Altos tubos definem as Quartas de final do QS 3000 do Chile

Tomas Tudela. Foto: Nicolas Diaz

Quartas de final do QS 3000 do Chile são definidas em tubos incríveis em El Gringo

By João Carvalho 

O sábado amanheceu com um novo swell bombando altas ondas em El Gringo para definir as quartas de final do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour, que vão abrir o domingo decisivo da etapa mais tradicional do WSL Qualifying Series na América do Sul no Chile. O peruano Tomas Tudela comandou o show nos tubos em um dia parecendo Banzai Pipeline, com condições épicas para competir em El Gringo. Ele ganhou o Desafio de Arica no ano passado e no sábado surfou dois tubaços incríveis para fazer um novo recorde de 18,33 pontos. Três brasileiros, dois australianos, um argentino e um surfista da Costa Rica, também avançaram para decidir o título no último dia do QS 3000 do Chile.

Tomas Tudela (Foto: Nicolas Diaz)

“Eu já venho a Arica há alguns anos e El Gringo tem uma qualidade diferente, é uma das melhores ondas do mundo e sempre venho pra cá com uma mentalidade mais positiva”, disse Tomas Tudela. “Eu não estava passando muitas baterias esse ano nos outros eventos e aqui eu me sinto mais forte para conseguir meus objetivos. Estou aqui defendendo meu título, mas isso tem que ser passo a passo, sem pensar lá na frente. Eu quero agradecer as pessoas que torcem por mim, minha família e os amigos de Punta Hermosa, Lima e de todo o Peru”.

Publicidade

O peruano fez uma apresentação impecável em sua segunda participação no sábado em El Gringo. Ele disputou o primeiro confronto do dia, válido pela quarta fase da competição, junto com o vice-campeão na final peruana do ano passado, Alvaro Malpartida, que foi barrado pelo brasileiro Samuel Igo. Depois, Tomas Tudela completou dois tubos sensacionais para ganhar notas 9,00 na primeira onda que surfou e 9,33 na última. Com elas, estabeleceu um novo recorde de 18,33 pontos de 20 possíveis para o QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour.

Dean Bowen (Foto: Nicolas Diaz)

Nesta segunda bateria classificatória para as quartas de final, o australiano Dean Bowen, vice-campeão da etapa chilena em 2016, também surfou grandes tubos para passar em segundo lugar com 16,24 pontos, somando notas 8,47 e 7,77. Os dois tiraram o último chileno da disputa do título, Danilo Cerda, além do brasileiro João Chianca. O outro chileno era Nicolas Vargas, que já havia perdido para o brasileiro Vitor Mendes e o australiano Jacob Willcox no confronto que abriu a disputa por vagas nas quartas de final do QS 3000 do Chile.

“As ondas estão muito boas hoje (sábado), nem tão grandes e nem pequenas. Estão perfeitas, mas eu sabia que seria uma bateria muito difícil ”, disse Vitor Mendes, irmão mais jovem do top do CT e único brasileiro campeão nos tubos de El Gringo em 2014, Jessé Mendes. “Eu consegui um 7,33 em minha primeira onda e fiquei esperando por uma outra onda boa. Ela veio e fiz outra nota 7 para passar em primeiro, então estou muito feliz por ter avançado para as quartas de final. Meu irmão (Jessé Mendes) já venceu aqui anos atrás, então será fantástico se eu conseguir ganhar também nesse lugar com tubos incríveis”.

Vitor Mendes (Foto: Nicolas Diaz)

Na terceira classificatória para as quartas de final, a vitória foi do surfista da Costa Rica que sofreu o pior acidente nas oito edições da etapa do Chile em Arica já disputadas, caindo de cabeça na bancada de El Gringo em 2012. Carlos Munoz achou um tubaço no último minuto para ganhar nota 7,10 e saltar da quarta para a primeira posição na bateria. Com isso, o brasileiro Jeronimo Vargas, que estava liderando, passou em segundo lugar e o havaiano Torrey Meister acabou eliminado junto com o carioca Raoni Monteiro.

“Estou muito contente em passar essa bateria e avançar para as quartas de final desse campeonato incrível”, disse Carlos Munoz. “Eu me concentrei bastante antes da bateria e a primeira onda que entrei me pegou na cabeça e me deixou um pouco assustado. Mas, tentei manter a calma e ainda consegui surfar dois bons tubos para vencer. Essa última onda no final da bateria, acho que foi Deus quem mandou, porque parecia não haver mais ondas. Eu quase não saio do tubo, então estou muito feliz em poder avançar para o domingo”.

