Começa a disputa do título mundial de Longboard em Taiwan

Phil Rajzman at the 2018 World Longboard Championship
Phil Rajzman (Foto: @WSL / Tim Hain)
By João Carvalho

O Taiwan Open of Surfing deu a largada na disputa pelo título mundial de Longboard masculino de 2018 da World Surf League na segunda-feira, que amanheceu com séries limpas de 4-5 pés em Jinzun Harbour, em Taitung. No entanto, entrou um vento muito forte ainda pela manhã acabando com a boa formação das ondas e a competição foi paralisada logo após os cariocas Phil Rajzman e Eduardo Bagé estrearem com vitórias na Ilha Taiwan. Ela só retornou 4 horas depois, para realizar mais quatro baterias apenas, faltando cinco para fechar a primeira fase. Elas ficaram para abrir a terça-feira, com a primeira chamada do dia marcada para as 7h30 em Taiwan, 20h30 da segunda-feira no horário de verão do Brasil.O bicampeão mundial Phil Rajzman foi finalista no Taiwan Open of Surfing do ano passado, quando o título da temporada foi decidido em duas etapas. Ele perdeu a bateria final para o francês Edouard Delpero e terminou em quarto lugar no ranking mundial de 2017, depois de conquistar seu segundo título em 2016. Desta vez, os títulos masculino e feminino voltam a ser definidos em um evento único e a estreia das meninas em Taiwan foi adiada no primeiro dia.

Phil entrou no mar na hora que o vento apertou, deteriorando a qualidade das ondas em Jinzun Harbour. Ele teve que trabalhar bastante para achar algumas com paredes para mostrar a sua combinação das manobras clássicas dos pranchões, com batidas e rasgadas. O carioca conseguiu somar apenas 11,36 pontos nas duas notas computadas, que foram suficientes para derrotar os havaianos Scotty Fong Junior e Duane Desoto e avançar direto para a terceira fase.

Publicidade

“O vento realmente entrou forte no início da bateria e mudou tudo”, lamentou Phil Rajzman. “No começo do dia, as ondas estavam boas, limpas, então tive que mudar um pouco as coisas, mas continuei com a mesma estratégia. Eu já estou aqui há alguns dias, então estou mais acostumado com este pico e como as condições do mar mudam a cada momento. É sempre difícil competir contra dois havaianos em ondas assim, maiores, pois eles são muito bons nestas condições. Mas, eu foquei em escolher as melhores ondas e isso me deu a vitória”.

Quando a bateria de Phil Rajzman começou, o também carioca Eduardo Bagé estava saindo do mar com a primeira vitória brasileira no segundo confronto do dia. Foi, também, uma disputa fraca de ondas, mas ele teve mais trabalho para vencer com um placar mais apertado, de 12,97 a 11,47 pontos sobre o australiano bicampeão mundial, Harley Ingleby. O havaiano Makamae Desoto ficou em último com 4,90, mas os dois perdedores nas baterias desta rodada inicial, têm outra chance de avançar para a terceira fase na repescagem.

TARDE DE DERROTAS – À tarde, depois que o vento acalmou, as ondas voltaram a apresentar boa formação em Jinzun Harbour e os recordes do dia foram registrados nas baterias que fecharam a segunda-feira. Na penúltima, o defensor do título mundial e três vezes campeão, Taylor Jensen, dos Estados Unidos, atingiu 15,17 pontos nas duas notas computadas. E na última, o francês Antoine Delpero, irmão do vencedor da etapa de Taiwan na final do ano passado com Phil Rajzman, Edouard Delpero, aumentou esta marca para exatos 16,00 pontos.

Mais dois brasileiros competiram durante a tarde, porém ambos foram derrotados e terão que encarar a repescagem. Wenderson Biludo perdeu para o próprio Edouard Delpero por 13,84 a 10,63 pontos, enquanto Jefson Silva ficou em último na bateria que o irmão dele, Antoine Delpero, fez os recordes do dia, nota 8,83 e 16,00 pontos.

