Bateria polêmica de Gabriel Medina repercute na Web

“Infelizmente os juízes não estiveram à altura dos dois melhores surfistas da atualidade e da histórica bateria,” disse Ricardo Bocão

Gabriel Medina saiu do Billabong Pro Tahiti com a terceira colocação, após ser eliminado pelo havaiano John John Florence na segunda semifinal do evento.

Foi uma bateria incrível, disputada quase que onda a onda, repleta de high scores, com Medina descartando 9.10 e John, 9.17, por exemplo.

Publicidade

Foi também um confronto que causou polêmica entre os que assistiam e acompanhavam as notas que vinham sendo soltadas até então.

Gabriel Medina perdia o confronto para o havaiano quando tirou seu primeiro 10 do campeonato. Em seguida, John pegou mais uma onda, drop difícil, precisava de 9.31 pontos para vencer. Os juízes deram 9.73 para essa onda, que muitos julgaram supervalorizada, e John virou a bateria a poucos minutos do término – 19.66 contra 19.23 do brasileiro.

Assim que a bateria terminou, uma enxurrada de comentários invadiu as redes sociais da WSL – muitos fãs simplesmente ficaram sem entender a nota do havaiano (veja abaixo)

Screen shot 2016-08-24 at 3.42.12 PM

Gabriel Medina não se manifestou diretamente sobre o ocorrido, mas fez um post em seu Instagram no qual começa o texto com “hahaha…tudo bem” – veja e tire suas conclusões:
Screen shot 2016-08-24 at 3.53.06 PM

Quem também compartilhou sua opinião nas redes sociais foi o jornalista Ricardo Bocão (Woohoo). Em sua página do Facebook, escreveu:

“Gabriel Medina X John John Florence foi a bateria do ano…Com certeza! Parecia o Nate Diaz X Conor McGregor com sangue pra todo lado…Boa analogia! Infelizmente os juízes não estiveram à altura dos dois melhores surfistas da atualidade e da histórica bateria. Comparando com o 10 do Medina (e foi fácil comparar, pois as duas maiores notas do JJF foram logo depois do 10), o 9.93 e, principalmente, o 9.73 foram erros grosseiros disfarçados pelo talento absurdo do garoto fenômeno do Havaí. De qualquer maneira, estamos testemunhando o início de uma rivalidade entre Medina e JJF que tem tudo para repetir Kelly Slater X Andy Irons.”

ComentaCako, do jornalista Gustavo Migliora, também:

“Agora, o final da bateria contra das semis, entre o Gabriel Medina e o John John Florence foi beeeeeeeeem feio! Os caras não poderiam deixar o primeiro brasileiro campeão do mundo ganhar o maior duelo da história da WSL. Não poderia ter outra final entre Gabriel e Kelly. Nem dar mais pontos para o Gabriel e deixar menos margem para a subjetividade. E digo mais, talvez até ganhar de Slater. Não dessa vez! Não mais uma vez!”
E você leitor, o que achou?

Fonte hardcore.com.br