A Chuva e os fortes ventos em Supertubos provocam o primeiro Day Off

John John Florence e Filipe Toledo. Foto: Pedro Mestre/WSL.

O primeiro dia de janela do MEO Rip Curl Pro Portugal começou com folga para os tops. Por causa da chuva e os fortes ventos em Supertubos, a direção da prova resolveu as disputas nesta sexta-feira. Uma próxima chamada foi marcada para amanhã, sábado, às cinco horas pelo horário de Brasília.

“Adiamos o primeiro dia do período de espera em Supertubos. Temos apenas 1 metro com séries maiores hoje, vento maral e muita chuva. A boa notícia é que temos uma incrível previsão de swell, então faremos outra chamada neste sábado. Estamos esperando ondas de 8 a 10 pés (2,5 a 3,3 metros), talvez com séries maiores”,explicou Renato Hickel, comissário da World Surf League.

Publicidade

A expectativa é de excelentes condições neste fim de semana para o início da competição, com ondas pesadas e vento terral na bancada de Supertubos.

Corrida pelo título na temporada de 2017 terá um capítulo decisivo na etapa portuguesa!

Uma última chance! É o que resta para Gabriel Medina, Filipe Toledo, Owen Wright, Julian Wilson e Matt Wilkinson manterem vivas as esperanças de conquistar o caneco mundial de 2017. Apenas a vitória interessa aos surfistas na décima parada do Circuito Mundial em Peniche, Portugal.

O atual campeão mundial e líder do ranking, John John Florence, defende a ponta, enquanto o sul-africano Jordy Smith, que está em sua cola, na vice-liderança, tentará a todo custo tirar-lhe a lycra amarela do Jeep Leader Championship Tour. E o brasileiro Gabriel Medina também tem chances de ir ao topo, mas vai depender de uma combinação de resultados.

O único que depende apenas de si mesmo é John John. Para alcançar o bicampeonato nas ondas portuguesas com uma etapa de antecedência, assim como na temporada passada, o havaiano é o que o precisa de menos cálculos. Se vencer a etapa, ele terá de torcer para Jordy não chegar nas quartas de final (nono lugar ou pior).

O sul-africano Jordy Smith, Foto: Cestari/WSL.

O sul-africano Jordy Smith, Foto: Cestari/WSL.

Ser for vice, o surfista do North Shore de Oahu precisa contar com um tropeço do sul-africano até o Round 3, sem uma vitória de Medina, Owen ou Wilko. As hipóteses mais remotas são as de Julian Wilson, Adriano de Souza, Filipinho. E as contas matemáticas estão a favor do havaiano, contudo, há oito tops da elite com chances de arrematar o caneco nesta temporada, embora tenham de vencer para cumprir a difícil missão.

Se for campeão em Portugal pelo segundo ano consecutivo, apenas Jordy Smith mantém vivo o sonho de terminar o ano no topo do mundo, mas o sul-africano teria obrigatoriamente de ficar pelo menos em quinto lugar, ou seja, chegar nas quartas de final.

Mas além de afunilar a batalha pelo caneco deste ano, as disputas em Portugal também serão cruciais para os que buscam fugir do rebaixamento. Ao término de 11 eventos, os dois piores resultados de cada surfista serão descartados e só o G-22 se mantém na elite em 2018.

Brasil chega com força máxima em Supertubos

O Brasil vem para essa etapa com todos os seus nove representantes na elite. Mas apenas Gabriel Medina é o único que pode garantir a liderança do ranking em Portugal. A vitória em Hossegor, na França, colocou o primeiro brasileiro campeão mundial de vez na briga. Para sair de Peniche como número 1, ele precisa vencer a etapa e torcer por uma queda de John John Florence até a terceira fase. E Jordy Smith teria de cair antes das quartas de final para não atrapalhar os planos do brasileiro.

Medina também tem chances de ir ao topo, mas vai depender de uma combinação de resultados. Foto: Cestari/WSL.

