganharam a etapa portuguesa, assim como o outro concorrente ao título, Julian Wilson, que ficou em segundo na final contra Medina no ano passado. A vitória de Filipe foi numa decisão brasileira com Italo Ferreira, que foi o primeiro a vencer na terça-feira em Supertubos.

Italo Ferreira (Foto: @WSL / Masurel)

PRIMEIRAS VITÓRIAS – O potiguar de Baía Formosa estreou junto com o paulista Wiggolly Dantas e pegou as melhores ondas que entraram para também derrotar o português Frederico Morais por 10,94 pontos. Italo está em quarto lugar no ranking, já ganhou duas etapas esse ano, porém não tem mais chances matemáticas de brigar pelo título mundial. Depois dele, começaram a estrear os três concorrentes que estão à sua frente no Jeep Leaderboard.

O australiano Julian Wilson confirmou o favoritismo, mas Filipe Toledo foi batido pelo catarinense Tomas Hermes por uma pequena diferença de 10,50 a 9,56 pontos nas duas notas computadas. Gabriel Medina venceu a dele com Samuel Pupo, com seu irmão mais velho, Miguel Pupo, também ficando em segundo lugar contra dois australianos no confronto seguinte. Ambos depois foram eliminados nos dois duelos brasileiros da repescagem e ficaram em 25.o lugar no MEO Rip Curl Pro, recebendo 10.000 dólares pelas participações.

Ian Gouveia (Foto: @WSL / Masurel)

O Brasil ainda conseguiu mais duas vitórias na primeira fase. O pernambucano Ian Gouveia mostrou mais uma vez ser bom de tubos e achou alguns para derrotar o californiano Kolohe Andino e o francês Jeremy Flores por 11,50 pontos. Na disputa seguinte, entraram dois e o paulista Jessé Mendes foi um pouco melhor, superando o catarinense Willian Cardoso por 8,83 a 7,03 e os apenas 2,54 do havaiano Sebastian Zietz. Já o campeão mundial Adriano de Souza e Michael Rodrigues ficaram em último nas baterias que fecharam a primeira fase.

ELIMINATÓRIAS – Os comissários da World Surf League analisaram que as condições do mar ainda estavam satisfatórias na tarde da terça-feira e confirmaram a continuação do evento com seis baterias da repescagem fechando o primeiro dia. Foi uma decisão difícil, pois um concorrente ao título mundial estava na primeira eliminatória do MEO Rip Curl Pro Portugal. Mas, Filipe Toledo achou o melhor tubo do dia logo no início e seguiu em frente.

Na terceira bateria, veio a primeira baixa do Brasil, o paulista Wiggolly Dantas, derrotado pelo californiano Kolohe Andino por 12,33 a 9,73. Na quarta, Willian Cardoso achou boas ondas para mostrar a potência do seu surfe em ondas pesadas como as de Supertubos. Ele aproveitou a última chance de passar para a terceira fase somando notas 7,83 e 6,67 no maior placar brasileiro do primeiro dia, 14,50 pontos, contra 9,67 do havaiano Keanu Asing. No confronto verde-amarelo que fechou a terça-feira, o paulista Miguel Pupo largou na frente, mas o cearense Michael Rodrigues se recuperou no final para vencer por 13,00 a 10,10 pontos.

Willian Cardoso (Foto: @WSL / Masurel)

Oito brasileiros já passaram para a terceira fase e o único que já sabe quem vai enfrentar é o líder do ranking, Gabriel Medina. E a parada será dura, contra o mesmo Ryan Callinan que barrou Filipe Toledo na terceira fase na França e terminou como vice-campeão do Quiksilver Pro. O australiano está competindo na “perna europeia” com convite da World Surf League, pelo segundo lugar que ocupa no ranking do WSL Qualifying Series, liderado pelo japonês da elite, Kanoa Igarashi.

CHAMADA NA MADRUGADA – A repescagem deve continuar nesta quarta-feira e a primeira chamada para a sétima bateria, do campeão mundial Adriano de Souza com o francês Joan Duru, será as 7h45 em Portugal, 3h45 da madrugada no Brasil. Além de Mineirinho, apenas mais um brasileiro ainda pode chegar na terceira fase, o catarinense Yago Dora, que vai fechar a repescagem com o português Frederico Morais. Os dois ocupam as últimas posições no grupo dos 22 primeiros colocados no ranking que são mantidos na elite dos top-34 para o World Surf League Championship Tour do ano que vem.

Eles já se enfrentaram nesta mesma segunda fase na etapa passada na França e o brasileiro levou a melhor, se mantendo em 21.o lugar no G-22. Logo abaixo deles, está Tomas Hermes em 24.o e que já passou direto para a terceira fase, derrotando Filipe Toledo na terça-feira. O pernambucano Ian Gouveia e o paulista Jessé Mendes, empatados em trigésimo lugar, também tentam entrar na zona de classificação para o CT 2019 nesta reta final da temporada e estrearam com vitórias em Portugal, como Tomas Hermes.

