Bruno Tessari: O cara por trás das lentes

Quem assiste às séries de surf na tv certamente conhece o nome Bruno Tessari.

Criado nas ondas e na vontade de registrar de imagens junto com a talentosa turma de Balneário Camboriú (SC), Tessari construiu uma sólida carreira filmando e editando diversas produções do Grupo Sal para o Canal OFF nos últimos anos – como as séries “Diário das Ilhas”, “Brazilian Storm”, “Hidrodinâmica” e “9 Pés” -, além de realizar trabalhos de publicidade para marcas como Red Bull e Nike.

Publicidade

Com seu jeito simples, fala mansa e humor afiado, somado ao seu talento por trás das lentes, Tessari conquistou a amizade e a confiança dos principais surfistas profissionais do Brasil, e nos últimos anos vem produzindo uma série de perfis com esses atletas. O resultado desse trabalho se revela em curta-metragens que invariavelmente reúnem alta qualidade de fotografia com ótimas trilhas sonoras – fruto do seu conhecimento e paixão pela música. Em meio às constantes viagens e gravações, ele concedeu a seguinte entrevista ao Surf & Cult:

1 – Como se desenvolveu a tua relação com o surf e as artes e como você enxerga a ligação entre estas atividades?

Meu trabalho está diretamente relacionado ao surf. Comecei quando tínhamos aquela vontade de se ver surfando, então na época eu, Pablo AguiarMickey Bernardoni e Alan Fendrich vivíamos indo à praia com uma handcam + tripé dos mais simples possíveis, só para quebrar o galho mesmo. Era pura curtição. Com o tempo comecei a filmar os campeonatos locais, depois vieram os atletas e as marcas.

2 – Teus projetos mais recentes tem girado em torno de curta-metragens que trazem perfis individuais de surfistas profissionais. Conta um pouco sobre a produção destes trabalhos, a tua abordagem pessoal, o processo criativo e o grau de envolvimento dos surfistas na escolha do conteúdo?

Sim, os trabalhos que mais gosto de fazer são os curtas. Curto vivenciar e contar a história desses caras, alguns tem muito conteúdo fora do surf , muita história pra chegar até onde chegaram.
Tento passar pelo menos uns 20 dias com o personagem, isso direto sem pausa, assim consigo prestar atenção nos detalhes, manias e hobbys, e fica mais fácil pra coisa acontecer, pro cara se soltar e esquecer que ali tem uma câmera.
A trilha sonora pra mim é sempre 50% do filme, sempre fui muito ligado à música, tive banda por muitos anos e até hoje faço som todos os dias, então tento ver a pegada do atleta, e fazer o som encaixar no estilo do próprio.

3 – Como você enxerga a evolução das séries de TV e do material web ligado ao surf que vem sendo produzido no Brasil e no mundo? O que te chama atenção em termos positivos e negativos?

Hoje acho que a única emissora que está pagando pelas produções no Brasil é o OFF, então não tem muito pra onde correr em se tratando de TV.
A web cresce muito. Acho que esses Netflix da vida podem ser uma boa saída. O surf cresceu muito por aqui mas quem está ganhando “dim dim” mesmo é o Medina (risos).

4 – Cite algumas das tuas principais inspirações no universo das artes, dentro e fora do surf?
 
No surf , o Taylor Steele, desde que assisti ao Momentum 1 não deixei nenhum de seus filmes passarem em branco, Hoje tem o Joe G que faz filmes bem legais também. Fora do surf, tem os diretores de fotografia César Charlone e Matthew Libatique que fizeram a fotografia de alguns dos filmes que mais gosto.
 

5 – Se você tivesse uma verba ilimitada para produzir algum trabalho artístico ligado ao surf o que você faria?  

Com certeza chamaria alguns amigos filmmakers pra aproveitar isso junto, e tentaria explorar alguma onda nunca filmada e colocaria pelo menos uns 10 dos melhores e ao final da produção todos os filmmakers teriam direito a um mês só surfando sem carregar uma pelican (risos).

Acho que contrataria alguém do tipo Metallica pra produzir a trilha, você falou verba ilimitada! (risos). Ah, detalhe que eu peguei onda com eles em Sunset. Fui obrigado a tietar na água!

Bruno Tessari: Filmmaker, surfista e “metaleiro”!, foto: Marcelo Araújo

Confira outros trabalhos do Bruno Tessari em seu canal no Vimeo.

Fonte surfecult.com.