Outro ainda vai estrear, Rodrigo Sphaier, que foi escalado na penúltima bateria da primeira fase. Na última, está o peruano Piccolo Clemente, que assim como Phil Rajzman, já tem dois títulos mundiais de Longboard no currículo. E neste ano tem uma novidade na equipe sul-americana no Mundial de Longboard, com a primeira participação de um uruguaio, Julian Schweizer, na bateria que ficou para abrir a terça-feira na Ilha Taiwan.

CATEGORIA FEMININA – As meninas também podem estrear nesta terça-feira no Taiwan Open of Surfing. Vice-campeã mundial em 2017, a carioca Chloe Calmon é uma das favoritas ao título mais uma vez. Ela está escalada na quarta bateria com duas norte-americanas, Soleil Errico e Avalon Gall. A outra representante da América do Sul no Mundial de Longboard da World Surf League também é brasileira, a pernambucana Atalanta Batista, que vai disputar a segunda bateria com a havaiana Crystal Walsh e a australiana Emily Lethbridge.

O Taiwan Open of Surfing é realizado com o mesmo formato de competição utilizado nas etapas do World Surf League Championship Tour. Assim como os homens, a vitória na rodada inicial feminina também vale passagem direta para a terceira fase, mas as perdedoras têm uma segunda chance de classificação na repescagem.

Depois de definir os campeões mundiais de Longboard nessa semana, na próxima o Taiwan Open of Surfing também vai decidir os títulos masculino e feminino da categoria Pro Junior, para surfistas com até 18 anos de idade, tudo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. A primeira chamada da terça-feira será as 7h30 em Taiwan, 20h30 da segunda-feira no Brasil.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE MASCULINA DO TAIWAN OPEN OF SURFING:

1.a: 1-Cole Robbins (EUA)=12.50, 2-Jack Entwistle (AUS)=10.33, 3-Dean Bevan (AUS)=7.47

2.a: 1-Eduardo Bagé (BRA)=12.97, 2-Harley Ingleby (AUS)=11.47, 3-Makamae Desoto (HAV)=5.44

3.a: 1-Phil Rajzman (BRA)=11.36, 2-Scotty Fong Jr (HAV)=6.43, 3-Duane Desoto (HAV)=4.90

4.a: 1-Kai Sallas (HAV)=11.34, 2-Steven McLean (EUA)=8.83, 3-Alfonzo Pieters (AFR)=6.60

5.a: 1-Edouard Delpero (FRA)=13.84, 2-Wenderson Biludo (BRA)=10.63, 3-Jared Neal (AUS)=9.10

6.a: 1-Taylor Jensen (EUA)=15.17, 2-Sam Christianson (AFR)=8.83, 3-Pan Hai Hsin (TWN)=6.17

7.a: 1-Antoine Delpero (FRA)=16.00, 2-Jack Unsworth (ING)=9.70, 3-Jefson Silva (BRA)=8.83

————ficaram para abrir a terça-feira:

8.a: Adam Griffiths (ING), Kevin Skvarna (EUA), Julian Schweizer (URU)

9.a: Tony Silvagni (EUA), Emilien Fleury (FRA), Kyohei Okada (JPN)

10: Steven Sawyer (AFR), Ned Snow (HAV), Taka Inoue (JPN)

11: Rodrigo Sphaier (BRA), Ben Skinner (ING), Austin Hollingshead (EUA)

12: Piccolo Clemente (PER), Nic Jones (AUS), Josh Constable (AUS)

PRIMEIRA FASE FEMININA DO TAIWAN OPEN OF SURFING:

1.a: Rachael Tilly (EUA), Alice Lemoigne (FRA), Crystal Hulett (AFR)

2.a: Crystal Walsh (HAV), Atalanta Batista (BRA), Emily Lethbridge (AUS)

3.a: Honolua Blomfield (HAV), Hiroka Yoshikawa (JPN),

4.a: Chloe Calmon (BRA), Soleil Errico (EUA), Avalon Gall (EUA)

5.a: Lindsay Steinriede (EUA), Kathryn Hughes (AUS), Kirra Seale (HAV)

