Brasil é maioria nas oitavas de final do QS 6000 de Newcastle

Michael Rodrigues progresses through Round 4 at the 2018 Burton Automotive Pro
Michael Rodrigues (Foto: Tom Bennett – WSL)
By João Carvalho

Os brasileiros seguem firme em busca da segunda vitória consecutiva no QS 6000 de Newcastle na Austrália. Eles já são maioria com seis surfistas nas oitavas de final do Burton Automotive Pro, definidas na sexta-feira de mar difícil e ondas mexidas de 3-4 pés em Merewether Beach. O cearense Michael Rodrigues usou seu arsenal de manobras modernas e os aéreos para estabelecer um novo recorde de 18,07 pontos e mais duas novidades na “seleção brasileira” que vai disputar o CT esse ano também passaram pelas duas fases realizadas na sexta-feira, Tomas Hermes e Willian Cardoso, além de outro catarinense, Alejo Muniz, o potiguar Jadson André e o paulista Victor Bernardo.

Michael Rodrigues (Foto: Tom Bennett – WSL)

No ano passado, o tradicional Surfest Newcastle foi encerrado com uma final verde-amarela vencida pelo catarinense Yago Dora, com o paulista Jessé Mendes ficando em segundo lugar. Os dois foram os primeiros a garantir suas vagas no CT 2018 entre os dez indicados pelo ranking do WSL Qualifying Series. Yago não foi defender o título e Jessé perdeu em sua estreia esse ano, mas seis brasileiros seguem na luta para conseguir outra vitória no primeiro QS 6000 do ano. Quatro australianos, dois havaianos, dois japoneses, um norte-americano e um sul-africano, também estão na briga pelo título que pode valer a liderança isolada no ranking.

Publicidade

Pelo menos, dois brasileiros já estão garantidos nas quartas de final, pois dois duelos das oitavas ficaram verde-amarelos com a combinação dos resultados da quarta fase. O primeiro confronto direto será na quinta bateria, entre Tomas Hermes e Jadson André. No outro, Willian Cardoso e Victor Bernardo vão disputar a última vaga para as quartas de final. Alejo Muniz briga pela primeira com o havaiano Barron Mamiya e o novo recordista, Michael Rodrigues, entra na segunda bateria das oitavas de final com o australiano Davey Cathels.

O cearense participou do primeiro confronto do dia e já começou bem, despachando um dos favoritos ao título em Newcastle, o top-5 do CT, Matt Wilkinson. A bateria foi vencida por outro australiano, o seu adversário nas oitavas de final. Davey Cathels se classificou em segundo lugar na vitória do catarinense Alejo Muniz que abriu a quarta fase e Michael Rodrigues deu um show na bateria seguinte. Ele achou boas rampas no mar difícil de Merewether Beach para usar as manobras aéreas, que são o ponto forte do seu surfe. Foi voando que ele estabeleceu novos recordes no Burton Automotive Pro, nota 9,80 e 18,07 pontos de 20 possíveis, contra o havaiano Barron Mamiya e o francês Marc Lacomare.

“Eu estou me sentindo muito bem e é incrível competir em ondas do jeito que eu gosto, como as de hoje (sexta-feira) aqui em Newcastle”, disse um dos novatos do CT 2018, Michael Rodrigues. “A Austrália é como se fosse uma segunda casa para mim. Eu já estive aqui várias vezes e me sinto superconfortável em competir nessas condições de mar. Eu estou realizando um sonho esse ano, que é disputar o World Tour, então estou muito animado, confiante e só quero continuar fazendo o meu melhor lá fora”.

Alejo Muniz (Foto: Tom Bennett – WSL)

O catarinense Alejo Muniz também fez bonito na sexta-feira. Pelo segundo ano consecutivo, ele tenta recuperar sua vaga no CT pelo WSL Qualifying Series. Ele já foi finalista do Surfest Newcastle em 2013, etapa que já teve duas finais verde-amarelas nas últimas temporadas, com Willlian Cardoso ganhando o título de 2012 de Filipe Toledo e no ano passado, quando um catarinense também derrotou um paulista na final, Yago Dora contra Jessé Mendes.

