Filipe Toledo quer os melhores tubos de Teahupoo na sétima etapa do Tour

Líder do ranking, Filipe Toledo quer ‘entubar fundo’ nas poderosas ondas de Teahupoo na sétima etapa do Tour

SURFISTA TEM 2 VITÓRIAS NA TEMPORADA E QUER MANTER A LYCRA AMARELA NO TAHITI

Publicidade

Líder do ranking, o brasileiro Filipe Toledo quer ‘entubar fundo’ nas poderosas ondas de Teahupoo, para garantir mais um ótimo resultado na temporada. O Tahiti Pro Teahupoo vale pela sétima etapa do World Surf League (WSL) Men’s Championship Tour, a elite do surf mundial, e começa no dia 10 de agosto. Filipinho compete querendo mudar a sua história nessa disputa e, claro, manter a lycra amarela, destinada ao melhor da temporada.

“Não quero pensar em mais um resultado ruim. Tenho me preparado fisicamente para competir bem”, afirma o atleta, que encara o evento como um desafio pessoal. “Ainda mais por estar brigando pelo título esse ano e agora com a camisa amarela”, destaca Filipe, que descarta um peso maior por chegar como o atual número 1. “Não penso nisso, só quero fazer o que mais amo e da melhor forma possível”.

Desde que entrou para a elite mundial, Filipe competiu quatro vezes em Teahupoo. Em três edições parou na 25ª posição – na estreia em 2013, eliminado por Miguel Pupo; em 2016, superado por Jadson André; e no ano passado, quando o australiano Ethan Ewing levou a melhor. Já em 2014, ficou de fora, por uma lesão no tornozelo.

Seu melhor resultado foi em 2015, com o nono lugar, mas naquela mesma disputa, acabou prejudicado por uma inflamação no cotovelo, que o impediu de tentar brigar para avançar à semifinal. Foi até as quartas e na bateria vencida por Italo Ferreira, mas não conseguiu surfar, porque a dor era intensa e o impedia de colocar pressão no braço para levantar na prancha.

Depois da nova vitória no Corona Open J-Bay, o bicampeonato na África do Sul, Filipinho está “recarregando as baterias”, junto com a família, sobretudo perto dos filhos Mahina, que completará dois anos em outubro, e Koa, de apenas dois meses. Animado, ele resume o caminho para garantir um bom resultado em Teahupoo: “Entubar fundo! Esse é o ponto chave”.

A confiança é sedimentada pela regularidade em 2018 e por todo o planejamento, que conta com seu pai e técnico, Ricardo Toledo, e preparação física, feita pelo coach e preparador físico de alta performance, Eduardo Takeuchi. Foram duas vitórias, três quintos lugares e apenas uma 13ª posição. “Na questão do treinamento já está tudo mentalizado desde o início do ano, mas procuro pensar nas etapas, uma de cada vez”, explica o atleta patrocinado por Hurley, Oi, Monster Energy, Nike, Oakley, GoPro, Sun Bum, SmoothStar, Stance, pranchas Sharp Eye e FCS.

“Acho que está acontecendo como deveria. Para ser campeão mundial, você não pode ter resultados acima do quinto, ainda mais este ano que mudaram as pontuações”, comenta. “Quero seguir com excelentes resultados e, quem sabe, já definir em Portugal como o John Jonh (Florence) no primeiro título dele”, revela Filipe Toledo.

RESULTADOS DE FILIPE TOLEDO NO CIRCUITO MUNDIAL 2018

1ª etapa – Quiksilver Pro Gold Coast (Austrália) – 5º lugar

2ª etapa – Rip Curl Pro Bells Beach (Austrália) – 13º lugar

3ª etapa – Oi Rio Pro (Brasil) – CAMPEÃO

4ª etapa – Corona Bali Protected (Indonésia) – 5º lugar

5ª etapa – Uluwatu CT (Indonésia) – 5º lugar

6ª etapa – Corona Open J-Bay (África do Sul) – CAMPEÃO

FOTOS DIVULGAÇÃO: WSL

FMA Notícias

Galeria de Imagens