Andrea Moller é vice-campeã em Jaws

Andrea Moller. Foto: WSL / Hallman
Brasileira Andrea Moller é vice-campeã em ondas de mais de dez metros, em Jaws, no Havaí
Andrea Moller foi superada apenas por Keala Kennelly na final do Jaws Challenge. Seis surfistas disputaram a final do evento feminino nas temidas ondas havaianas

A brasileira Andrea Moller foi a vice-campeã da segunda etapa do World Surf League Big Wave Tour, disputada em ondas gigantes de mais de dez metros de altura na segunda-feira em Jaws, na ilha de Maui, no Havaí. Ela enfrentou as condições desafiadoras do mar duas vezes. A experiente big-rider havaiana Keala Kennelly foi a campeã do evento.

A segunda-feira amanheceu com previsões de ondas enormes no Havaí, com o swell atingindo especialmente a ilha de Oahu. As condições estavam extremas para a realização do QS em Sunset Beach, mas deu o sinal verde para o Jaws Challenge, na ilha de Maui, com séries impressionantes de 40 a 50 pés no decorrer da segunda-feira.

Publicidade

A organização do evento decidiu começar o dia com o campenato feminino enquanto as condições não ficavam tão extremas. As dez surfistas foram divididas em duas baterias. As três melhores em cada garantiram classificação para a final do Jaws Challenge. Andrea Moller ficou a poucos pontos do título, com uma diferença de 8,61 a 7,97, para a experiente Keala Kennelly.

A havaiana Keala Kennelly é a campeã do WSL Big Wave de Jaws — Foto: WSL / Hallman
A havaiana Keala Kennelly é a campeã do WSL Big Wave de Jaws — Foto: WSL / Hallman

As finalistas da categoria feminina enfrentaram as ondas gigantes e desafiadoras de Jaws duas vezes. As condições estavam pesadas para as mulheres e poucas conseguiram completar o drop nas paredes de mais de dez metros de altura. Na final, as únicas que pegaram duas ondas, ficaram em primeiro e segundo lugar. No WSL Big Wave Tour, a maior nota é multiplicada por dois e o resultado somado com a segunda melhor onda.

O 2,97 recebido por Keala Kennelly na segunda e última que surfou, decidiu a vitória por uma pequena diferença de 8,61 a 7,97 pontos. Andrea Moller começou com uma nota parecida, 2,90, que dobrou para 5,80 com a multiplicação. Depois, conseguiu 2,17 na outra onda que pegou, abaixo do 2,67 da primeira da havaiana.

A maior nota da final quem conseguiu foi Emily Erickson, mas o 3,93 foi a única porque não foi mais em nenhuma onda e terminou em terceiro com 7,86 pontos. A também havaiana Paige Alms ficou em quarto com 4,01, enquanto a francesa Justine Dupont e a americana Bianca Valenti dividiram o quinto lugar por terem ficando com zero ponto, sem nenhuma onda na bateria.

Vice-campeão em Nazaré, Portugal, há poucos dias, Lucas “Chumbo” Chianca é o único brasileiro entre os 24 participantes do evento masculino. Os surfistas foram divididos em quatro baterias na primeira fase, que seria realizada logo após a decisão do título feminino, mas apenas uma bateria foi realizada.

Lucas Chumbo estrearia na segunda bateria, mas as condições do mar estavam ficando muito difíceis e o campeonato foi adiado para as 7h da terça-feira no Havaí, 15h no horário de verão do Brasil. Seus primeiros adversários serão o basco Natxo Gonzalez, o norte-americano Jojo Roper e os havaianos Shane Dorian, Nathan Florence e Albee Layer. Os três primeiros colocados irão disputar três vagas para a final com Billy Kemper, Grant Baker e Russell Bierke, classificados para a primeira semifinal na única bateria disputada na segunda-feira.

Por globoesporte.com