Brasileiros são maioria nas oitavas de final em Sunset Beach

Italo Ferreira of Brazil advances to round four after winning round three heat 10 of the 2017 WSL Vans World Cup at Sunset Beach, Oahu
Italo Ferreira (Foto: Tony Heff – WSL)
By João Carvalho

A batalha final pelas últimas vagas do WSL Qualifying Series para a elite do CT 2018, foi intensa na sexta-feira com a participação de todos os concorrentes nas condições difíceis do mar em Sunset Beach, na ilha de Oahu, Havaí. Apesar de baixas importantes, os brasileiros foram maioria entre os 32 classificados para as oitavas de final com sete surfistas, o campeão mundial Adriano de Souza, Caio Ibelli, Italo Ferreira, Miguel Pupo, Wiggolly Dantas, Bino Lopes e Lucas Silveira, com o peruano Miguel Tudela reforçando a participação sul-americana entre os concorrentes ao título do QS 10000 Vans World Cup of Surfing.

A sexta-feira foi mais um dia de condições desafiadoras para a estreia dos principais cabeças de chave na terceira fase, com ondas grandes, porém o mar muito irregular, com a maioria das séries fechando rápido, sem abrir tubos ou paredes mais longas para manobras. Foi assim durante quase todo o dia, mas Sunset Beach mostrou a potência das suas direitas em alguns momentos e o potiguar Italo Ferreira se destacou entre os brasileiros.

Publicidade

Ele achou boas ondas em sua bateria para atacar forte os paredões de água com manobras explosivas e conseguir duas notas no critério excelente dos juízes. A primeira que surfou recebeu nota 8,67 e a outra melhor valeu 8,43 para totalizar 17,10 pontos, contra apenas 10,17 do segundo colocado, Conner Coffin. Com a classificação para as oitavas de final, Italo já subiu da décima para a sétima posição no ranking e praticamente confirmou sua permanência no CT entre os dez indicados pelo QS.

Adriano de Souza (Foto: Tony Heff – WSL)

CAMPEÕES MUNDIAIS – A melhor apresentação brasileira aconteceu logo após a maior surpresa, a eliminação do campeão mundial Gabriel Medina em último lugar na sua bateria. Foi mais um confronto com ondas ruins e Medina praticamente só conseguiu manobrar em uma que rendeu apenas 5,67 pontos. O vencedor foi o sul-africano Michael February com 12,36 pontos, Cody Young ganhou a briga havaiana pelo segundo lugar de Joshua Moniz por 11,87 a 11,47 e Medina ficou em quarto com exatos 10,00 pontos nas duas ondas computadas.

Já o outro campeão mundial que está participando da Vans World Cup, Adriano de Souza, se classificou no terceiro confronto do dia, mas em segundo lugar na bateria vencida pelo peruano Miguel Tudela. Nessa, as condições estavam até mais difíceis e Tudela ficou em primeiro lugar por décimos de diferença no baixo placar de 9,34 a 9,30 do brasileiro. O australiano Davey Cathels só conseguiu somar 7,23 e em último ficou o havaiano Keanu Asing, um dos três surfistas eliminados que estão com suas vagas para o CT 2018 ameaçadas na rabeira da lista dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series.

Michael Rodrigues (Foto: Tony Heff – WSL)

PORTA ABERTA – Keanu defendia a sétima posição no ranking e os outros dois que perderam na sexta-feira foram o nono colocado, o também havaiano Ezekiel Lau, e o brasileiro Michael Rodrigues, que está fechando o G-10. O cearense foi barrado junto com uma das novidades do Brasil no CT 2018, o catarinense Yago Dora. Com isso, os três deixaram a porta de entrada na zona de classificação aberta para nove surfistas classificados para as oitavas de final, com chances de ultrapassa-los no último QS 10000 do ano.

