Doze brasileiros e uma peruana se classificam em Sydney

Silvana Lima Progresses at the 2018 Vissla Sydney Surf Pro in Manly
Silvana Lima (Foto: Tom Bennett – WSL)
By João Carvalho

Os brasileiros seguem com maioria entre os concorrentes ao título do QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro na Austrália. Dos dezessete que competiram na quinta-feira de ondas de 3 pés em Manly Beach, onze passaram para a rodada dos 24 surfistas que vão disputar classificação para as oitavas de final, assim como a cearense Silvana Lima e a peruana Melanie Giunta na categoria feminina. Silvana foi um dos destaques do quarto dia, ao massacrar uma boa onda para receber uma das maiores notas do campeonato, 9,40. Na quinta-feira, as meninas abriram o dia e depois os homens também disputaram a última rodada de confrontos formados por quatro competidores em Sydney.

Silvana Lima (Foto: Tom Bennett – WSL)

“Quando eu peguei aquela onda, eu sabia que teria grandes seções para manobrar”, disse Silvana Lima. “Eu fiz a primeira manobra e quis ir forte novamente pra segunda, então pensei: por que não? Quando eu cheguei na junção e acertei a manobra forte, já sabia que seria uma nota alta (9,40). A competição aqui está muito forte e esse é o tipo de surfe que se espera que façamos para obter notas maiores”.

Publicidade

A bateria da estrela brasileira do CT foi a sexta a entrar no mar na manhã da quinta-feira em Manly Beach. A cearense começou com uma nota 6,00 e a primeira da neozelandesa Ella Williams foi melhor, valeu 7,67. Mas, Silvana assumiu o controle com o 6,67 que recebeu em sua terceira apresentação. Depois, sacramentou a vitória destruindo uma onda com manobras potentes executadas nas partes mais críticas para ganhar nota 9,40 dos juízes, a maior do QS 6000 Sydney Women´s Surf Pro até ali.

Antes da brasileira, as outras duas sul-americanas que estavam na terceira fase, já haviam competido. A peruana Melanie Giunta entrou na terceira bateria do dia e surfou bem para despachar a espanhola Garazi Sanchez-Ortun e a australiana Sophia Chapman, mas foi por pouco. Melanie superou a espanhola por uma pequena vantagem de 12,17 a 12,03 pontos e a norte-americana do CT, Sage Erickson, passou em primeiro com 16,46. Já a equatoriana Dominic Barona foi barrada pela havaiana Malia Manuel e pela australiana Kirra-Belle Olsson em sua estreia no QS 6000 de Sydney.

A peruana Melanie Giunta vai disputar a sexta bateria classificatória para as oitavas de final do QS 6000 Sydney Women´s Surf Pro com duas havaianas, Bailey Nagy e a top do CT, Malia Manuel. A brasileira Silvana Lima entra como favorita no confronto seguinte, contra a australiana Mikaela Greene e a norte-americana Alyssa Spencer. Já na categoria masculina, o enorme contingente de onze surfistas formou duas baterias 100% verde-amarelas que garantem quatro classificados para as oitavas de final do QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro.

Miguel Pupo (Foto: Ethan Smith – WSL)

CONFRONTOS BRASILEIROS – O primeiro confronto brasileiro será na quarta bateria, com o cearense Michael Rodrigues, o catarinense Alejo Muniz e o paulista Alex Ribeiro, disputando duas vagas para as oitavas de final. Na bateria seguinte, a briga será entre o pernambucano Ian Gouveia, o paulista Deivid Silva que tirou uma das maiores notas do campeonato na quinta-feira – 9,73 – e o baiano Bino Lopes.

Na segunda bateria, dois brasileiros que perderam suas vagas na elite do CT no ano passado, o potiguar Jadson André e o paulista Miguel Pupo, enfrentam o sul-africano Beyrick De Vries. Os outros três estão sozinhos com surfistas de outros países. O catarinense Mateus Herdy está na primeira bateria com dois australianos, Reef Heazlewood e o líder do QS, Mikey Wright. O paulista Wiggolly Dantas entra na terceira com o havaiano Keanu Asing e o americano Griffin Colapinto. E o paranaense Peterson Crisanto na sétima com o francês Maxime Huscenot e o australiano Shane Campbell.

