A “onda” de lixo no Caribe

imagem de uma “onda” de lixo indo e vindo numa praia de Santo Domingo, capital da República Dominicana, no Caribe, despertou uma outra pequena onda, de revolta e indignação com o tratamento dado aos oceanos – não só naquele país como em diversos locais do planeta. O vídeo foi divulgado pela ONG Sustainable Coastlines, que empregou um esforço em massa para limpeza do local nos últimos dias.

Publicidade

A ação também envolvia palestras com a população local sobre a importância da preservação dos oceanos. A ONG ainda não divulgou imagens do resultado do trabalho. Mas, segundo o onze vezes campeão mundial Kelly Slater, que reproduziu o vídeo chocante em sua conta, todo o lixo foi recolhido da praia após três de um intenso esforço colaborativo da ONG, de equipes de limpeza, militares e voluntários locais.

“Nos venderam essa ideia de uma sociedade descartável, toda essa noção de que quanto mais civilizado você é, mais convenientes devem ser as coisas. Assim, você não precisa lavar a louça se pode jogá-la fora, sabe? Não é preciso cuidar de algo se você pode jogar fora. E nós vamos manter tudo barato o suficiente para que você possa comprar outro, mas não existe ‘jogar fora’”, escreveu Slater, reproduzindo frase da ativista ambiental Kimi Werner. Depois de todo o trabalho, “trinta toneladas de plástico foram retiradas do mar e de aterros no local”, continuou Kelly.

Quem também comentou a situação foi o surfista (e hoje, também técnico) Carlos Burle, que comemorou a ação e deixou uma mensagem positiva.

“Apesar de ficar em choque com cenas como essa, acredito sim na consciência coletiva e acredito sim que vamos melhorar o nosso planeta!”, escreveu o pernambucano.

A ação faz parte do projeto 100 Islands Protected (cem ilhas protegidas), desenvolvido pela ONG Parley.tv em parceria com a Corona e a WSL. Saiba mais sobre isso aqui