Brasileiros avançam no Vans World Cup of Surfing

Heitor Alves during his Round One heat.

Heitor Alves. Foto Sloane

O prazo do QS 10000 Vans World Cup of Surfing começou na sexta-feira, mas as ondas só apareceram em Sunset Beach na última terça-feira (29/11), para dar a largada na batalha final pelas últimas vagas do WSL Qualifying Series para o World Surf League Championship Tour de 2017

Publicidade

Dos 37 surfistas com chances matemáticas na briga pelas cinco últimas vagas para o CT 2017, nove competiram nas dezoito baterias realizadas na terça-feira no Havaí. Cinco deles continuam na busca, mas quatro ficaram no primeiro dia de competição em Sunset Beach.

O brasileiro Tomas Hermes, que ocupava o 11º lugar no ranking, perdeu no penúltimo confronto do dia, que abriu a segunda fase, vencido pelo argentino Santiago Muniz com o costa-ricense Noe Mar McGonagle em segundo. O catarinense caiu junto com o uruguaio Marco Giorgi, que havia ganho a primeira bateria da Vans World Cup of Surfing.

Deivid Silva during his Round Two heat.
Deivid Silva. Foto Sloane

 

O irmão mais jovem do top da elite, Alejo Muniz, ainda pode entrar no G-10 nesta última etapa, mas ele é um dos quinze surfistas que só conseguem isso com os 10.000 pontos da vitória em Sunset Beach. Enquanto Santiago Muniz já avançou para a terceira fase, outros dois que estão na mesma situação do argentino, passaram da primeira para a segunda, o havaiano Torrey Meister e o sul-africano Michael February.

E no confronto que fechou a terça-feira, mais dois concorrentes ganharam as últimas vagas do dia para a rodada dos principais cabeças de chave da World Cup, o brasileiro Deivid Silva e o australiano Mitch Coleborn.

Lucas Silveira placed second in Heat 3 of Round One at the VANS World Cup of Surfing at Sunst Beach, Hawaii today.
Lucas Silveira. Foto Sloane

 

O paulista do Guarujá ficou no G-10 até a perna europeia e agora é o 16º no ranking, precisando chegar nas quartas de final para superar os 16.010 pontos do último da lista no momento, o português Frederico Morais. Já o australiano é o 33º colocado e necessita ficar entre os dois melhores do campeonato para isso.

Deivid Silva avançou para a segunda bateria da terceira fase, encabeçada pelo também paulista Wiggolly Dantas da elite do CT e o australiano Davey Cathels. Ele foi um dos quatro brasileiros que se classificaram na terça-feira de ondas de 4-6 pés em Sunset Beach. Os outros foram o carioca Lucas Silveira, o cearense Heitor Alves e o pernambucano Luel Felipe, que passaram em segundo lugar nas suas baterias da rodada inicial. Cinco perderam nesta primeira fase, além de Tomas Hermes na abertura da segunda.

Santiago Muniz (ARG) / Foto Sloane
Santiago Muniz (ARG) / Foto Sloane

 

Mais oito brasileiros fazem parte da lista dos 32 surfistas pré-classificados para a segunda fase, como Tomas Hermes e Deivid Silva. Sete deles com chances matemáticas de vagas para o CT 2017, como o oitavo do G-10 no momento, o baiano Bino Lopes, e o paulista Hizunomê Bettero, que estreia junto com ele na décima bateria.

Outros são os também paulistas Victor Bernardo na nona e Jessé Mendes na 15ª, o cearense Michael Rodrigues na quarta, o capixaba Krystian Kymerson na sétima e o catarinense Yago Dora na 16ª e última. E na relação dos 32 principais cabeças de chave da World Cup of Surfing, que entram direto na terceira fase já disputando classificação para as oitavas de final, estão mais nove brasileiros, como os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina e os também tops do CT, Filipe Toledo, Italo Ferreira, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas, Miguel Pupo e Jadson André. Além deles, o número 7 do QS, Ian Gouveia, que vai estrear na bateria do Mineirinho, e Deivid Silva, que foi para a encabeçada por Wiggolly Dantas.

Por João Carvalho