O MEO Rip Curl Pro Portugal está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

MEO RIP CURL PRO PORTUGAL – Vitória=Terceira Fase e 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Ryan Callinan (AUS)=9.53, 2-Ezekiel Lau (HAV)=9.00, 3-Owen Wright (AUS)=6.50

2.a: 1-Jordy Smith (AFR)=9.73, 2-Yago Dora (BRA)=5.57, 3-Keanu Asing (HAV)=4.54

3.a: 1-Italo Ferreira (BRA)=10.94, 2-Frederico Morais (PRT)=6.20, 3-Wiggolly Dantas (BRA)=4.43

4.a: 1-Julian Wilson (AUS)=14.50, 2-Connor O´Leary (AUS)=12.00, Vasco Ribeiro (PRT)=9.47

5.a: 1-Tomas Hermes (BRA)=10.50, 2-Filipe Toledo (BRA)=9.56, 3-Miguel Blanco (PRT)=4.17

6.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=13.17, 2-Samuel Pupo (BRA)=6.03, 3-Patrick Gudauskas (EUA)=4.77

7.a: 1-Adrian Buchan (AUS)=9.10, 2-Miguel Pupo (BRA)=8.30, 3-Wade Carmichael (AUS)=5.80

8.a: 1-Conner Coffin (EUA)=12.16, 2-Griffin Colapinto (EUA)=10.17, 3-Joan Duru (FRA)=3.17

9.a: 1-Ian Gouveia (BRA)=11.50, 2-Kolohe Andino (EUA)=5.76, 3-Jeremy Flores (FRA)=1.80

10: 1-Jessé Mendes (BRA)=8.83, 2-Willian Cardoso (BRA)=7.03, 3-Sebastian Zietz (HAV)=2.54

11: 1-Kanoa Igarashi (JPN)=14.77, 2-Matt Wilkinson (AUS)=6.77, 3-Adriano de Souza (BRA)=6.17

12: 1-Michel Bourez (TAH)=10.47, 2-Michael February (AFR)=6.73, 3-Michael Rodrigues (BRA)=1.67

SEGUNDA FASE – Derrota=25.o lugar com 420 pontos e US$ 10.000:

1.a: Filipe Toledo (BRA) 12.67 x 5.03 Samuel Pupo (BRA)

2.a: Owen Wright (AUS) 9.33 x 7.73 Miguel Blanco (PRT)

3.a: Wade Carmichael (AUS) 8.03 x 7.90 Vasco Ribeiro (PRT)

4.a: Kolohe Andino (EUA) 12.33 x 9.73 Wiggolly Dantas (BRA)

5.a: Willian Cardoso (BRA) 14.50 x 9.67 Keanu Asing (HAV)

6.a: Michael Rodrigues (BRA) 13.00 x 10.10 Miguel Pupo (BRA)

———ficaram para abrir a quarta-feira:

7.a: Adriano de Souza (BRA) x Joan Duru (FRA)

8.a: Sebastian Zietz (HAV) x Matt Wilkinson (AUS)

9.a: Jeremy Flores (FRA) x Michael February (AFR)

10: Griffin Colapinto (EUA) x Patrick Gudauskas (EUA)

11: Ezekiel Lau (HAV) x Connor O´Leary (AUS)

12: Yago Dora (BRA) x Frederico Morais (PRT)

TOP-22 DO JEEP LEADERBOARD – RANKING WSL 2018 – após 9 etapas:

01: Gabriel Medina (BRA) – 51.770 pontos

02: Filipe Toledo (BRA) – 51.450

03: Julian Wilson (AUS) – 47.125

04: Italo Ferreira (BRA) – 33.940

05: Jordy Smith (AFR) – 32.020

06: Owen Wright (AUS) – 29.905

07: Wade Carmichael (AUS) – 27.930

08: Mikey Wright (AUS) – 27.275

09: Conner Coffin (EUA) – 27.145

10: Kolohe Andino (EUA) – 26.355

11: Willian Cardoso (BRA) – 25.945

12: Kanoa Igarashi (JPN) – 24.950

13: Michel Bourez (TAH) – 24.790

14: Michael Rodrigues (BRA) – 23.970

15: Adriano de Souza (BRA) – 22.925

16: Sebastian Zietz (HAV) – 22.525

17: Jeremy Flores (FRA) – 22.030

17: Griffin Colapinto (EUA) – 22.030

19: Adrian Buchan (AUS) – 20.665

20: Ezekiel Lau (HAV) – 19.540

21: Yago Dora (BRA) – 18.400

22: Frederico Morais (PRT) – 16.365

——–outros brasileiros:

24: Tomas Hermes (BRA) – 14.425 pontos

30: Ian Gouveia (BRA) – 10.975

30: Jessé Mendes (BRA) – 10.975

35: Miguel Pupo (BRA) – 8.510

38: Wiggolly Dantas (BRA) – 5.835

39: Caio Ibelli (BRA) – 3.780

40: Alejo Muniz (BRA) – 1.665

44: Deivid Silva (BRA) – 420