Filipe Toledo e Alex Ribeiro já estão nas quartas de final em Trestles

Gabriel Medina surfing during Heat 7 of Round Three at The Hurley Pro Trestles

By João Carvalho

O paulista Filipe Toledo comandou o show nas boas ondas de 4-6 pés do sábado em Lower Trestles, aumentando para 18,97 o recorde de pontos do Hurley Pro na primeira classificação brasileira para as quartas de final da etapa norte-americana do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour em San Clemente, na Califórnia. A outra foi conquistada por uma das surpresas do dia, Alex Ribeiro, com Jadson André podendo ser o terceiro no duelo com Joel Parkinson na quinta fase. Já a batalha pela liderança do ranking acabou na primeira rodada do dia, com as surpreendentes derrotas do número 1, John John Florence, para Brett Simpson e de Gabriel Medina para o outro convidado desta etapa, Tanner Gudauskas.

O californiano Brett Simpson não deu qualquer chance para o havaiano, vencendo fácil por 15,16 a 8,74 pontos. Já a bateria de Medina com o local de Trestles foi adrenalizante e ele começou bem, fazendo quatro manobras abrindo grandes leques de água numa boa direita, para largar na frente com nota 8,83. O americano logo respondeu com 8,67 recebido pelas três manobras também de backside, com a última explodindo uma junção cavernosa.

Publicidade

A batalha onda a onda continuou em outra série, com Medina novamente pegando a da frente, que rendeu nota 7,60 com duas batidas fortes e um 360 na finalização. A do Gudauskas abre mais a parede para ele fazer cinco manobras e assumir a ponta com nota 8,40. Com ela, abriu 8,34 pontos de vantagem sobre o brasileiro. Nos dez minutos finais, o campeão mundial pega uma direita que se transformou numa das mais longas do dia. Ele sai variando uma série de sete batidas e rasgadas até o fim da onda, buscando os 8,34 que precisava.

Mas, a média matemática das notas 8,50+8,20+8,20 de três dos cinco juízes, pois os que deram a maior (8,80) e a menor (7,80) são cortados do resultado, ficou em 8,30, faltando 4 décimos para liderar a bateria. Medina mostrou insatisfação pela nota e não entrou mais ondas boas para ele ter outra oportunidade de tentar a vitória. Tanner ainda surfou mais uma no final e repetiu o ataque de três manobras fortes para ganhar outro 8,67 e selar a classificação por 17,34 a 17,13 pontos.

Com isso, a disputa pela liderança do ranking em Trestles ficou congelada na terceira fase. John John manteve a lycra amarela do Jeep WSL Leader, com 4.200 pontos de vantagem sobre Gabriel Medina, que ganhou a segunda posição do australiano Matt Wilkinson. Os três vão continuar a batalha pelo título mundial na próxima etapa, o Quiksilver Pro France de 4 a 15 de outubro em Hossegor, com Jordy Smith e Kelly Slater também podendo entrar na briga pela ponta na França com um bom resultado em Trestles.

Filipe Toledo (Foto: Sean Rowland - WSL)
Filipe Toledo (Foto: Sean Rowland – WSL)

MELHOR DO DIA – Tanner Gudauskas venceu outra bateria para passar para as quartas de final, logo após Filipe Toledo estabelecer um novo recorde de 18,97 pontos de 20 possíveis para o Hurley Pro at Trestles. Em sua primeira atuação no sábado, Filipe já havia feito a maior pontuação da terceira fase – 18,10 – no duelo brasileiro com Caio Ibelli. Com uma impressionante variedade de manobras modernas e progressivas, sem nem precisar usar os aéreos que são sua arma mortal para aumentar notas, Filipe derrotou os norte-americanos Kolohe Andino e Brett Simpson somando 9,20 com 9,77 na segunda batalha por vagas para as quartas de final.

“Eu tenho observado os movimentos de alguns surfistas aqui, que estão fazendo grandes aéreos, grandes curvas, surfando com velocidade, então procurei fazer isso também”, disse Filipe Toledo. “As ondas estão bem divertidas, perfeitas para todo tipo de manobras e só tentei fazer o meu melhor. Estou muito feliz em passar direto para as quartas de final e quero agradecer toda a galera que tava torcendo e a Deus também por mais uma oportunidade de conseguir um bom resultado e por todas as bênçãos na minha vida”.

SURPRESA BRASILEIRA – Os outros dois que também já passaram para as quartas de final foram o sul-africano Jordy Smith e o estreante do Brasil na elite do CT, Alex Ribeiro, que está conseguindo finalmente mostrar o seu potencial para os melhores surfistas do mundo nas ondas de Lower Trestles. Ele já havia eliminado o número 5 do ranking, Julian Wilson, na sexta-feira, agora barrou o quarto colocado e também australiano, Adrian Buchan, com nota 9,0 em sua última onda. Ela confirmou a vitória por 15,47 a 14,70 pontos nesta bateria que fechou a terceira fase.

Alex Ribeiro (Foto: Sean Rowland - WSL)
Alex Ribeiro (Foto: Sean Rowland – WSL)

O paulista da Praia Grande voltou a competir no último confronto do sábado junto com Jadson André, que venceu o duelo potiguar com Italo Ferreira por uma pequena diferença de 13,84 a 13,66 pontos e já ingressou no grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34. Alex começou bem com nota 7,73 e liderou a disputa pela última vaga direta para as quartas de final, garantindo a vitória com o 6,83 da sua última onda. Jadson surfou uma boa só no final que valeu 7,87 e ficou em segundo, com o australiano Josh Kerr em último.