Essa bateria da eliminação dupla do Brasil, rolou logo após a estreia de Italo Ferreira, na melhor hora do mar na sexta-feira. O havaiano Sebastian Zietz aproveitou muito bem as boas condições para bater todos os recordes da Vans World Cup esse ano. Na melhor onda, Seabass mandou duas manobras com alto grau de dificuldade no topo de uma direita enorme para arrancar nota 9,77 dos juízes, que somou com o 9,40 que já tinha recebido num tubaço para atingir incríveis 19,17 pontos de 20 possíveis. Em segundo lugar passou o português Vasco Ribeiro com 12,33, contra 11,50 de Yago Dora e 7,97 de Michael Rodrigues.

Wiggolly Dantas (Foto: Keoki Saguibo – WSL)

VAGAS NO G-10 – Três brasileiros estão entre os nove que ainda podem entrar no G-10 em Sunset Beach, Miguel Pupo precisando chegar na grande final e Wiggolly Dantas e Bino Lopes, para quem só interessa a vitória na Vans World Cup. Essa é a única possibilidade também para o português Vasco Ribeiro e para o francês Maxime Huscenot, que impediu uma dobradinha verde-amarela na bateria com participação tripla do Brasil que abriu a sexta-feira no Havaí. O paulista Caio Ibelli fez a parte dele e surfou um tubo incrível para vencer com a segunda maior nota do dia, 9,10, mas o francês despachou o pernambucano Ian Gouveia e o carioca Raoni Monteiro.

Duas baterias depois, Miguel Tudela e Adriano de Souza fizeram uma dobradinha sul-americana, mas teve uma brasileira também na sexta-feira, com os paulistas Wiggolly Dantas e Miguel Pupo. Eles estrearam bem, ajudando Michael Rodrigues ao eliminar um dos concorrentes por vagas no G-10, o francês Jorgann Couzinet, e o americano Brett Simpson.

Miguel Tudela (Foto: Tony Heff – WSL)

VITÓRIAS E DERROTAS – O baiano Bino Lopes e o carioca Lucas Silveira também venceram suas baterias com participação dupla do Brasil. O português Frederico Morais passou junto com Bino Lopes no confronto que o número 4 do ranking, Tomas Hermes, ficou em último. O mesmo aconteceu com outro catarinense já classificado para o CT 2018, Willian Cardoso, na bateria vencida por Lucas Silveira com o norte-americano Kolohe Andino se classificando em segundo lugar.

A participação brasileira na terceira fase terminou no confronto seguinte, com o brasileiro que estava mais próximo de entrar no G-10, o potiguar Jadson André em 18.o lugar no ranking, sendo eliminado pelo taitiano Michel Bourez e pelo sul-africano David Van Zyl. Com a derrota, Jadson praticamente está fora da elite no ano que vem, isso porque para ele confirmar sua vaga entre os 22 primeiros do ranking do CT, terá que vencer o Billabong Pipe Masters.

Caio Ibelli (Foto: Tony Heff – WSL)

OITAVAS DE FINAL – Apesar das dez baixas na sexta-feira, o Brasil ainda conseguiu a maioria das vagas nas oitavas de final, são sete contra seis havaianos, cinco norte-americanos, cinco australianos, dois portugueses, dois sul-africanos e mais cinco países continuam na disputa do título da Vans World Cup com um representante, Peru, França, Espanha, Itália e Taiti. Os brasileiros vão disputar classificação para as quartas de final em cinco baterias.

O campeão mundial Adriano de Souza e Caio Ibelli estão na primeira bateria, que vai abrir o próximo dia de boas ondas em Sunset Beach, junto com dois australianos, Matt Wilkinson e Dion Atkinson. O peruano Miguel Tudela entra na segunda com o australiano Wade Carmichael defendendo vaga no G-10, o francês Maxime Huscenot e o havaiano Benji Brand. A terceira será mais um confronto direto entre Brasil x Austrália, com Miguel Pupo e Bino Lopes enfrentando Stu Kennedy e Ethan Ewing.

Bino Lopes (Foto: Tony Heff – WSL)

Os outros três brasileiros competirão sozinhos com três surfistas de outros países. Wiggolly Dantas está na quarta bateria com o português Frederico Morais, a novidade americana para o CT 2018, Griffin Colapinto, e o havaiano Makai McNamara. Na disputa seguinte, tem Italo Ferreira contra o sul-africano Michael February, o português Vasco Ribeiro e o espanhol Aritz Aranburu. E Lucas Silveira entra na penúltima oitava de final, com o taitiano Michel Bourez, o italiano Leonardo Fioravanti tentando vaga no G-10 e o havaiano Barron Mamiya.