BRASILEIROS EM AÇÃO – Após o encerramento da terceira fase feminina, começou a terceira rodada masculina com o paulista Miguel Pupo garantindo a primeira classificação brasileira na segunda bateria. Ele enfrentou os números 1 e 3 do ranking que dominaram a bateria, mas Pupo reagiu no final e com notas 6,27 e 7,67 nas ondas surfadas nos últimos minutos, superou o terceiro colocado, Evan Geiselman, por 13,94 a 12,03 pontos. O australiano Mikey Wright venceu por 14,13 e segue defendendo a liderança do QS 2018 em Sydney.

Na disputa seguinte, aconteceu a primeira participação tripla do Brasil e o potiguar Jadson André também confirmou a vitória em sua última onda, que valeu nota 8,0. Com ela, totalizou 15,60 pontos contra 15,43 do jovem catarinense Mateus Herdy, que liderou todo o confronto. O carioca Lucas Silveira acabou eliminado em terceiro lugar, junto com o número 4 do ranking, Matthew McGillivray, da África do Sul.

Jadson Andre (Foto: Ethan Smith – WSL)

Na quarta bateria entraram dois brasileiros e só o catarinense Alejo Muniz se classificou na disputa vencida pelo havaiano Keanu Asing, com o capixaba Rafael Teixeira ficando em último. No confronto seguinte, o norte-americano Griffin Colapinto surfou as melhores ondas para fazer o maior placar do dia – 17,50 – com notas 9,00 e 8,50. Tinha que ser assim para derrotar os três brasileiros que enfrentou, um deles o recordista absoluto do QS 6000 Vissla Sydney Surf Pro, o cearense Michael Rodrigues, que passou em segundo lugar superando por pouco – 12,53 a 12,37 – o paulista Samuel Pupo. Em quarto ficou o carioca Raoni Monteiro com 11,27.

Em quase todas as baterias tinha algum brasileiro disputando vagas para a rodada classificatória para as oitavas de final. Na sexta dessa terceira fase, os paulistas Alex Ribeiro e Wiggolly Dantas despacharam dois australianos numa tacada só, Soli Bailey e Jackson Baker. Na melhor onda, Alex Ribeiro ganhou nota 9,23 para vencer a bateria. No confronto seguinte, o baiano Bino Lopes bateu mais dois australianos, mas Dion Atkinson passou em segundo, enquanto Jack Freestone ficou em último, eliminado junto com o indonesiano Oney Anwar.

Também competindo sozinho contra três surfistas de outros países, o pernambucano Ian Gouveia da elite do CT, derrotou o taitiano Mihimana Braye, o neozelandês Ricardo Christie e o francês Jorgann Couzinet. E na sequência, aconteceu outra bateria com participação tripla do Brasil que foi vencida pelo único estrangeiro. Apesar de ter conseguido uma das maiores notas do campeonato (9,73), o paulista Deivid Silva ainda foi superado pelo italiano Leonardo Fioravanti por 16,27 a 16,03 pontos. Eles barraram dois catarinenses que vão estrear na elite do CT este ano, Willian Cardoso e Tomas Hermes.

E para fechar a ótima participação brasileira na quinta-feira em Manly Beach, o paranaense Peterson Crisanto ganhou a décima bateria, contra o havaiano Joshua Moniz, o australiano Mitchell Parkinson e o norte-americano Jake Marshall. Ainda tinha o peruano Miguel Tudela na última bateria do dia, mas ele não conseguiu achar boas ondas e terminou em quarto lugar na dobradinha australiana de Matt Banting com Shane Campbell. Além do peruano, o português Frederico Morais também foi eliminado nesta bateria que fechou a terceira fase.

Acompanhe a transmissão ao vivo das etapas do QS 6000 masculina e feminina do Vissla Sydney Surf Pro ao vivo de Sydney na Austrália pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

QUARTA FASE DO QS 6000 VISSLA SYDNEY SURF PRO:

———–1.o e 2.o=Oitavas de Final e 3.o=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Mikey Wright (AUS), Reef Heazlewood (AUS), Mateus Herdy (BRA)

2.a: Miguel Pupo (BRA)Jadson André (BRA), Beyrick De Vries (AFR)

3.a: Wiggolly Dantas (BRA), Griffin Colapinto (EUA), Keanu Asing (HAV)

4.a: Michael Rodrigues (BRA)Alejo Muniz (BRA)Alex Ribeiro (BRA)

5.a: Ian Gouveia (BRA)Bino Lopes (BRA)Deivid Silva (BRA)

6.a: Leonardo Fioravanti (ITA), Dion Atkinson (AUS), Mihimana Braye (TAH)

