Brasil e Equador mantém hegemonia no Rip Curl Pro Argentina

Wesley Santos, Facundo Arreyes, Mateus Herdy e Jihad Khodr (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)
By João Carvalho

Duas finais com participações inéditas de surfistas argentinos, fechou a sexta edição do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina no sábado em Mar del Plata. As condições estavam difíceis para competir na Playa Grande, com o brasileiro Wesley Santos e a equatoriana Dominic Barona pegando as melhores ondas para derrotar Facundo Arreyes e Josefina Ané. Foi a quinta vitória paulista consecutiva nas seis edições da etapa argentina do WSL Qualifying Series e Dominic conquistou o bicampeonato, pois venceu o primeiro QS feminino em Mar del Plata no ano passado. Os dois lideram a corrida pelo título sul-americano da WSL South America.

Wesley Santos (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)

“É um sentimento incrível, um dia abençoado! Eu acordei muito feliz, já vim com uma energia incrível pra praia e Deus me abençoou com essa minha primeira vitória da vida, na primeira final no Circuito Mundial”, foram as primeiras palavras do emocionado Wesley Santos. “Foi muito difícil chegar aqui, mas eu venho treinando bastante, me dedicando e o resultado está aí, uma final, minha primeira vitória e eu só tenho que agradecer a Deus por isso, a todas as pessoas que acreditam em mim, minha família e eu vou pras cabeças esse ano se der tudo certo”.

Publicidade

Apesar da derrota na final, Facundo Arreyes já havia feito história no Rip Curl Pro Argentina, também chegando em sua primeira decisão de título em etapas do WSL Qualifying Series. Ele preferiu usar a tática de esperar pelas melhores ondas, mas o mar estava muito difícil e a estratégia do brasileiro em ficar mais ativo, pegando todas que entravam perto dele, pareceu ser mais efetiva. Wesley Santos controlou a liderança desde o início, respondendo a cada ataque do argentino com uma nota maior para levar os 10.000 dólares da vitória no QS 1500 Rip Curl Pro Argentina. Ele somou notas 7,50 e 6,47 no placar de 13,97 a 10,66 pontos.

Facundo Arreyes (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)

“É uma coisa incrível receber todo o apoio da praia do povo argentino, mas me sinto um pouco triste por não conseguir a vitória. Eu vi o Lele (Leandro Usuna) chegar perto disso em 2015, mas creio que o surfe argentino está crescendo e o nosso momento vai chegar”, disse Facundo Arreyes. “Estou feliz pelo resultado e quero agradecer as pessoas que me apoiaram para chegar aqui. É muito difícil chegar numa final e todo campeonato que eu participo, entro com o objetivo de ganhar. Creio que foi um bom resultado também para mim e para a Argentina”

Foi realmente um grande resultado para Facundo Arreyes, pois ele foi o único surfista de outro país a passar para as quartas de final na sexta-feira. Os outros sete que chegaram no sábado eram brasileiros. Faltou a vitória para coroar sua brilhante participação, assim como para a jovem Josefina Ané na decisão do QS 1000 feminino do Rip Curl Pro Argentina. Infelizmente, foi uma bateria muito fraca de ondas, com poucas séries entrando na Playa Grande e as melhores foram surfadas pela mais experiente, Dominic Barona.

Dominic Barona (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)

BICAMPEONATO DO EQUADOR – A equatoriana também venceu a primeira etapa do QS feminino em Mar del Plata no ano passado e conquistou o bicampeonato por 10,37 a 8,54 pontos. Com a vitória, segue liderando o ranking sul-americano da WSL South America com 100% de aproveitamento, pois também venceu a primeira etapa em San Bartolo, no Peru.

“Estou muito feliz e só tenho que agradecer todas as pessoas que seguem me apoiando, me incentivando para continuar representando o meu país nas competições”, disse Dominic Barona. “Foi legal fazer a final com a Josefina (Ané), que vinha surfando bem bateria a bateria durante todo o evento e a final foi superdifícil, com qualquer uma podendo ganhar. Então, também quero parabeniza-la pelo resultado, pois não é fácil chegar até aqui”.

