Gabriel Medina aproveita folga no IGM

Gabriel Medina no IGM. Foto Aleko_Stergiou

Gabriel Medina aproveita folga no Brasil para treinar e acompanhar os trabalhos no IGM

Publicidade

 Depois da nova vitória no Surf Ranch, nos Estados Unidos, e na sequência ter feito uma viagem para Puerto Escondido no México, com seu patrocinador principal, a Rip Curl, Gabriel Medina aproveitou a rápida folga “em casa” para treinar duro e acompanhar os trabalhos no Instituto Gabriel Medina (IGM). O atleta passou alguns dias em Maresias, antes de já embarcar para um novo compromisso, o QS 10000 em Portugal, e recarregou as energias ao ver a garotada levando a sério o sonho que ele tornou realidade com o Centro de alto rendimento para novos valores do surf.

Demonstrou total interesse no cotidiano do IGM, treinou com o preparador físico Allan Menache, sempre ao lado dos novos talentos, e interagiu muito, conversando, querendo saber mais dos treinos e até mesmo ajudando em atividades. Aproveitou até para assistir uma aula de inglês, que é realizada com os atletas pela Wizard Litoral Norte no próprio IGM, como parte dos benefícios oferecidos.

“Legal né? A molecada está esperta! Gostei de ver. Quando quis criar o IGM, a ideia foi oferecer uma estrutura que eu não tive na idade deles, quando estava começando. E vejo que deu certo, que está muito legal e tem muito mais, como o inglês, tão importante para o futuro deles, atendimento médico, odontológico, psicológico, de fisioterapia. Eles ganham pranchas, tem tudo certinho. Fico feliz”, comentou Gabriel.

Demonstrando felicidade e tranquilidade, Gabriel também visitou o espaço onde está o seu acervo de títulos e que acaba de receber os dois novos troféus das vitorias seguidas no WCT, em Teahupoo, no Tahiti, e do Surf Ranch, na Califórnia. Tanto a onda taitiana quanto o trator da piscina de ondas de Kelly Slater já eram conhecidos do IGM, com as conquistas anteriores e valorizaram ainda mais a sala.

De quebra, aproveitou para deixar no IGM as pranchas usadas nas duas vitórias recentes, ampliando ainda mais a coleção. São troféus e pranchas desde a época que era amador, quando tinha a idade e competia nos mesmos eventos dos jovens que atende hoje, até as disputas profissionais, do QS e os 11 da elite mundial, além do histórico título de 2014, o primeiro de um brasileiro, e também do pro júnior e do vice no ano passado.

INSPIRAÇÃO – O diretor do IGM, Márcio Yagui, destacou a importância dessa interação do ídolo com os jovens atletas. “Ele serve de inspiração para a garotada. Quem não quer treinar tendo o Gabriel ao seu lado? É um grande incentivo”, comentou. “O Gabriel quis acompanhar tudo de perto e sempre demonstra grande interesse em saber se está dando tudo certo, quer colaborar para melhorar. Isso é muito importante, porque ninguém melhor do que ele para avaliar e sugerir melhorias e avanços”, destacou Yagui.

Ele também lembrou que Charles Rodrigues Saldanha faz questão de acompanhar as atividades do IGM, quando não está nas etapas do WCT com Gabriel. “O Charlão participa de todas as decisões, sempre está pronto a ajudar e esse apoio nos ajuda muito, por toda a sua vivência que acumulou com o Gabriel nesses anos todos de competições. Afinal, esse sonho do IGM foi construído em família, com participação direta do Gabriel, do Charles e da Simone”, complementou Márcio, também enaltecendo a presidente da instituição, Simone Medina.

HISTÓRIA – O Instituto Gabriel Medina (IGM) tem como foco a preparação de novos valores da modalidade, usando o exemplo do ídolo. Criar campeões nas ondas que estejam preparados para o futuro, sejam como competidores ou profissionais atuando no esporte. A ideia do IGM surgiu antes mesmo da conquista do inédito título mundial, como retribuição do que o surf lhe deu na vida.

As atividades foram iniciadas no dia 1º de fevereiro de 2017, na sede construída com recursos próprios, na Praia de Maresias, em São Sebastião, exatamente onde Gabriel Medina aprendeu a surfar. A estrutura foi criada com recursos próprios de Gabriel Medina e hoje o projeto é custeado através da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE), do Ministério do Esporte.

Apesar do pouco tempo de atividade, o IGM já se tornou referência no Brasil e até no exterior como centro de preparação de alto rendimento para jovens talentos do surf. Os participantes são selecionados no Circuito Medina de Surf e a Instituição oferece, de forma gratuita, a mesma estrutura que hoje Gabriel Medina conta na parte técnica, física e médica, além de garantir aos atletas aulas de idiomas, já visando as trajetórias futuras.

São atendidos atletas dos 10 aos 17 anos, que também recebem alimentação, equipamentos para a prática do surf, como pranchas e roupas de borracha, custeio de viagens para competição, além de outros benefícios como treinamentos de natação e de apneia, apoio psicológico e tratamentos fisioterápico e odontológico.

As únicas exigências são a frequência nos treinos e na escola (no contraturno). A família acredita que o esporte é uma ferramenta social importante, pois exige disciplina, fundamental na educação e mesmo em qualquer carreira que sigam.

RESULTADOS – Com menos de dois anos de atividades, os resultados já são apresentados. No Rip Curl Grom Search 2018, um dos principais circuitos de base do surf brasileiro e realizado em vários países, o IGM mostrou a sua força e que o trabalho está sendo bem feito. Foram três dos quatro títulos gerais do Circuito e três vitórias na etapa, com 10 atletas do projeto entre os 16 finalistas na etapa decisiva.

Sophia Medina faturou na feminina sub16 e garantiu a vaga para a final mundial do evento em 2019; Caio Costa foi o campeão da sub14 e ainda o terceiro na categoria acima, a sub16, e completando a festa, Guilherme Fernandes levou na sub12, com 100% de aproveitamento. Outro grande demonstrativo foi no CBSurf Júnior Tour, com a classificação de três de seus atletas – Leo Barcelos, Júlia Duarte e novamente Sophia Medina para o ISA World Junior Surfing Games, no final de outubro, em Huntington Beach, na Califórnia/EUA.

Fábio Maradei
Foto Aleko Stergiou