“Eu mantive meu foco e apenas acreditei no meu surfe”, disse Alex Ribeiro. “Eu já estava muito feliz por vencer o Ace (Adrian Buchan), que é facilmente um dos melhores surfistas do mundo, então agora muito mais ainda, pois é incrível estar nas quartas de final. Isso é tudo que eu venho buscando e estou muito animado para continuar neste ritmo nos próximos dias. Essa onda aqui se parece com a da minha casa (Praia Grande-SP) e estou me sentindo bem confortável para fazer as manobras. Espero que continue dando tudo certo não só aqui, como nos próximos eventos também”.

DOMINGO DE FOLGA – Neste domingo não haverá competição em Lower Trestles e a próxima reunião da comissão técnica será as 7h30 da segunda-feira na Califórnia, 11h30 no fuso de Brasília. As baterias só podem começar as 8h00 e o taitiano Michel Bourez e o californiano Brett Simpson estão na primeira repescagem para as quartas de final. Na segunda, sai o adversário de Filipe Toledo, que pode ser Kelly Slater, ou Kolohe Andino. Os australianos Josh Kerr e Stu Kennedy entram na terceira e Jadson André e Joel Parkinson vão disputar a vaga para a bateria de Alex Ribeiro na última quarta de final.

O Hurley Pro e Swatch Women´s Pro estão sendo transmitidos ao vivo de Lower Trestles pelo www.worldsurfleague.comcom divulgação também dos parceiros de mídia da World Surf League: ESPN, Globosat e Sportv no Brasil, Fox Sports da Austrália, CBS Sports dos Estados Unidos, Edgesport, Sky NZ, Canal + Deportes, Channel Nine, MCS, Starhub e Oceanic Time Warner Cable 250 & 1250 no Havaí.

Jadson Andre (Foto: Sean Rowland - WSL)
Jadson Andre (Foto: Sean Rowland – WSL)

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

QUARTAS DE FINAL DO HURLEY PRO at TRESTELS:

1.a: Jordy Smith (AFR) x vencedor da 1.a bateria da Quinta Fase

2.a: Filipe Toledo (BRA) x vencedor da 2.a bateria da Quinta Fase

3.a: Tanner Gudauskas (EUA) x vencedor da 3.a bateria da Quinta Fase

4.a: Alex Ribeiro (BRA) x vencedor da 4.a bateria da Quinta Fase

QUINTA FASE – Vitória=Quartas de Final / Derrota=9.o lugar com US$ 12.750 e 4.000 pontos:

1.a: Michel Bourez (TAH) x Brett Simpson (EUA)

2.a: Kelly Slater (EUA) x Kolohe Andino (EUA)

3.a: Josh Kerr (AUS) x Stu Kennedy (AUS)

4.a: Joel Parkinson (AUS) x Jadson André (BRA)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: 1-Jordy Smith (AFR)=18.50, 2-Michel Bourez (TAH)=14.50, 3-Kelly Slater (EUA)=13.16

2.a: 1-Filipe Toledo (BRA)=18.97, 2-Kolohe Andino (EUA)=15.60, 3-Brett Simpson (EUA)=14.14

3.a: 1-Tanner Gudauskas (EUA)=14.84, 2-Stu Kennedy (AUS)=13.67, 3-Joel Parkinson (AUS)=10.90

4.a: 1-Alex Ribeiro (BRA)=14.56, 2-Jadson André (BRA)=12.80, 3-Josh Kerr (AUS)=11.26

TERCEIRA FASE – Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio:

1.a: Jordy Smith (AFR) 10.27 x 9.83 Kai Otton (AUS)

2.a: Michel Bourez (TAH) 12.83 x 11.17 Miguel Pupo (BRA)

3.a: Kelly Slater (EUA) 16.27 x 9.34 Jack Freestone (AUS)

4.a: Kolohe Andino (EUA) 15.70 x 10.50 Conner Coffin (EUA)

5.a: Filipe Toledo (BRA) 18.10 x 10.40 Caio Ibelli (BRA)

6.a: Brett Simpson (EUA) 15.16 x 8.74 John John Florence (HAV)

7.a: Tanner Gudauskas (EUA) 17.34 x 17.13 Gabriel Medina (BRA)

8.a: Joel Parkinson (AUS) 16.23 x 13.00 Wiggolly Dantas (BRA)

9.a: Stu Kennedy (AUS) 16.37 x 13.94 Mick Fanning (AUS)

10: Jadson André (BRA) 13.84 x 13.66 Italo Ferreira (BRA)

11: Josh Kerr (AUS) 15.16 x 9.67 Kanoa Igarashi (EUA)

12: Alex Ribeiro (BRA) 15.47 x 14.70 Adrian Buchan (AUS)

QUARTAS DE FINAL DO SWATCH WOMEN´S PRO:

1.a: Johanne Defay (FRA) x vencedora da 1.a bateria da Quarta Fase

2.a: Tyler Wright (AUS) x vencedora da 2.a bateria da Quarta Fase

3.a: Nikki Van Dijk (AUS) x vencedora da 3.a bateria da Quarta Fase

4.a: Carissa Moore (HAV) x vencedora da 4.a bateria da Quarta Fase

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / Derrota=9.o lugar com 3.300 pontos e US$ 10.500:

1.a: Tatiana Weston-Webb (HAV) x Sage Erickson (EUA)

2.a: Laura Enever (AUS) x Coco Ho (HAV)

3.a: Malia Manuel (HAV) x Keely Andrew (AUS)

4.a: Courtney Conlogue (EUA) x Stephanie Gilmore (AUS)