Carlos Munoz (Foto: Nicolas Diaz)

Na última bateria do dia, caiu um dos grandes favoritos para vencer o QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour. O big-rider Lucas “Chumbo” Chianca, campeão da etapa do WSL Big Wave Tour nas temidas ondas de Nazaré, esse ano em Portugal, vinha se destacando nos tubos de El Gringo, batendo recordes a cada dia. Só que dessa vez, ele não conseguiu pegar as melhores ondas que entraram na bateria e terminou em último no confronto que o argentino Leandro Usuna brilhou num tubaço nota 9,63 para se classificar em primeiro lugar, com o brasileiro Weslley Dantas em segundo.

QUARTAS DE FINAL – O QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour foi iniciado na terça-feira com 108 surfistas de dezenove países. Agora, restaram oito representantes de cinco nações para decidir o título no domingo e a expectativa é de que seja mais um dia com altos tubos em El Gringo. O Brasil já era maioria entre os 108 inscritos e manteve esse status até o último dia, classificando três surfistas, contra dois australianos, o peruano defensor do título, um argentino um costa-ricense.

Leandro Usuna (Foto: Nicolas Diaz)

A primeira quarta de final, que vai abrir o domingo às 7h00 no Chile, será entre o australiano Dean Bowen e o jovem brasileiro Vitor Mendes. Na segunda, o peruano Tomas Tudela terá outro australiano pela frente, Jacob Willcox, no seu caminho por um inédito bicampeonato consecutivo em nove anos de história da etapa do QS em Arica. Depois, o costa-ricense Carlos Munoz enfrenta o brasileiro Weslley Dantas e a última vaga para as semifinais será disputada pelo argentino Leandro Usuna e outro brasileiro, Jeronimo Vargas.

O QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour está sendo transmitido ao vivo de El Gringo pelo www.worldsurfleague.com e a primeira chamada para as quartas de final no domingo será às 7h00 no Chile.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

QUARTAS DE FINAL DO MAUI AND SONS ARICA PRO TOUR:

1.a: Vitor Mendes (BRA) x Dean Bowen (AUS)

2.a: Tomas Tudela (PER) x Jacob Willcox (AUS)

3.a: Carlos Munoz (CRI) x Weslley Dantas (BRA)

4.a: Leandro Usuna (ARG) x Jeronimo Vargas (BRA)

QUINTA FASE – 1.o e 2.o avançam para as quartas de final:

———-3.o=9.o lugar (US$ 1.500 e 900 pts) e 4.o=13.o lugar (US$ 1.250 e 840 pts)

1.a: 1-Vitor Mendes (BRA), 2-Jacob Willcox (AUS), 3-Nicolas Vargas (CHL), 4-Samuel Igo (BRA)

2.a: 1-Tomas Tudela (PER), 2-Dean Bowen (AUS), 3-Danilo Cerda (CHL), 4-João Chianca (BRA)

3.a: 1-Carlos Munoz (CRI), 2-Jeronimo Vargas (BRA), 3-Torrey Meister (HAV), 4-Raoni Monteiro (BRA)

4.a: 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Weslley Dantas (BRA), 3-Aritz Aranburu (ESP), 4-Lucas Chianca (BRA)

QUARTA FASE – 3.o=17.o lugar (US$ 1.000 e 600 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 750 e 555 pts):

———-baterias que abriram o sábado:

3.a: 1-Tomas Tudela (PER), 2-Samuel Igo (BRA), 3-Alvaro Malpartida (PER), 4-Jordy Collins (EUA)

4.a: 1-Dean Bowen (AUS), 2-Nicolas Vargas (CHL), 3-Max Kearney (AUS), 4-Yagê Araujo (BRA)

5.a: 1-Carlos Munoz (CRI), 2-Leandro Usuna (ARG), 3-Yuri Gonçalves (BRA), 4-William Aliotti (FRA)

6.a: 1-Raoni Monteiro (BRA), 2-Weslley Dantas (BRA), 3-Guillermo Satt (CHL), 4-Lucas Silveira (BRA)

7.a: 1-Aritz Aranburu (ESP), 2-Jeronimo Vargas (BRA), 3-Nick Callister (AUS), 4-Thiago Camarão (BRA),

8.a: 1-Lucas Chianca (BRA), 2-Torrey Meister (HAV), 3-Nomme Mignot (FRA), 4-Jack Robinson (AUS)

———-últimos resultados da sexta-feira:

1.a: 1-Vitor Mendes (BRA), 2-Danilo Cerda (CHL), 3-Manuel Selman (CHL), 4-Nic Von Rupp (PRT)

2.a: 1-Jacob Willcox (AUS), 2-João Chianca (BRA), 3-Pedro Neves (BRA), 4-Sasha Donnanno (MEX)