Caio Ibelli abre as disputas do Round 1 na primeira bateria com o australiano Julian Wilson e o italiano Leonardo Fioravanti. Depois só tem brasileiro no quarto duelo com dobradinha verde-amarela entre Medina e Wiggolly Dantas contra o aussie Josh Kerr. Na sequência, Ítalo Ferreira pega pela frente o sul-africano Jordy Smith e o português Vasco Ribeiro.

No sétimo duelo, o campeão Adriano de Souza enfrenta o francês Jeremy Flores e o australiano Jack Freestone. Em seguida, mais uma dobradinha brazuca com Filipe Toledo e Jadson André contra o taitiano Michel Bourez. Depois, na décima bateria, Miguel Pupo pega o norte-americano Kolohe Andino e aussie Connor O’Leary. E fechando as disputas da primeira fase, Ian Gouveia no duelo contra o português Frederico Morais e o tricampeão Mick Fanning.

Será que vamos ver os voos de Ítalo Ferreira nas ondas portuguesas como no ano passado. Foto: Cestari/WSL.

Uma próxima chamada foi marcada para amanhã, sábado, às  cinco horas pelo horário de Brasília. Assista ao vivo, AQUI, as disputas da décima parada do Circuito Mundial direto das ondas de Supertubos.

Baterias da 1ª fase em Portugal:

1: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA) e Leo Fioravanti (ITA)
2: Matt Wilkinson (AUS), Bede Durbidge (AUS) e Stuart Kennedy (AUS)
3: Owen Wright (AUS), Conner Coffin (EUA) e Ethan Ewing (AUS)
4: Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA) e Josh Kerr (AUS)
5: Jordy Smith (AFR), Italo Ferreira (BRA) e Vasco Ribeiro (POR)
6: John John Florence (HAW), Kanoa Igarashi (EUA) e Mason Ho (HAW)
7: Adriano de Souza (BRA), Jeremy Flores (FRA) e Jack Freestone (AUS)
8: Filipe Toledo (BRA), Michel Bourez (PLF) e Jadson André (BRA)
9: Joel Parkinson (AUS), Joan Duru (FRA) e Nat Young (EUA)
10: Kolohe Andino (EUA), Connor O’Leary (AUS) e Miguel Pupo (BRA)
11: Sebastian Zietz (HAW), Adrian Buchan (AUS) e Ezekiel Lau (HAW)
12: Mick Fanning (AUS), Frederico Morais (POR) e Ian Gouveia (BRA)

G-22 do Circuito Mundial:

1: John John Florence (HAW) – 49.900 pontos
2: Jordy Smith (AFR) – 47.600
3: Gabriel Medina (BRA) – 40.750
4: Owen Wright (AUS) – 39.850
5: Matt Wilkinson (AUS) – 38.200
6: Julian Wilson (AUS) – 37.700
7: Adriano de Souza (BRA) – 36.600
8: Filipe Toledo (BRA) – 34.950
9: Joel Parkinson (AUS) – 31.850
10: Kolohe Andino (EUA) – 30.000
11: Sebastian Zietz (HAW) – 29.750
12: Mick Fanning (AUS) – 28.300
13: Frederico Morais (PRT) – 26.400
14: Adrian Buchan (AUS) – 25.250
15: Connor O´Leary (AUS) – 25.200
16: Joan Duru (FRA) – 23.400
17: Michel Bourez (TAH) – 22.450
18: Jeremy Flores (FRA) – 21.450
19: Caio Ibelli (BRA) – 20.500
20: Bede Durbidge (AUS) – 20.200
21: Conner Coffin (EUA) – 19.750
22: Wiggolly Dantas (BRA) – 18.700
Outros brasileiros:
23: Italo Ferreira (BRA) – 16.450 pontos
25: Ian Gouveia (BRA) – 14.250
27: Miguel Pupo (BRA) – 14.200
30: Jadson André (BRA) – 11.750
35: Yago Dora (BRA) – 7.000
38: Jessé Mendes (BRA) – 2.250
43: Bino Lopes (BRA) – 1.000                                                                                      44: Samuel Pupo (BRA) – 500

Fonte surfar.com.br