O QS 10000 Vans World Cup of Surfing está sendo transmitido ao vivo de Sunset Beach pelo www.worldsurfleague.com e a primeira chamada do sábado será às 7h00 no Havaí, 15h00 no horário de verão do Brasil.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

OITAVAS DE FINAL DO QS 10000 VANS WORLD CUP OF SURFING:

1.a: Adriano de Souza (BRA), Matt Wilkinson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Dion Atkinson (AUS)

2.a: Wade Carmichael (AUS), Maxime Huscenot (FRA), Miguel Tudela (PER), Benji Brand (HAV)

3.a: Miguel Pupo (BRA), Stu Kennedy (AUS), Ethan Ewing (AUS), Bino Lopes (BRA)

4.a: Wiggolly Dantas (BRA), Frederico Morais (PRT), Griffin Colapinto (EUA), Makai McNamara (HAV)

5.a: Italo Ferreira (BRA), Michael February (AFR), Vasco Ribeiro (PRT), Aritz Aranburu (ESP)

6.a: Sebastian Zietz (HAV), Conner Coffin (EUA), Cody Young (HAV), Imaikalani Devault (HAV)

7.a: Michel Bourez (TAH), Leonardo Fioravanti (ITA), Lucas Silveira (BRA), Barron Mamiya (HAV)

8.a: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Patrick Gudauskas (EUA), David Van Zyl (AFR)

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NA SEXTA-FEIRA EM SUNSET BEACH:

TERCEIRA FASE – entrada dos 32 cabeças de chave já disputando vagas nas oitavas de final:

———3.o=33.o lugar (US$ 1.600 e 1.100 pontos) e 4.o=49.o lugar (US$ 1.300 e 1.000 pontos)

———bateria que fechou a quinta-feira:

1.a: 1-Matt Wilkinson (AUS), 2-Wade Carmichael (AUS), 3-Evan Geiselman (EUA), 4-Luel Felipe (BRA)

———baterias que abriram a sexta-feira:

2.a: 1-Caio Ibelli (BRA), 2-Maxime Huscenot (FRA), 3-Ian Gouveia (BRA)4-Raoni Monteiro (BRA)

4.a: 1-Miguel Tudela (PER)2-Adriano de Souza (BRA), 3-Davey Cathels (AUS), 4-Keanu Asing (HAV)

5.a: 1-Bino Lopes (BRA), 2-Frederico Morais (PRT), 3-Logan Bediamol (HAV), 4-Tomas Hermes (BRA)

7.a: 1-Wiggolly Dantas (BRA)2-Miguel Pupo (BRA), 3-Jorgann Couzinet (FRA), 4-Brett Simpson (EUA)

8.a: 1-Makai McNamara (HAV), 2-Stu Kennedy (AUS), 3-Alex Ribeiro (BRA), 4-Nathan Florence (HAV)

9.a: 1-Michael February (AFR), 2-Cody Young (HAV), 3-Joshua Moniz (HAV), 4-Gabriel Medina (BRA)

10: 1-Italo Ferreira (BRA), 2-Conner Coffin (EUA), 3-Adam Melling (AUS), 4-Noe Mar McGonagle (CRI)

11: 1-Sebastian Zietz (HAV), 2-Vasco Ribeiro (PRT), 3-Yago Dora (BRA)4-Michael Rodrigues (BRA)

12: 1-Imaikalani Devault (HAV), 2-Aritz Aranburu (ESP), 3-Adrian Buchan (AUS), 4-Jessé Mendes (BRA)

13: 1-Lucas Silveira (BRA), 2-Kolohe Andino (EUA), 3-Ramzi Boukhiam (MAR), 4-Willian Cardoso (BRA)

14: 1-Michel Bourez (TAH), 2-David Van Zyl (AFR), 3-Jadson André (BRA), 4-Marc Lacomare (FRA)