“A bateria foi muito boa e até tem umas ondas boas, mas realmente estão difíceis de achar”, disse Alejo Muniz. “Newcastle tem sido muito bom para os meus rankings durante toda a minha carreira e sei que um bom resultado aqui me coloca em uma boa posição para tentar minha requalificação esse ano. As ondas aqui são bem parecidas com as que surfo no Brasil, então a maioria dos brasileiros se sente bem competindo aqui porque parecem estar em casa”.

A sexta-feira começou com dezessete sul-americanos na rodada dos 48 melhores que abriu o dia em Merewether Beach. Apenas em uma das doze baterias não tinha algum deles disputando vagas para a rodada classificatória para as oitavas de final. Dos quatorze brasileiros, dez avançaram. O paulista Wiggolly Dantas e os catarinenses Tomas Hermes, Willian Cardoso e Alejo Muniz, saíram do mar com vitórias, enquanto Michael Rodrigues, os paulistas Miguel Pupo e Victor Bernardo, o potiguar Jadson André, o baiano Marco Fernandez e o capixaba Rafael Teixeira, passaram em segundo lugar nas suas baterias.

Além dos quatro brasileiros, os peruanos Miguel Tudela e Lucca Mesinas e o chileno Manuel Selman, perderam nesta última rodada de confrontos formados por quatro surfistas. Miguel Tudela ficou em último na bateria que o capixaba Rafael Teixeira avançou na vitória australiana de Matt Banting. Já Lucca Mesinas e Manuel Selman foram eliminados juntos na 11.a e penúltima bateria dessa terceira fase, pelo norte-americano Evan Geiselman e o japonês Reo Inaba.  

BRASIL 4 X 0 AUSTRÁLIA – Nessa primeira rodada do dia, o Brasil ganhou por 2 a 0 os dois confrontos diretos com a Austrália. Na sétima bateria, Tomas Hermes e Jadson André despacharam o estreante do ano no CT 2017, Connor O´Leary, além de Reef Heazlewood. E na última, Willian Cardoso e Victor Bernardo fizeram outra dobradinha verde-amarela vencedora sobre Soli Bailey e Liam O´Brien.

Nas outras participações duplas, apenas um avançou. Na sexta bateria, Marco Fernandez passou em segundo e Deivid Silva foi eliminado. Na décima, o fato se repetiu na vitória de Wiggolly Dantas, com o paranaense Peterson Crisanto perdendo a briga pela segunda vaga para o sul-africano Matthew McGillivray, que defendia a liderança do ranking do QS em Newcastle.

MAIORIA BRASILEIRA – Ele acabou barrado no último confronto do dia e a disputa ficou aberta para quem vencer o QS 6000 Burton Automotive Pro. Willian Cardoso e o japonês Reo Inaba pararam o sul-africano na bateria que fechou a sexta-feira. Nesta fase, todas as baterias tinham brasileiros disputando classificação para as oitavas de final. Alejo Muniz ganhou a primeira, Michael Rodrigues bateu todos os recordes na segunda, mas depois vieram duas eliminações seguidas em vitórias australianas, de Marco Fernandez na terceira bateria e Miguel Pupo na quarta.

Na chave de baixo, que vai apontar o segundo finalista do Surfest Newcastle, competiram mais seis brasileiros. Tomas Hermes venceu a quinta bateria e na sequência dois foram barrados nas participações duplas do Brasil. Rafael Teixeira perdeu para Jadson André a briga pela segunda vaga no confronto encerrado com o australiano Mikey Wright em primeiro lugar. E Victor Bernardo superou o ex-top do CT, Wiggolly Dantas, para passar também em segundo na disputa vencida pelo norte-americano Evan Geiselman. E para fechar o dia, Willian Cardoso ratificou a maioria brasileira nas oitavas de final do primeiro QS 6000 do ano com mais uma vitória na Austrália.