7.a: Maxime Huscenot (FRA), Shane Campbell (AUS), Peterson Crisanto (BRA)

8.a: Stu Kennedy (AUS), Joshua Moniz (HAV), Matt Banting (AUS)

QUARTA FASE DO QS 6000 SYDNEY WOMEN´S SURF PRO:

———–1.a e 2.a=Oitavas de Final e 3.a=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 750 de prêmio:

1.a: Tatiana Weston-Webb (HAV), Macy Callaghan (AUS), Zoe McDougall (HAV)

2.a: Keely Andrew (AUS), Teresa Bonvalot (PRT), India Robinson (AUS)

3.a: Nikki Van Dijk (AUS), Bianca Buitendag (AFR), Holly Wawn (AUS)

4.a: Coco Ho (HAV), Bronte Macaulay (AUS), Kirra Pinkerton (EUA)

5.a: Sage Erickson (EUA), Caroline Marks (EUA), Kirra-Belle Olsson (AUS)

6.a: Malia Manuel (HAV), Bailey Nagy (HAV), Melanie Giunta (PER)

7.a: Silvana Lima (BRA), Mikaela Greene (AUS), Alyssa Spencer (EUA)

8.a: Johanne Defay (FRA), Paige Hareb (NZL), Ella Williams (NZL)

RESULTADOS DAS SUL-AMERICANAS NA TERCEIRA FASE NA QUINTA-FEIRA:

———–3.a=25.o lugar (US$ 500 e 700 pontos) e 4.a=37.o lugar (US$ 250 e 650 pontos):

7.a: 1-Sage Erickson (EUA), 2-Melanie Giunta (PER), 3-Garazi Sanchez Ortun (ESP), 4-Sophia Chapman (AUS)

9.a: 1-Malia Manuel (HAV), 2-Kirra-Belle Olsson (AUS), 3-Dominic Barona (EQU), 4-Stephanie Single (AUS)

10: 1-Silvana Lima (BRA), 2-Ella Williams (NZL), 3-Mahina Maeda (HAV), 4-Claire Bevilacqua (AUS)

RESULTADOS DA TERCEIRA FASE DO QS 6000 VISSLA SYDNEY SURF PRO NA QUINTA-FEIRA:

——–3.o=25.o lugar (US$ 1.300 e 700 pontos) e 4.o=37.o lugar (US$ 1.200 e 650 pontos)

1.a: 1-Reef Heazlewood (AUS), 2-Beyrick De Vries (AFR), 3-Mitch Crews (AUS), 4-Hiroto Ohhara (JPN)

2.a: 1-Mikey Wright (AUS), 2-Miguel Pupo (BRA), 3-Evan Geiselman (EUA), 4-Seth Moniz (HAV)

3.a: 1-Jadson André (BRA)2-Mateus Herdy (BRA)3-Lucas Silveira (BRA), 4-Matthew McGillivray (AFR)

4.a: 1-Keanu Asing (HAV), 2-Alejo Muniz (BRA), 3-Marc Lacomare (FRA), 4-Rafael Teixeira (BRA)

5.a: 1-Griffin Colapinto (EUA), 2-Michael Rodrigues (BRA)3-Samuel Pupo (BRA)4-Raoni Monteiro (BRA)

6.a: 1-Alex Ribeiro (BRA)2-Wiggolly Dantas (BRA), 3-Soli Bailey (AUS), 4-Jackson Baker (AUS)

7.a: 1-Bino Lopes (BRA), 2-Dion Atkinson (AUS), 3-Oney Anwar (IDN), 4-Jack Freestone (AUS)

8.a: 1-Ian Gouveia (BRA), 2-Mihimana Braye (TAH), 3-Ricardo Christie (NZL), 4-Jorgann Couzinet (FRA)

9.a: 1-Leonardo Fioravanti (ITA), 2-Deivid Silva (BRA)3-Willian Cardoso (BRA)4-Tomas Hermes (BRA)

10: 1-Peterson Crisanto (BRA), 2-Joshua Moniz (HAV), 3-Mitchell Parkinson (AUS), 4-Jake Marshall (EUA)

11: 1-Maxime Huscenot (FRA), 2-Stu Kennedy (AUS), 3-Quinn Bruce (AUS), 4-Michael February (AFR)

12: 1-Matt Banting (AUS), 2-Shane Campbell (AUS), 3-Frederico Morais (PRT), 4-Miguel Tudela (PER)