6.a: Kaitlin Mikkelsen (EUA), Tory Gilkerson (EUA), Emily Currie (ING)

TOP-10 DO RANKING DA WORLD SURF LEAGUE – FINAL 2017 – 2 etapas:

1.o: Taylor Jensen (EUA) – 15.200 pontos

2.o: Edouard Delpero (FRA) – 15.200

3.o: Kai Sallas (HAV) – 13.200

4.o: Phil Rajzman (BRA) – 12.000

5.o: Harley Ingleby (AUS) – 11.700

5.o: Antoine Delpero (FRA) – 11.700

5.o: Adam Griffiths (ING) – 11.700

5.o: Cole Robbins (EUA) – 11.700

9.o: Rodrigo Sphaier (BRA) – 8.000

9.o: Tony Silvagni (EUA) – 8.000

9.o: Steven Sawyer – 8.000

12: Piccolo Clemente (PER) – 6.950

14: Jeferson Silva (BRA) – 3.500

22: Eduardo Bage (BRA) – 2.250

22: Jefson Silva (BRA) – 2.250

22: Lucas Garrido Lecca (PER) – 2.250

RANKING MUNDIAL FEMININO DA WORLD SURF LEAGUE – FINAL 2017:

Campeã: Honolua Blomfield (HAV) – 16.500 pontos

Vice-campeã: Chloé Calmon (BRA) – 13.300

3.a: Lindsay Steinriede (EUA) – 13.200

3.a: Crystal Walsh (HAV) – 13.200

5.a: Rachael Tilly (EUA) – 11.700

5.a: Kaitlin Maguire (EUA) – 11.700

7.a: Chelsea Williams (AUS) – 10.400

8.a: Tory Gilkerson (EUA) – 9.800

9.a: Alice Lemoigne (REU) – 8.500

10.a: Atalanta Batista (BRA) – 6.950

14.a: Maria Fernanda Reyes (PER) – 3.500

CAMPEÕES MUNDIAIS DE LONGBOARD DA WORLD SURF LEAGUE:

2017: Taylor Jensen (EUA) tricampeão e Honolua Blomfield (HAV)

2016: Phil Rajzman (BRA) bicampeão e Tory Gilkerson (EUA)

2015: Piccolo Clemente (PER) bicampeão e Rachael Tilly (EUA)

2014: Harley Ingleby (AUS) bicampeão e Chelsea Williams (AUS)

2013: Piccolo Clemente (PER) e Kelia Moniz (HAV) bicampeã

2012: Taylor Jensen (EUA) bicampeão e Kelia Moniz (HAV)

2011: Taylor Jensen (EUA) e Lindsay Steinriede (EUA)

2010: Duane Desoto (HAV) e Cori Schumacher (EUA)

2009: Harley Ingleby (AUS) e Jennifer Smith (EUA) bicampeã

2008: Bonga Perkins (HAV) bicampeão e Joy Monahan (HAV)

2007: Phil Rajzman (BRA) e Jennifer Smith (EUA)

2006: Josh Constable (AUS) e Schuyler McFerran (EUA)

2005: nenhuma etapa

2004: Joel Tudor (EUA) bicampeão

2003: Beau Young (AUS) bicampeão

2002: Colin McPhillips (EUA) tricampeão

2001: Colin McPhillips (EUA) bicampeão

2000: Beau Young (AUS)

1999: Colin McPhillips (EUA)

1998: Joel Tudor (EUA)

1997: Dino Miranda (HAV)

1996: Bonga Perkins (HAV)

1995: Rusty Keaulana (HAV) tricampeão

1994: Rusty Keaulana (HAV) bicampeão

1993: Rusty Keaulana (HAV)

1992: Joey Hawkins (EUA)

1991: Martin McMillan (AUS)

1990: Nat Young (AUS) tetracampeão

1989: Nat Young (AUS) tricampeão

1988: Nat Young (AUS) bicampeão

1987: Stuart Entwistle (AUS)

1986: Nat Young (AUS)