Acompanhe a transmissão ao vivo do QS 6000 Burton Automotive Pro e do QS 6000 Grandstand Sports Clinic Women´s Pro direto de Newcastle na Austrália pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

OITAVAS DE FINAL DO QS 6000 BURTON AUTOMOTIVE PRO:

1.a: Alejo Muniz (BRA) x Barron Mamiya (HAV)

2.a: Michael Rodrigues (BRA) x Davey Cathels (AUS)

3.a: Ethan Ewing (AUS) x Kiron Jabour (HAV)

4.a: Stu Kennedy (AUS) x Beyrick De Vries (AFR)

5.a: Tomas Hermes (BRA) x Jadson André (BRA)

6.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Mikey Wright (AUS)

7.a: Evan Geiselman (EUA) x Reo Inaba (JPN)

8.a: Willian Cardoso (BRA) x Victor Bernardo (BRA)

QUARTA FASE – 1o e 2.o=Oitavas de Final e 3.o=17.o lugar com 1.050 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: 1-Alejo Muniz (BRA)=13.84, 2-Davey Cathels (AUS)=11.73, 3-Ricardo Christie (NZL)=8.00

2.a: 1-Michael Rodrigues (BRA)=18.07, 2-Barron Mamiya (HAV)=11.14, 3-Marc Lacomare (FRA)=7.20

3.a: 1-Ethan Ewing (AUS)=12.87, 2-Beyrick De Vries (AFR)=11.53, 3-Marco Fernandez (BRA)=11.17

4.a: 1-Stu Kennedy (AUS)=11.77, 2-Kiron Jabour (HAV)=10.43, 3-Miguel Pupo (BRA)=9.56

5.a: 1-Tomas Hermes (BRA)=14.34, 2-Kanoa Igarashi (JPN)=14.27, 3-Matt Banting (AUS)=13.90

6.a: 1-Mikey Wright (AUS)=15.33, 2-Jadson André (BRA)=9.60, 3-Rafael Teixeira (BRA)=8.70

7.a: 1-Evan Geiselman (EUA)=12.00, 2-Victor Bernardo (BRA)=9.53, 3-Wiggolly Dantas (BRA)=8.76

8.a: 1-Willian Cardoso (BRA)=11.20, 2-Reo Inaba (JPN)=9.50, 3-Matthew McGillivray (AFR)=9.20

TERCEIRA FASE – 3.o=25.o lugar (US$ 1.300 e 700 pts) e 4.o=37.o lugar (US$ 1.200 e 650 pts):

1.a: 1-Davey Cathels (AUS), 2-Michael Rodrigues (BRA), 3-Hiroto Ohhara (JPN), 4-Matt Wilkinson (AUS)

2.a: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Marc Lacomare (FRA), 3-Cooper Chapman (AUS), 4-Harley Ross (AUS)

3.a: 1-Barron Mamiya (HAV), 2-Ricardo Christie (NZL), 3-Adam Melling (AUS), 4-Alex Ribeiro (BRA)

4.a: 1-Ethan Ewing (AUS), 2-Stu Kennedy (AUS), 3-Charles Martin (FRA), 4-Jeronimo Vargas (BRA)

5.a: 1-Beyrick De Vries (AFR), 2-Miguel Pupo (BRA), 3-Shane Campbell (AUS), 4-Leonardo Fioravanti (ITA)

6.a: 1-Kiron Jabour (HAV), 2-Marco Fernandez (BRA), 3-Frederico Morais (PRT), 4-Deivid Silva (BRA)

7.a: 1-Tomas Hermes (BRA)2-Jadson André (BRA), 3-Connor O´Leary (AUS), 4-Reef Heazlewood (AUS)

8.a 1-Matt Banting (AUS), 2-Rafael Teixeira (BRA), 3-Maxime Huscenot (FRA), 4-Miguel Tudela (PER)

9.a: 1-Mikey Wright (AUS), 2-Kanoa Igarashi (JPN), 3-Griffin Colapinto (EUA), 4-Dean Bowen (AUS)

10: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Matthew McGillivray (AFR), 3-Peterson Crisanto (BRA), 4-Ryan Callinan (AUS)

11: 1-Evan Geiselman (EUA), 2-Reo Inaba (JPN), 3-Manuel Selman (CHL), 4-Lucca Mesinas (PER)

12: 1-Willian Cardoso (BRA), 2-Victor Bernardo (BRA), 3-Liam O´Brien (AUS), 4-Soli Bailey (AUS)