Josefina Ané (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)

As duas se abraçaram e a argentina também falou sobre o vice-campeonato em sua primeira final em etapas do WSL Qualifying Series. “Foi uma bateria muito difícil e a Mimi (Dominic Barona) conseguiu pegar uma direita matadora para vencer, mas estou muito contente por chegar na final”, disse Josefina Ané. “Foi muito emocionante e espero que eu consiga mais bons resultados ao longo do ano. Agradeço a todas as pessoas que ficaram me passando mensagens de apoio maravilhosas e estou feliz por este dia que ficará marcado para mim”.

SEMIFINAIS – Antes da decisão do título feminino, aconteceu uma semifinal eletrizante. Foi quando Facundo Arreyes acabou com a chance de Jihad Khodr conseguir um inédito bicampeonato nas seis edições masculinas do Rip Curl Pro Argentina. O paranaense ganhou a primeira em 2013 e fez grandes apresentações nas direitas e esquerdas da Playa Grande. Ele começou bem a semifinal, surfando a melhor onda do sábado e uma das melhores do evento na opinião dos juízes, que deram nota 8,75.

O argentino recebeu 5,00 na primeira, mas na segunda conseguiu fazer duas manobras fortes de backside para entrar na briga com uma nota 8,50. Jihad se manteve na frente com o 6,75 recebido em sua terceira onda, mas Facundo Arreyes repetiu o ataque para arrancar outro 8,50 dos juízes, que determinou a vitória por 17,00 a 15,50 pontos numa das melhores baterias do Rip Curl Pro Argentina esse ano.

Wesley Santos, Facundo Arreyes, Mateus Herdy e Jihad Khodr (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)

LÍDER DO SUL-AMERICANO – Na outra semifinal, o paulista Wesley Santos assumiu a liderança do ranking sul-americano da WSL South America com a passagem para a grande final. O catarinense Mateus Herdy tentou usar os aéreos que vinham liquidando seus adversários e recebendo as maiores notas nas ondas da Playa Grande, porém não conseguiu os pontos que precisava para vencer. A nota 7,5 da melhor onda de Wesley decidiu a vitória por 12,00 a 11,50 pontos.

Apesar da maioria brasileira entre os oito surfistas que chegaram no sábado decisivo, foi o único argentino, Facundo Arreyes, quem surpreendeu no último dia em Mar del Plata. Ele começou o dia barrando um dos destaques do evento na segunda quarta de final, o paraibano José Francisco. Depois, passou pelo mais experiente entre os finalistas, o ex-top do CT e campeão brasileiro Jihad Khodr, vencedor da primeira edição do Rip Curl Pro Argentina em 2013. Foi a segunda vez que um argentino decidiu o título em Mar del Plata. A primeira tinha sido em 2015 com o maior nome do surfe em seu país, Leandro Usuna.

Podio feminino (Foto: Beto Oviedo – Surfing Latino)

QS 1000 FEMININO – No QS feminino, a história do evento começou no ano passado, com a equatoriana Dominic Barona conquistando o primeiro título na final com a peruana Melanie Giunta. Ela chegou na decisão novamente este ano e conquistou o bicampeonato contra uma argentina local da Playa Grande, Josefina Ané. Dominic ganhou a primeira etapa do QS na América do Sul no Peru, lidera o ranking regional da WSL South America e vinha fazendo as melhores apresentações entre as meninas no evento.

Nas semifinais, a equatoriana surfou sua melhor onda, conseguindo mostrar a potência das suas manobras para receber nota 8,0 na vitória sobre a brasileira Camila Cassia. A outra vaga para a grande final foi disputada por duas argentinas e a jovem Josefina Ané superou a experiente Ornella Pellizzari por uma pequena diferença de 7,65 a 7,40 pontos. Ornella tinha barrado sua grande amiga, a peruana campeã mundial Sofia Mulanovich, nas quartas de final.

SUL-AMERICANO – Com o resultado do QS 1000 Rip Curl Pro Argentina, Dominic Barona disparou na liderança do ranking sul-americano de 2018 da WSL South America, com 2.000 pontos, 100% de aproveitamento nas duas primeiras etapas da temporada, pois foi a campeã também da Copa Triathlon Sport Reef Pro em San Bartolo, no Peru. Em segundo lugar está a brasileira Camila Cassia com 1.120, a peruana Sofia Mulanovich é a terceira colocada com 980 e Josefina Ane subiu para o quarto lugar com 950 pontos, somando os 750 do vice-campeonato no sábado em Mar del Plata.

Organizado pela XXL Sports, o Rip Curl Pro Argentina é um dos principais eventos do WSL Qualifying Series na América do Sul e mais informações da sexta edição encerrada neste sábado, como notícias, fotos, vídeos e todos os resultados, podem ser acessadas na página do evento no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

Contato de mídia do evento: Sebastián Chacón – surfpress.news@gmail.com

———————————————————–

CAMPEÕES DO RIP CURL PRO ARGENTINA EM MAR DEL PLATA:

2018: Wesley Santos (BRA-SP) e Dominic Barona (EQU)

2017: Thiago Camarão (BRA-SP) e Dominic Barona (EQU)

2016: Flavio Nakagima (BRA-SP)

2015: Robson Santos (BRA-SP)

2014: Alex Ribeiro (BRA-SP)

2013: Jihad Khodr (BRA-PR)

 RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO RIP CURL PRO ARGENTINA EM MAR DEL PLATA:

DECISÃO DO TÍTULO DO QS 1500 MASCULINO:

Campeão: Wesley Santos (BRA) por 13,97 pontos (7,50+6,47) – US$ 10.000 e 1.500 pontos no QS

Vice-campeão: Facundo Arreyes (ARG) com 10,66 pontos (6,83+3,83) – US$ 5.000 e 1.125 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 840 pontos no QS e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Facundo Arreyes (ARG) 17.00 x 15.50 Jihad Khodr (BRA)

2.a: Wesley Santos (BRA) 12.00 x 11.50 Mateus Herdy (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 630 pontos no QS e US$ 1.000 de prêmio:

1.a: Jihad Khodr (BRA) 11.50 x 10.50 Amando Lins (BRA)

2.a: Facundo Arreyes (ARG) 10.85 x 8.35 José Francisco (BRA)

3.a: Mateus Herdy (BRA) 14.10 x 10.80 Renan Peres (BRA)

4.a: Wesley Santos (BRA) 11.90 x 11.50 Samuel Pupo (BRA)

DECISÃO DO TÍTULO DO QS 1000 FEMININO:

Bicampeã: Dominic Barona (EQU) por 10,37 pontos (5,60+4,77) – US$ 1.500 e 1.000 pontos no QS

Vice-campeã: Josefina Ané (ARG) com 8,54 pontos (4,67+3,87) – US$ 750 e 750 pontos no QS

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 420 pontos no QS e US$ 250 de prêmio:

1.a: Dominic Barona (EQU) 13.00 x 4.10 Camila Cassia (BRA)

2.a: Josefina Ane (ARG) 7.65 x 7.40 Ornella Pellizzari (ARG)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 420 pontos no QS e US$ 125 de prêmio:

1.a: Dominic Barona (EQU) 11.00 x 9.25 Lucia Cosoleto (ARG)

2.a: Camila Cassia (BRA) 10.60 x 7.25 Julia Duarte (BRA)

3.a: Josefina Ane (ARG) 7.15 x 5.35 Catalina Mercere (ARG)

4.a: Ornella Pellizzari (ARG) 12.00 x 9.65 Sofia Mulanovich (PER)

TOP-10 DO RANKING SUL-AMERICANO DA WSL SOUTH AMERICA – 2 etapas:

01: Wesley Santos (BRA) – 1.420 pontos

02: Alonso Correa (PER) – 1.000

03: Renan Peres (BRA) – 840

04: Facundo Arreyes (ARG) – 750

05: Jihad Khodr (BRA) – 560

05: Joaquin del Castillo (PER) – 560

05: Caetano Vargas (BRA) – 560

05: Juninho Urcia (PER) – 560

05: Mateus Herdy (BRA) – 560

10: Jhonny Guerrero (PER) – 540

——ranking completo no link:

http://www.worldsurfleague.com/athletes/tour/mqs?regionId=8&year=2018

TOP-10 DO SUL-AMERICANO FEMININO DA WSL SOUTH AMERICA – 2 etapas:

01: Dominic Barona (EQU) – 2.000 pontos

02: Camila Cassia (BRA) – 1.120

03: Sofia Mulanovich (PER) – 980

04: Josefina Ane (ARG) – 950

05: Anali Gomez (PER) – 750

06: Lucia Indurain (ARG) – 720

07: Lucia Cosoleto (ARG) – 700

08: Tainá Hinckel (BRA) – 620

08: Catalina Mercere (ARG) – 620

10: Yanca Costa (BRA) – 600

——ranking completo no link:

http://www.worldsurfleague.com/athletes/tour/wqs?regionId=8&year=2018